Dianne Chilgren


''A bela capacidade de escrita de Michael não era conhecida por muitos, exceto é claro, uma vez que aplicado às letras de suas músicas. De alguma forma, apenas não ocorria para as pessoas que a sua prosa ou poesia eram tão boas quanto as suas letras! Quando eu contava para alguém o quão maravilhosa era a sua escrita, eles ficavam sempre surpreendidos. Por quê?

Ele era de fato um indivíduo multi-talentoso e multi-facetado e era um Homem Renascentista, por assim dizer. Claro, aqueles que trabalhavam com ele percebiam que elee poderia cantar, dançar, escrever música, criar apresentações, atuar etc

Ele também poderia pintar e desenhar muito bem [muitas de suas pinturas foram descobertas após a sua passagem, em uma área enorme de armazenamento em um aeroporto].

Ele também era muito atlético e ele poderia ter escolhido isso, ser um corredor, um tenista, ele poderia fazer praticamente tudo, inclusive cozinhar! Eu não posso falar pelos outros, somente por mim mesma.

Desde o início eu estava muito impressionada com suas habilidades na música e na dança e embora eu tenha capacidade considerável no campo da música [sendo uma musicista profissional e performer] fiquei chocada com o quanto ele sabia sobre música - e ele nunca foi formalmente educado!

Ele tinha um ouvido fenomenal e poderia ouvir os menores erros no palco, enquanto ele mesmo se apresentava.

Eu tenho trabalhado com dançarinos por toda a minha vida - como solista de piano para o New York City Ballet, Pacific Northwest Ballet [em Seattle] e a Zurich Company na Suíça - por isso estou muito familiarizada com a dança, o balé clássico e particularmente o repertório de Balanchine. 

Eu sempre soube exatamente os passos que estavam ligados à música e essa habilidade especial me levou a trabalhar com George Balanchine, Jerome Robbins, Rudi [Rudolph] Nureyev, etc. E a minha capacidade de compreender a música facilmente era uma ferramenta pouco útil! Eu nunca pensava muito sobre isso, era fácil para mim, então eu tinha como certo.

Lembro-me observando Michael com sua capacidade de tomar a coreografia na queda de um chapéu, me fascinou... ele me olhou com surpresa, dizendo: "Bem, Dianne, é apenas como você pode olhar para uma parte da música e imediatamente tocá-la. Isso realmente explode em minha mente!"

É claro que ele não tinha uma noção real de quão rapidamente ele aprendia os passos de dança.

[Eu realmente gostaria que ele pudesse ter trabalhado com um coreógrafo como Jerry Robbins, por exemplo, cujas obras ele poderia dançar maravilhosamente, eu tenho certeza. Ele não havia treinado para ser um bailarino e não queria ter as coxas musculosas que os bailarinos mais viris adquirem através da sua formação.]

Não. Michael queria seu visual esguio, então ele treinava para esse tipo de musculatura. Quando eu o assistia trabalhar, eu sempre desejei saber qual era a parte de seu cérebro que ele estava usando para a dança, e qual a parte para a música.

[Na verdade, eu gostaria de poder ver o interior do seu cérebro!]

Porque ele era definitivamente uma mistura dos dois.

Eu tenho que dizer que eu estava totalmente hipnotizada por ele e realmente gostava de passar tempo com ele. Aparentemente ele sentia o mesmo por mim, por isso ficamos muito próximos por um bom tempo. 

Porque ele era tão magro, eu pensei que ele não comia muito e às vezes, ele não o fazia. Mas ele tinha um apetite muito saudável, bem como e especialmente amava os jantares... como frango ou peru, purê de batatas com molho, legumes e salada. [KFC também era um grande favorito.]

Além disso, o bolo de chocolate! Ele definitivamente tinha uma ''queda'' pelos doces embora ele não abusasse das sobremesas. Nós não saímos para jantar, o que não teria funcionado, por razões óbvias.

[Na minha opinião, havia essa coisa que era a fama demasiada! Ele definitivamente a tinha demais e isso o impediu de viver a sua vida de uma forma mais normal.]

No entanto, ele levava tudo na esportiva, pensando que as coisas eram como eram. No entanto eu me preocupava com ele o tempo todo e o advertia a ter muito cuidado com as pessoas [eu não me referia à sua família, por exemplo, ou aos seus músicos, ou a mim].

Ele era uma pessoa TÃO BONDOSA e faria qualquer coisa para qualquer um, não importando quem eles fossem. Isso era muito bom e correto, mas para ele lhe trouxe muitos problemas, como todos sabem. Ele representava 'cifrões' ($ $) para muitas pessoas, até mesmo para alguns de seus funcionários. Eu não sei como ele foi capaz de lidar com tudo isso. Mas ele o fez!

