A amizade entre Brett Ratner e Michael


"Eu liguei para [Brett] Ratner para lhe perguntar como ele se tornou amigo de Jackson tão rapidamente. Acontece que eles se conheceram em 1998, quando Ratner estava terminando seu primeiro filme - A Hora do Rush

Um dia, Chris Tucker estava fazendo uma cena, imitando uma dança de Michael Jackson em um estilo selvagem. A seqüência era tão engraçada que quando Ratner teve as sessões de teste do filme, deu muitas gargalhadas.

Mas porque era uma referência óbvia sobre Michael Jackson, Ratner sabia que tinha que solicitar autorização à estrela pop, antes de colocá-la no filme.

Isso apresentava um problema,  uma vez que Jackson era tão recluso que até mesmo Ratner, uma das celebridades do nosso tempo, não poderia chegar até ele. Ele mesmo ligou para Jackson no rancho Neverland, mas não teve êxito.

Então, ele teve sorte.

"Meu editor estava conversando com o projecionista que dirigia a seleção final e se descobriu que ele era o projecionista pessoal de Michael'', Ratner me disse. Então eu lhe dei a gravação e lhe pedi para rodar o início do segundo rolo para Michael, onde Chris faz a tal dança.''

Dois dias depois, Ratner pegou o telefone e ouviu a voz macia de Michael Jackson. Então, o que Michael diz?

"Michael disse que tinha visto o filme inteiro e adorado, especialmente a cena onde Chris faz a sua dança. Ele disse: 'Você tem a minha permissão para usar o que quiser."

Isso foi ótimo, mas Ratner precisava de algo por escrito. Quando ele pediu para Michael Jackson autorizar por meio de um papel, este o convidou para ir ao rancho.

"Então, eu dirigi até lá e entrei, com todas as suas girafas e outros animais, havia de tudo para me recepcionar", Ratner lembra. "Acabei por ficar no rancho e nós simplesmente nos tornamos grandes amigos. Nós dois tínhamos esse fascínio enorme - quase infantil - por filmes, música e todo tipo de entretenimento."

Ao longo dos anos, Ratner e Jackson passaram muito tempo juntos. Um filmava o outro, com Jackson perguntando a Ratner sobre como ele se tornou um diretor de cinema e Ratner perguntando a Jackson sobre como ele se tornou um artista.
Leia mais aqui

"Eu tenho horas de imagens de nós, sentados usando pijamas, comigo perguntando a ele sobre o tipo de música que ele amava quando era criança, sobre os livros que ele tinha quando criança.

 Brett Ratner, Michael, Al Malnik e Chris Tucker
Quando você estava com ele, você realmente sentia que Deus estava dentro dele. Ele era um incrível tipo sobre-humano de pessoa, mas ele sempre o tratava como um igual . Ele era seu amigo e ele nunca pedia nada em troca."












Com a mãe de Brett Ratner







Com Warren Beatty e Brett Ratner no Beverly Hills Hotel
Com Warren Beatty e Marc Schaffel
Com Fanita (avó de Brett Rattner), Warren Beatty e Robert Evans
Uma de suas atividades favoritas era dançar na sala de jogos, na casa de Jackson, que colocava alguma gravação - geralmente uma canção de sua irmã Janet - e fazia alguns movimentos impressionantes de dança. Então Ratner ou Chris Tucker, que, às vezes, por ali passavam, tocavam as músicas de Michael e dançavam juntos com ele.

Quando eles não estavam dançando, Ratner e Michael assistiam filmes juntos. Ele conta que eles devem ter assistido a versão original de Willie Wonka e a Fábrica de Chocolate 50 vezes, ao longo dos anos.

"Eu sei que as pessoas olhavam para Michael e pensavam que ele era estranho, mas para mim, ele era fascinante", diz Ratner. "Ele foi a pessoa mais inspiradora na minha vida. Seu único sonho era o de curar todas as crianças doentes no mundo.

E quando eu dizia: 'Não é impossível?' Michael simplesmente ia às lágrimas. Ele era muito emocional sobre as coisas que lhe tocavam. Michael Jackson era uma pessoa inocente em um mundo que não era inocente.''

Os vídeos onde Chris Tucker lembra Michael:
A Hora do Rush e A Hora do Rush 2

video

video

by Patrick Goldstein (em matéria para o L.A. Times)

Fontes:
http://latimesblogs.latimes.com
Créditos: Love Live Forever
Imagens e videos do meu arquivo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...