Depoimento de Alex Connock


''Michael Jackson, em 1990, estava no auge de sua fama. Donald Trump estava inaugurando seu mega cassino Taj Mahal. Se Michael foi pago para aparecer ou se veio de graça, eu nunca descobri, mas a sua aparição sem aviso prévio causou uma tempestade de areia rodopiando no Taj Mahal.

Tomando Michael pelo braço, Trump o conduziu através do pandemônio no piso térreo. Um passeio abrangente o levou da recepção à escada rolante cheia [não tenho ideia para onde foi]. 

Os caras das notícias de TV rolavam euforicamente para documentar o caos, sem acreditar na sua sorte. Em um ponto, se a memória serve, eles se refugiaram em um restaurante chinês. 


Posteriormente, Michael Jackson se retirou para sua suite. Mais tarde eu ouvi um boato de que ele tinha se deslocado disfarçado como uma senhora idosa. Na manhã seguinte no meu quarto no Taj, meu telefone do hotel tocou.

"Bom dia, Alex", disse Trump. ''Gostaria de vir em uma viagem comigo e Michael hoje?''

Nós estávamos viajando em um jato particular - um protótipo do Hair Force One.


Michael era uma presença nervosa, mais alto do que você pensa, com um nariz afinado e uma visível make-up. Se ele tinha cicatrizes, você não poderia vê-las. 

Ele falava muito pouco e nesse sussurro estranho, eu não conseguia entender o que ele estava dizendo e pensei que seria impertinente lhe pedir que repetisse. Então eu assenti junto, sorrindo com entusiasmo. Trump foi educado e bem-humorado sobre Michael.

Michael pegou um exemplar da revista National Enquirer. As suas manchetes de primeira página eram frequentemente sobre Jackson. Mas desta vez era sobre Donald Trump.

Nesse ponto, eu lembrei do meu curso no foto-jornalismo. Um retrato de Michael Jackson lendo o National Enquirer, com uma reportagem de capa sobre Donald Trump, que estava sentado ao lado dele em um jato particular, teria sido um estudo clássico da mídia.

Eu tinha uma câmera sobre a mesa, mas por algum motivo eu não pude alcançá-la. Como Madame Bovary, eu queria me sentir como um dos aristocratas na sala, em vez de um camponês com o nariz pressionado contra o vidro. Ou talvez fosse apenas covardia. Estas celebridades semi-deuses são caprichosas. Acesso tão casualmente concedido poderia ser rapidamente retirado.

Após o desembarque em Indianápolis nós finalmente descobrimos para onde nós estávamos indo. Como se viu, a razão de estarmos lá era de que Michael Jackson queria visitar uma criança doente.

[Nota deste blog: a criança era Ryan White.]

Tudo foi incrível. Os subúrbios eram rastreados, as sirenes soavam, as luzes piscavam. A comitiva teve que ficar paralisada em um canto quente da rua enquanto alguém procurava um número rabiscado em um pedaço de papel. e então fomos a um telefone público. Duas mulheres vagueavam.

"Quem está na limusine?'', elas perguntaram.

"Donald Trump," eu anunciei com uma mistura cuidadosamente calibrada de orgulho e indiferença.

"Sim, claro", disse uma delas.

Hora de jogar o meu segundo cartão: 'E você não vai acreditar, mas Michael Jackson está lá também."

Ambos sorriram sarcasticamente, em seguida, se afastaram. Eu fiquei ao lado do carro. Trump escreveu uma educada nota de agradecimento para o cara que tinha emprestado o jato para Michael Jackson - Akio Morita, co-fundador da Sony.

Trump e eu, em seguida, nos acomodamos no banco de trás de outra limusine para um passeio de volta para New York.

Agora, como a maioria das pessoas, eu olho com espanto absoluto quando ele vai ao ar [na mídia] suas grandes ideias: o muro mexicano, a proibição de viajar para os muçulmanos, a política comercial protecionista, a aversão ao controle de armas. Nenhuma de suas atitudes reacionárias estava em evidência quando eu o conheci um quarto de século atrás.

De qualquer maneira, ele, pelo menos, sabe alguma coisa sobre como ser presidente - ele sabe como balançar uma carreata. Ele sabe como criar uma boa narrativa. E ele sabe como explorar o carisma - seja a de um megastar como Michael Jackson, ou o seu próprio. Tudo o que você pensar de Donald Trump, ele é um thriller.''

Alex Connock [jornalista norte-americano]


Fonte: http://life.spectator.co.uk

Nenhum comentário

Postar um comentário

*Bem-vindos, Moonwalkers! :) Os comentários são moderados e estarão visíveis tão logo eu esteja on-line.
**Para assuntos privados e não referentes à matéria eu peço que utilize o email [cartasparamichael@gmail.com] ・。.。・゚゚・。.。・゚゚・。❊
*Rosane [admin. do blog]

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...