Tal pessoa brilhante, ele realmente tinha uma mente brilhante. E ele quase nunca reclamava. Ele desempenhava com amor e a adulação da multidão o energizava.

No palco, ele entrava em seu próprio mundo e apenas "fazia a sua coisa." Foi muito divertido vê-lo a partir dos bastidores. Quando eu estava lá costumávamos voltar para seu hotel, pedir o serviço de quarto e assistir televisão!

A Bad Tour foi uma em que ele queria que eu fosse participante e para tocar teclado com os outros músicos [havia outros dois tecladistas, um deles era Greg Phillinganes, que tinham estado com ele por algum tempo. Greg era e ainda é excelente - ele poderia tocar de ouvido! Ele não era um pianista de concerto, mas isso não importava].

A turnê estava programada para ser muito longa e eu estava relutante em me comprometer por período de tempo tão extenso. Eu tinha concertos agendados e não queria cancelá-los. Ele entendeu, mas ficou frustrado e um pouco chateado, eu acho. Agora, quando olho para trás, eu gostaria de ter ido com ele.

Ele queria que eu me transferisse para a sua casa em Encino [ela era chamada de Hayvenhurst] onde ele e sua família viviam, juntamente com alguns animais exóticos também! Eu estava um pouco apreensiva [não sobre os animais exóticos, mas estar na casa com o seu pai] mas Michael me garantiu que Joseph [como todos o chamavam] me deixaria em paz. Dessa forma eu poderia ensaiar com ele e os outros músicos, bem como praticar minhas peças de concerto.

[Logo aprendi que quando ele tinha uma ideia, ele visualizava tudo em torno dela... todas as possibilidades e contingências.]

Ele fez tudo parecer tão absolutamente convidativo e possível que realmente foi difícil tomar uma decisão. Seus irmãos tinham saído até então, embora os irmãos Jackson fossem muitas vezes à casa, em visita.

[Todos eles eran muito próximos de sua mãe - nenhum mais do que Michael.]

Suas irmãs LaToya e Janet ainda moravam lá, Rebbie havia deixado o ninho há muito tempo para se casar com Nathaniel Brown. A casa tinha sido reformada por Michael e a ele pertencia a escritura, e ele compartilhava com a sua mãe para que ela tivesse algo próprio.

[Eu não acho que eu já conheci um homem que fosse mais dedicado à sua mãe do que Michael.]

Ele ainda não estava morando no seu rancho Neverland, mas estava em obras. Ele tinha grandes planos para a propriedade e elaborou inúmeros cenários e mapas. Ele falava constantemente sobre isso, como era para ser sua casa "para sempre".

Eu mal podia esperar para que isso acontecesse. Ele estava construindo um zoológico para todos os seus animais, um teatro [é claro] o qual incluía dois quartos [fechados com janelas de vidro] com camas hospitalares para crianças com doenças terminais.

Incluído na propriedade era para ser algo como um parque temático da Disney, com muitos passeios maravilhosos [incluindo um carrossel - o meu favorito].

Deveria ter um trem que corresse ao redor da parte residencial do imóvel. Ele pensou em tudo e às vezes parava o que estava fazendo [de trabalho] e escrevia algo sobre essa propriedade. Ele trazia toda a sua poderosa imaginação para apoiar a criação desta residência.

As filmagens de Say Say Say foram feitas na propriedade. Paul McCartney e sua mulher a tinham alugado por um breve período de tempo e Michael ficou encantado com ela.

Quando ele compartilhou suas idéias comigo foi como assistir a um mago criar uma ilusão, porque quando ele descrevia algo, poderia realmente se ver.

Neste momento a sua cor da pele ainda estava escura, embora tivesse clareado consideravelmente. Quando ele se apresentava, o suor em seu rosto fazia sua maquiagem escorrer e era possivel ver as manchas em sua pele. Eu sei que isso realmente causava-lhe sofrimento, mas ele principalmente tentava ignorar.

Infelizmente muitos não acreditavam que ele tinha vitiligo [doença de pele que provoca a sua depigmentação - pessoas brancas, por exemplo, tornam-se albinas] e achavam que ele estava tentando se tornar branco. Nada poderia estar mais longe da verdade. Michael era um homem afro-americano com cabelo preto encaracolado e que era orgulhoso de sua herança.

Sempre foi um mistério para mim porque ele foi criticado tão violentamente por isso e outros assuntos.

