Depoimento de Brad Sundberg (22)


''Eu não tinha visto esta foto [acima] antes. É o que eu descrevo como 'agridoce'. Eu nunca afirmo ter sido o confidente de Michael, ou mesmo um de seus amigos mais próximos - mas nós tivemos algumas coisas em comum.

Desde nossos primeiros dias trabalhando juntos, sabíamos que tínhamos um amor compartilhado pela Disney. Eu disse a ele que eu tinha pedido Deb [minha esposa há quase 32 anos] na Disney - a qual ele amava. Ele e eu trocamos histórias sobre a Disney. Eu estava frequentemente no parque e ele saía com os Imagineers. Diferentes perspectivas, você pode dizer.

Eu nunca tentei "entreter" Michael, mas acho que o fiz rir um pouco. Não é fácil de descrever, mas você sabe quando você tem um amigo com o qual você não precisa falar constantemente, se explicar e estar de guarda? Era assim. Eu estava confortável em torno dele, e ele em torno de mim.

Michael tinha intermináveis reuniões, compromissos e obrigações. Ele não precisava tomar tempo para me conhecer, mas ele o fez. Eu acho que ele queria, como eu queria conhecê-lo. Como a maioria das amizades saudáveis, era confortável e de baixo estresse. Se ele precisava de algo, sabia que faria o que pudesse para que isso acontecesse. E, em muitos aspectos, o inverso era verdadeiro.

Quando você trabalha com alguém como Michael, pelo menos isso é verdade para mim, você tenta não pedir muito. Eu só tenho um punhado de fotos com ele, mas eu as valorizo. Não era necessário, nem mesmo cruzar minha mente, pedir mais.

Eu não tenho um de seus chapéus ou uma luva ou algo assim. Ele não me inundou com presentes - embora ele tenha enviado cestas incríveis quando nossas filhas nasceram. Eu acho que ele arremessou inúmeros pedaços de doces e pipoca para mim, mas eu fiz o mesmo com ele.

Mas o hotel na Disney Paris me traz de volta no tempo com apenas um olhar.

Estávamos indo para a França para trabalhar em um projeto para Rod Temperton - completamente alheios a Michael. Acontece que Michael foi até Paris ao mesmo tempo para a turnê HIStory, então eu entrei em contato com Brad Buxer para conseguir alguns ingressos para o show.

Eu não sei se Michael estava envolvido diretamente, mas nós recebemos um convite para visitar Disney Paris - um dia ou dois mais tarde - do escritório de Michael. Não sabíamos realmente o que esperar quando saltamos no trem no início da manhã no dia programado, e seguimos as instruções para atender um membro do elenco no lobby do Disney Hotel.

Nós fomos escoltados para uma sala de jantar privativa com um enorme buffet de café-da-manhã esperando por nós! Não é uma má maneira de começar o dia. Em seguida, conhecemos Brian - o nosso guia para o dia.

No momento eu não tinha idéia de como seria um guia da Disney, mas eu rapidamente aprendi. Brian levou minha família e a mim em cada atração e a cada show. Eu saltei em cada linha enquanto ele educadamente e profissionalmente nos escoltava e nos levava a cada esquina do parque. 

Foi fantástico! Ele nos levou aos bastidores e em áreas privadas que estavam além de tudo o que poderia ter antecipado. Era um dio de muito frio, mas isso não importava. Michael surpreendente estava cuidando de nós. Quando saímos naquela noite, estávamos exaustos, molhados e felizes. Eu não acho que nós teríamos condições de avançar mais um passo.

Nós não éramos VIPs. Nós não éramos estrelas do rock. Nós não éramos especiais em qualquer maneira - mas Michael queria garantir que fôssemos tratados com tal. Isso diz muito sobre ele, e talvez sobre nossa amizade. Gostaria que ele pudesse ter corrido com a gente, e talvez ele desejasse isso também - eu não sei.

Houve muitas vezes ao longo dos anos, quando ele e eu discutimos Disney e como a Disney faz as coisas. Ele sabia que eu tendia para o nível de qualidade e criatividade ... tipo de como eu sabia que ele tendia para um "Michael Jackson" com nível de qualidade e criatividade em sua música e performances.


Quando eu vi esta foto eu recordei andar sob sua suíte no hotel de Disney Paris nesse dia. Eu não acho que ele estivesse ali, mas havia uma pequena multidão de pessoas apontando para a janela e sussurrando que ele, às vezes, acenava quando estava hospedado lá.

Era - e às vezes ainda é - um equilíbrio estranho de trabalhar com alguém tão conhecido, famoso e talentoso como Michael. Ele era extraordinariamente grande em termos de mídia e personalidade pública, mas ao mesmo tempo, ele e eu poderíamos ter uma reunião em seu carrinho de golfe Batman sobre um próximo projeto. Isso faria minha cabeça girar apenas um pouco, de vez em quando.

Sinto falta daquela silhueta.
Tenho saudades dessas reuniões.
Eu sinto falta dos telefonemas a todas as horas da noite.
Ele era bom para mim, e ele era bom para a minha família, e eu sou grato.''

Depoimento de Brad Sundberg (Profissional em sistemas de som)

Fonte: In the Studio with Michael Jackson

Nenhum comentário

Postar um comentário

*Bem-vindos, Moonwalkers! :) Os comentários são moderados e estarão visíveis tão logo eu esteja on-line.
**Para assuntos privados e não referentes à matéria eu peço que utilize o email [cartasparamichael@gmail.com] ・。.。・゚゚・。.。・゚゚・。❊
*Rosane [admin. do blog]

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...