Depoimento de Roslyn Witz Cohen


''Não acredite nas mentiras.'' (Roslyn Witz Cohen)

''Minha família conheceu Michael Jackson no resort Sun City em 1997 e nós permanecemos amigos dele até a sua morte muito trágica e prematura. Meus filhos tinham 12 e 10 anos na época. Durante esses anos, Michael passou muitas vezes em nossa casa e fomos para Neverland e, em todos esses anos, posso dizer honestamente que Michael nunca passou um tempo sozinho com meus dois filhos.

Tudo o que Grace Rwaramba disse é absolutamente verdadeiro. Sempre havia tantas pessoas em Neverland que teria sido absolutamente impossível para Michael ter "atraído" garotos para o seu quarto sem que ninguém percebesse. Todos os cômodos da casa principal estavam sempre abertos para os convidados e nunca víamos a porta do quarto de Michael fechada. Michael não tinha nada a esconder. Ele estava aberto e transparente.

“Michael Jackson não morreu”


“Michael Jackson não morreu”. Foi o que durante muito tempo disseram os jornais, as fofocas, os especuladores. Passei a dar razão a eles agora, metaforicamente, pois Michael está vivo através do que lhe era mais essencial.

Um gênio que brilhou entre tantos outros, soube ser luz sem ofuscar quem estava ao seu redor. Escolheu ser holofote e iluminar, estender a mão e elevar. Com fé e perseverança, resistiu aos mais furiosos vendavais. Sua valentia se escondia no segredo de uma flor, que quanto mais é pisada, mais perfume exala. Sua grandeza sempre esteve em ser o homem que recebeu ódio e doou apenas amor. Este era o sentimento que transcendia seu próprio ser. Que não distinguia raças, idades, gêneros e crenças. Sua capacidade de amar ameaçava os covardes e aproximava os humildes, era infinita, maior que o mundo, maior que a vida.

A arte de Alena Galayko


Michael presente em um casamento na Alemanha


Em visita ao hospital ''Great Ormond Street''


''A caridosa estrela Michael Jackson, ontem, secou as lágrimas de algumas crianças entre as mais graves na Grã-Bretanha e as substituiu por um sorriso de alegria. Durante as suas aparições em Londres, ele estava decidido a se encontrar com os pacientes do famoso hospital Great Ormond Street.

[O cantor] reservou algumas das palavras mais comoventes e de conforto a uma menina cruelmente desfigurada à espera de uma cirurgia de cirurgia plástica. [...] Michael apertou suas mãos enquanto ela, em lágrimas, lhe falava sobre os seus receios em relação à cirurgia. Depois visitou o resto do departamento beijando ternamente todas as crianças deformadas que o esperavam de pé.

Selos impressos em uma das ex-repúblicas soviéticas


Depoimento de Shay Hazan


''Em janeiro de 2009, dei essa revista para Michael em sua casa em Beverly Hills. A intenção era que ele assinasse para mim. Ele gostou tanto que, ao invés disso, providenciou uma foto nossa foto juntos, onde ele escreveu:
''Está tudo bem se eu ficar com a revista alemã? Amor M.J.''
Essa foi a coisa mais doce do mundo - e ele roubou essa revista de mim.''

Shay Hazan (fã alemão)

Pesquisa e tradução: Blog ''Cartas para Michael''.

A arte de Siren Catherine Van Tighem


''Para que o mal triunfe, basta que os bons não façam nada.“ 
(Edmund Burke)


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...