Ele não tinha controle sobre a cor de sua pele [mais do que você ou eu] e teria preferido [se possível] continuar a ser um negro americano. Não me importava de que cor ele era; ele era apenas Michael para mim. Eu disse isso a ele, sabia que eu o amava como ele era. Preto, branco, verde, ou alguma coisa entre isso!

Uma coisa que realmente o incomodava como um jovem adolescente era o tamanho de seu nariz. Aparentemente ele sofria gozações sobre isso enquanto era criança. Então, ele o mudou um dia [isso foi antes de eu o conhecer - ele me falou sobre isso].

Ele disse que chegou em casa com curativos no rosto e sua mãe quase desmaiou. Agora, por que isso deveria preocupar as pessoas está além de mim. Quase todas as celebridades [assim como outros] freqüentemente remodelam o nariz.

Eu, pessoalmente, acho que ele foi um pouco longe demais com esse negócio de diminuir o nariz, mas era o nariz dele. Por que ele não deveria fazer o que ele quisesse? Ele certamente poderia pagá-lo! Essa foi a única coisa que ele fez em seu rosto, no entanto. Ele não mudou suas maçãs do rosto, embora tivesse posto uma fenda em seu queixo. [Ele gostava de como isso aparentava em Kirk Douglas!]

Ele não conseguia entender o fascínio da mídia com todos aqueles problemas pessoais. O que lhe interessava era como a mente de alguém funcionava, o que elas pensavam, o que eles conseguiam, etc

Ele estava tão longe de ser mesquinho, interessado em fofocas ou o que os tablóides ofereciam.

Me aborrece tanto ver o que as pessoas realmente escreviam sobre ele. A maior parte era absurdo - fabricavam mentiras, só para vender revistas ou jornais. Lembro-me de ler uma dessas revistas terríveis e, em seguida, jogá-la ao chão! Eu estava tão irada! Michael apenas disse 'não se preocupe com tudo isso. Eu não me preocupo'.

E então ele jogou a revista longe. É assim que ele era! Pareceu-me que a imprensa constrói uma pessoa até um minuto só para derrubá-las no próximo. Isso foi o que aconteceu com ele.

Ele deixou de ser o queridinho do mundo da música pop para ser criticado por tudo que ele fazia. Eu odiava isso!

[Foi então que me lembrei do Sr. Balanchine me dizendo no elevador no New York State Theater, ''não ponha muita fé em qualquer comentário que possa receber''.

Eu tinha recém tocado no Alice Tully Hall e recebí um comentário maravilhoso. Ele disse "Se você acredita nos bons, então você tem que acreditar em BAD.Melhor não acreditar em nada e apenas fazer o seu trabalho!"

Homem sábio! Michael disse exatamente o que o Sr. Balanchine tinha dito para mim ... e ele disse a mesma coisa... "ele está certo... você só pode acreditar em si mesmo." Oh garoto! Eu aprendi algo sobre Michael naquele dia. Que caráter forte ele tinha!

Lembro-me que no dia de sua passagem eu tive que ir para o trabalho no PNB.... eu não queria.... mas tinha que fazer. Meus olhos estavam vermelhos e eu não conseguia parar de chorar. Uma das garotas me perguntou o que estava errado, e eu disse: "Michael Jackson morreu ontem, e eu não acho que posso lidar com isso."

Outra garota me disse ... "Dianne, eu espero que você não esteja TÃO chateada." Muito chateada? O que é isso, afinal? Eu olhei para ela e disse: "Eu estou mais chateada do que você possa imaginar."

Claro, elas não conheciam como tinha sido a minha história com ele, por isso, quando alguém começava a falar sobre ele, eu calmamente dizia que seria melhor não falar sobre ele para mim, especialmente se fosse negativo.

Então eles me deixaram em paz, que era o que eu queria. Só de estar perto de pessoas aquele dia foi demais! Fui para casa naquela noite e decidi não trabalhar no dia seguinte. Eu precisava ficar sozinha! [Enquanto eu escrevo isso, eu posso sentir as lágrimas começar.]

Michael amava tanto a música... mais do que qualquer outro músico que eu já conheci. Ele poderia ouvir por horas! Eu estou falando da música clássica! Ele adorava Tchaikovsky, Debussy, Ravel e muitos outros compositores. Uma de suas músicas favoritas era O Quebra-Nozes!

Quando ele me disse isso, eu ri tanto! Claro, ele não sabia que eu tinha tocado O Quebra-Nozes na época do Natal para os ensaios para o ballet e também toquei na orquestra [por anos] e praticamente sabia a pontuação de cor. Quando eu disse isso a ele, ele me pediu para tocar um pouco dela no piano .

