Judd Lander


''Foi ótimo trabalhar com Michael. Estava sempre viajando na luz. Uma vez, quando passávamos em frente ao Palácio de Buckingham a caminho de um estúdio de TV em South Bank, vi que a bandeira estava a meio-mastro. Michael não sabia o que isso significava e eu expliquei que era porque a rainha não estava em casa.

Toda vez que ele vinha para Londres e teria que conceder uma entrevista na TV, ele dizia, "Judd, podemos passar em frente ao Palácio?" Passávamos em frente e ele brincava, "Você acha que poderíamos entrar e tomar uma xícara de chá?"

Ele tinha um grande senso de humor. Se estávamos entediados no Top Of The Pops, eu costumava fazer algum truques de mágica para aliviar o clima e ele adorava.

Em outra ocasião, fomos para uma entrevista na Rádio Capital, que na época tinha a sua sede em Euston Tower. Havia milhares de crianças na estação, cercada por policiais e agentes de segurança.

Nós fomos ao redor do prédio e estacionamos na parte de trás, perto da esquina de uma praça chamada Laurence Corner. Estávamos 10 minutos adiantados quando Michael viu uma loja e perguntou o que era. Eu disse que era uma loja que vendia roupas e acessórios militares.

Ele queria entrar e como parecíamos estar seguros, eu disse que sim, mas por apenas cinco minutos porque teríamos de chegar a tempo na rádio.

Então nós entramos e havia uma garota muito bonita observando a multidão. Quando entrei com Michael e o guarda-costas, ela gelou. Eu nunca vou esquecer aqueles olhos grandes fixos nele. Eu tive que dizer, "Michael, diga 'olá' ou algo assim."

"Oi, podemos dar uma olhada?" ele disse. Ela afirmou que sim lentamente com a cabeça.

Então começamos a olhar em volta e ele começou a comprar as coisas, um monte de coisas. Se apaixonou por um chapéu colonial branco com penas, mas o proprietário disse, "Não, este é um item especial de colecionador''.

Respirei fundo e disse, "Ei, você sabe com quem está falando?". Não, ele não tinha ideia de quem era Michael e se recusou a vendê-lo. De qualquer forma, pagamos as outras mercadorias e entramos no carro, fizemos a entrevista e tudo.

Michael era um cara muito brilhante, bem preparado e cuidadoso. Ele conversava com todos que eu conhecia e sempre fazendo piadas, era divertido.

A última vez que o vi antes de sua passagem foi no World Music Awards, ou talvez, tenha sido no BRIT Awards. Ele se aproximou e a primeira coisa que ele disse foi, "Ei, Judd, você ganhou alguns quilos, hein?!"

Sempre provocando. Era um encanto. Ele teve seus problemas, é claro [por exemplo, com seu pai, um tipo muito exigente] mas se esforçou para superar. Esta é a vida.

A verdade é que foi um prazer trabalhar com Michael e sair com ele. Ele era um bom rapaz e muito engraçado, ele sabia como lidar com a imprensa. Este aspecto foi realmente único, sem citar a máscara cirúrgica! E por que não?... Como era inteligente.''

by Judd Lander
*Diretor da gravadora Epic no Reino Unido em 1979.

Fonte: http: //mjhideout.com

7 comentários:

  1. Me lembrei do sujeito que não queria vender uma lhama para Michael porque achava que ele não teria dinheiro para pagar. :(

    ResponderExcluir
  2. Compartilho com a reação da moça. Em que mundo vivem estas pessoas, não conhecem Michael Jackson?

    ResponderExcluir
  3. Amei o depoimento do Judd Lander. É mais um que fala sobre a inteligência, o senso de humor, o encanto e o brilhantismo dele. :)

    Não consigo entender também como essas pessoas não conhecem Michael Jackson! :-/

    ResponderExcluir
  4. Difícil entender. Mas existem pessoas que lhe dariam a loja inteira, se ele
    quisesse.

    ResponderExcluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

*Bem-vindos, Moonwalkers! Os comentários são moderados e estarão visíveis tão logo eu esteja on-line. [Rosane, admin. do blog]

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...