Depoimento de Dan Beck


"Não há absolutamente nada em comparação sobre trabalhar com Michael. Trabalhei com muitos superstars, mas as circunstâncias em torno de sua carreira eram tão grandes e complicadas. Eu realmente gostava de Michael e gostava de trabalhar com ele. Ele era realmente tão fácil de trabalhar... um colaborador tão generoso e entusiasmado. Ele sempre dava créditos.

Depoimento de Mike Smithson


"Michael foi um dos melhores atores que eu já tive na minha cadeira de maquiagem, ele me deixava fazer o que eu tinha que fazer e não ficava sempre a se queixar. Foi uma bela experiência.''

Mike Smithson [maquiador de Michael Jackson no filme Ghosts em entrevista à revista Make-Up Artist edição 15 de julho de 2009.]

Flagrantes do Rei


Rodney Jerkinds, co- produtor do álbum Invincible, compartilhou a fotografia acima e disse se recordar do dia em que Michael e seus filhos viajaram durante duas horas e meia de New York até a sua casa em Galloway [New Jersei] para comer a torta de pêssego da sua mãe [que aparece na foto com Prince].
Uma entrevista com o produtor se encontra aqui

Gifs de Michael



Pensamento


''Se você ama a si mesmo, você ama os outros. Se você odeia a si mesmo, você odeia os outros. Em uma relação com os outros, é somente você refletido no espelho.''     Osho [líder religioso indiano]

Esta Lei Universal explica bem por que Michael foi e continua a ser atacado por determinadas pessoas nas redes sociais, por exemplo. 
Por sua postura e princípios sempre corretos, Michael se colocou como um alvo e como um espelho. A partir disso, cada pessoa reflete sobre Michael o que tem dentro de si.     

''Michael Jackson e a Arte da Compaixão''


''Talvez o traço mais comum associado à celebridade seja o narcisismo. Em 1988, Jackson provavelmente teria tido motivos para ser absorvido. Ele era a pessoa mais famosa do planeta. Em todo lugar que viajava, ele criava histeria em massa. No dia seguinte ao seu concerto esgotado no Prater Stadium de Viena, um artigo da AP correu - "130 Fãs desmaiam no Concerto de Jackson''.

Se os Beatles eram mais populares do que Jesus, como John Lennon afirmou anteriormente, Jackson teve toda a Santíssima Trindade. No entanto, enquanto Jackson apreciava a atenção - na verdade, até prosperava nela de certa forma - ele também sentia uma profunda responsabilidade em usar sua celebridade mais do que para fama e fortuna.

Valorizando a harmonia dos ritmos


''Ouça seus ritmos virtuosos e harmonia musical, sincopação e partes de baixo, a camada de música e tonalidades incomuns de som. Isso vai além dos clássicos usuais e está incorporado em músicas como Stranger in Moscow, I Can't Help It, Liberian Girl, Who Is It e Off the Wall. Preste atenção na variedade da história nas canções, na gama de sentimentos, na incrível abundância e síntese de estilos. Somente em um álbum - Dangerous - Jackson faz transições do [ritmo] New Jack Swing para clássicos, do Hip-Hop ao Gospel, do R&B ao Urbano, do Funk ao Rock. Era música sem fronteiras e barreiras, e obteve ressonância em todo o mundo.''

Joseph Vogel [escritor e crítico musical estadunidense]

Fonte: https://vk.com/milanik
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...