Brad Sundberg (15)


''Antes que tivéssemos os "Beats By Dr. Dre", os fones de ouvido no estúdio teriam que cumprir, ao menos, três critérios: bom som e conforto, que suportassem o som muito alto e que pudessem suportar a vida no estudo.

Michael tinha uma boa audição quando trabalhava com ele, mas ele gostava de usar fones de ouvido dolorosamente altos. [...] Tornou-se um desafio para nós, porque Michael costumava aumentar o volume de seus fones de ouvido muito elevados durante a sessão, em seguida, dizia, "Brad ... meus fones de ouvido não soam bem... poderia trazer outro?" [...]

Ficou claro que Michael teria que diminuir o volume de seus fones de ouvido, então o desafio era encontrar um que atendesse aos seus ouvidos, fossem confortáveis e soassem alto o suficiente para o seu gosto.

Nós tentamos muitos modelos - AKG e Sennheiser - e tínhamos acabado de devolvê-los às lojas ''soltando funmaça'' após uma sessão vocal com MJ. Finalmente, encontramos a solução: O Fostex T20. Michael o testou e logo aumentou o volume.

Eu tenho que dizer que eu gosto de música alta, realmente, mas o volume que Michael ouvia e cantava com aquele T20 era de alucinar! Ele amou [os fones] e eles se converteram em um básico nos estúdios onde trabalhávamos com ele.''

O Fostex T20

by Brad Sundberg (Profissional em sistemas de som)

Fonte: In the Studio with MJ

11 comentários:

  1. O anjo e seu gosto por musica alta hahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahah bem nesse momento eu estava com os fones de ouvido na altura máxima para experimentar como ele sentia o som. Meio surda, aqui.. :D

      Excluir
  2. O perfeccionismo de Michael. Será que ele pensava que tinha detectado alguma coisa que não soara bem e queria outros fones para
    detectar a falha? Impossível. Ele não errava nunca. O homem era perfeito em tudo e não se dava conta disso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe... eu acho que ele se dava conta, sim. E vc tem razão, ele ouvia sons e detalhes que os outros na equipe, muitas vezes, não ouviam. Já publiquei um depoimento falando a respeito disso, só não me lembro em nome de quem, nesse momento. :)

      Excluir
  3. E não ficou surdo. Sua perfeição acústica continuou para sempre. Lembro de ter lido, sim, que ele conseguia ouvir um mínimo de som diferente numa música inteira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que foi um fotógrafo que disse (minha memória anda péssima, me desculpem) que se sentiu mal no palco, trabalhando, por conta do som alto do concerto. Imagine fazer várias turnês, por anos e anos, é incrivel que sua audição continuasse tão boa, como podemos observar em Thus Is It, quando ele fala sobre os detalhes das notas musicais.

      Excluir
  4. Boa tarde, eu não sabia que ele gostava do som muito alto.
    Depois de tantos anos nessa rotina, não sei como isso não afetou a sua audição. Como a Rosane lembrou bem, em TII ele "pesca" os mínimos detalhes com muita naturalidade.

    Li aqui no blog que ele tinha "ouvido absoluto".

    http://cartasparamichael.blogspot.com.br/2014/07/dianne-chilgren_19.html#more

    "Ele tinha um ouvido fenomenal e poderia ouvir os menores erros no palco, enquanto ele mesmo se apresentava."
    "Quando ele gravava uma canção, ele cantava todas as harmonias de sua própria voz, uma por uma e lembrava-se de todas as outras que ele tinha acabado de gravar."
    "Isto NÃO é fácil. Todos os vocais eram absolutamente bem colocados. Ele tinha um ouvido absoluto ... [o inato conhecendo os pontos de todas as notas.]
    Eu tenho essa capacidade, mas não é tão comum. Muitos músicos não têm esse talento particular. Ele é um grande trunfo na performance e é muito útil na tomada de ditado musical."

    http://cartasparamichael.blogspot.com.br/2014/04/jerry-greenberg.html#more

    "Ele era brilhante a esse respeito. Ele era um perfeccionista. Ele tinha ouvido absoluto, a única pessoa que conheço [com igual ouvido] é Roberta Flack. Ele gravava uma faixa vocal dez vezes, para se certificar de que era absolutamente correto."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite Leda, me impressiona como vc lembrou de onde encontrar tal e tal depoimentos! Vc está super lingada hein? Obrigada por trazer as lembranças. :)

      Excluir
  5. Michael tinha uma audição atípica e dizem que em Neverland as músicas "brotavam" de todos os lugares (incluindo o seu banheiro) de maneira suave e sutil. Dentro de casa a música também era muito suave, quase imperceptível. Será que ele tinha essa necessidade de ouvir suas músicas em volume altíssimo, para sentir como ficaria nos seus shows? Como chegaria aos ouvidos dos fãs?Uma coisa é o som de estúdio e outra é o som estrondoso em um show.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Curiosamente, o som que ele gostava de ouvir quando estava em casa era a música clássica, como nós já sabemos. O Brad Sundberg, profissional em sistemas de som, tem muitas histórias para contar sobre seu trabalho com Michael... foi ele quem distribuiu a música pelo rancho Neverland.

      Excluir
    2. ...e pode ser sim, que Michael ouvia no máximo volume para se colocar no lugar do público que iria ouvi-lo nos shows.

      Excluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

*Bem-vindos, Moonwalkers! :) Os comentários são moderados e estarão visíveis tão logo eu esteja on-line.
**Para assuntos privados e não referentes à matéria eu peço que utilize o email [cartasparamichael@gmail.com] ・。.。・゚゚・。.。・゚゚・。❊
*Rosane [admin. do blog]

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...