Anaré V. Holmes


''A escritora aclamada pela crítica Alice Walker escreveu certa vez:

Os modelos na arte, no comportamento, no crescimento do espírito e do intelecto - mesmo que rejeitados - enriquecem e ampliam nossa visão da existência.

Michael Jackson foi um modelo para mim. Sua música me permitiu escapar das minhas circunstâncias imediatas de lidar com a solidão e o isolamento.

Eu me sentia como uma criança bem jovem, se ajustando a uma nova famíia, no verão e outono de 1983. Na época, o álbum Thriller de Michael Jackson acalmava a minha alma com seus hits clássicos: Billie Jean, Beat It e, claro, a faixa-título.

Sempre que eu estava me sentindo para baixo, eu ia para o meu quarto, ligava o aparelho de som, fechava os olhos e entrava em um mundo imaginário, onde eu era o artista a se apresentar no palco.

Cuidadosamente, eu observava a coreografia de Michael Peters, que orquestrou o sapateado capturado no vídeo Beat It. Eu tinha todos os passos sob controle, enquanto eu cantava junto com Jackson.

Tudo tinha que ser perfeito, porque eu estava atuando bem na frente de Jackson. Pois lá estava aquele poster dele, com a jaqueta de couro marrom, pairando acima da minha cama. Com Jackson assistindo, eu tinha que estar no ponto. Após a performance, eu me sentia melhor.


Eu imaginava que eu, também, um dia teria o meu momento de brilhar sob o calor dos holofotes.

O palco onde Michael Jackson se apresentava sempre pareceu ser o lugar onde as pessoas concentravam a sua atenção exclusivamente sobre ele. Era o lugar onde as pessoas gritavam, aplaudiam e gritavam seus louvores. Eu queria [isso] porque parecia ser amor.

Eu sabia que era possível para um menino negro comandar esse nível de atenção e respeito por causa do Jackson. E assim, eu me atrevi a sonhar. Comecei a visualizar o que era possível para a minha vida.

Jackson pode ter feito sua transição física da Terra, mas o tesouro que ele deixa para trás é eterno. Seu talento, arte e as barreiras que ele superou são uma prova de tudo o que podemos fazer quando escolhemos seguir a paixão e o propósito que vivem dentro de nós.''

by Anaré V. Holmes 

*Título original do texto: Michael Jackson: Um tesouro americano

Fonte: http://qbcfestival.wordpress.com

8 comentários:

  1. Que texto lindo, acho que eu já conhecia esse depoimento *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito lindo mesmo, amiga. Michael também injetou um grande dose de auto-estima nas pessoas da raça negra, com seu exemplo de superação.

      Excluir
  2. Michael foi e sempre será um modelo para as pessoas, não só como artista mas como ser humano.

    ResponderExcluir
  3. Tô já pra chorar aqui Rosane,
    com tanto depoimento lindo e inspirador!

    Será que Michael tinha idéia do quanto ele fez a diferença na vida de tantas pessoas?

    ResponderExcluir
  4. A medida real? Eu acredito que não. Tem um depoimento aqui publicado, onde o sobrinho de Michael conta ter dito a Michael que ele tinha lhe proporcionado os momentos mais felizes de sua vida.

    Ao que Michael lhe respondeu:

    ''Isso é verdade??'' Com genuína surpresa.

    Foi mais ou menos assim;

    ResponderExcluir
  5. E acho que Michael só se deu conta do quanto ele influenciava os jovens a partir do momento que ele viu muita gente imitando-o na dança, no modo de se vestir e até mesmo com o deslumbramento dos colegas quando estavam na presença dele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E ele devia sentir um orgulho danado sobre isso.

      Excluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

*Bem-vindos, Moonwalkers! :) Os comentários são moderados e estarão visíveis tão logo eu esteja on-line.
**Para assuntos privados e não referentes à matéria eu peço que utilize o email [cartasparamichael@gmail.com] ・。.。・゚゚・。.。・゚゚・。❊
*Rosane [admin. do blog]

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...