Ele nunca tinha ouvido O Quebra-Nozes tocada no piano, apenas gravações orquestrais. Então é claro, eu me senti ''obrigada''... aconteceu de eu ter a partirura em casa! [Eu não acho que ninguém mais poderia ter me convencido a tocar O Quebra-Nozes em casa no piano.]

Ele estava absolutamente fascinado com a minha adaptação da partitura para piano .... e me queria para continuar tocando! Naquele dia eu toquei a maior parte dela para ele.... você pode acreditar nisso? Eu ainda rio de mim quando penso naquele dia! Ele também adorou Afternoon of a Faun de Debussy... mais algumas outras músicas de Debussy. Ele me pediu para tocar essas peças também. E Ravel e Bach.

O que eu fiz, é claro. Então eu acabei tocando uma grande quantidade de música para ele, naquela ocasião. Ele era um excelente público! Em um desses dias musicais, pedi-lhe para cantar Ben para mim e eu o acompanhei. Nunca vou esquecer isso!

Às vezes, ele tinha um olhar distante em seus olhos e eu gostaria de saber o que uma música ou uma parte da música lhe recordava.

[E às vezes, ele acordava com uma parte de música já feita em sua cabeça!]

Uma dessas vezes, eu corri para buscar o meu caderno e lápis e pedi-lhe para cantar a melodia para mim.... e eu escrevi o que ele cantou instantaneamente. Ele tinha toda a peça na cabeça.... a instrumentação, os vocais, as harmonias vocais, palavras, percussão - tudo!

Sua capacidade de cantar todas as partes em um gravador é bem conhecida [com o ritmo também]... beat box, como é chamado... mas foi muito fascinante realmente ouvi-lo fazer isso. Quando ele gravava uma canção, ele cantava todas as harmonias de sua própria voz, uma por uma e lembrava-se de todas as outras que ele tinha acabado de gravar.

Isto NÃO é fácil. Todos os vocais eram absolutamente bem colocados. Ele tinha um ouvido absoluto ... [o inato conhecendo os pontos de todas as notas.]

Eu tenho essa capacidade, mas não é tão comum. Muitos músicos não têm esse talento particular. Ele é um grande trunfo na performance e é muito útil na tomada de ditado musical. Eu tenho que dizer aqui que ele era como uma torneira de água - quando a torneira era ligada, a música apenas jorrava. Todos os dias eu aprendia algo novo sobre ele.

Quando eu assisto performances de Michael agora e ouço como muitos falam sobre ele, eu volto a me lembrar de seu real ser.

Eu sempre tive um pequeno problema em conciliar a pessoa real com a grande estrela e intérprete que ele era. Na verdade, eu quase nunca pensei sobre o quão famoso ele era durante nosso relacionamento. Apenas não conteceu.

É assim que acontece com qualquer pessoa que você conhece pessoalmente, e que acontece de ser um artista de renome mundial. George Balanchine me à mente... que era o diretor e coreógrafo chefe do New York City Ballet [e meu 'chefe']. Jerry [Jerome] Robbins, um dos coreógrafos mais famosos do mundo e criador de West Side Story, Rudolph [Rudi] Nureyev, que foi o mais famoso bailarino do nosso tempo, etc

Todos eles trabalharam duro em seu ofício, assim como eu e todos nós trabalhamos juntos. Foi a mesma coisa com Mike... ele trabalhou muito duro em seu ofício e muitas vezes gravava uma canção 20 ou mais vezes para consegui-la 'melhor'.

Ele também repassava seus shows [em dias de não-performance] pelo menos duas vezes.

Ele fazia todos os seus números até o fim e esperava que os outros fizessem o mesmo. Michael não agia como uma grande estrela nesses casos - ele se comportava como se ele ainda não tivesse chegado a esse auge!

Ele acreditava em ensaiar, isso era certo. Ele sabia que a repetição é a chave para um desempenho perfeito ou quase perfeito. [Foi assim que ele foi criado, ele aprendeu tudo isso quando era criança. Trabalho, trabalho, trabalho!]

Quando dançarinos que conheço queixam-se de ensaios constantes, quero falar-lhes sobre Michael... nunca ninguém trabalhou mais do que ele fazia. Ele não estava consciente do efeito que tinha sobre as pessoas, na verdade, ele era muito tímido.

Eu acredito que ele apreciava que eu não caísse no chão, desmaiada, sempre que eu estava ao seu redor! Quando eu li o que as pessoas, especialmente as mulheres escrevem sobre ele, eu ri de mim mesma.

Parece tão bobo ficar assim sobre alguém - estrela ou não - esse é o meu sentimento, de qualquer maneira. Michael era um homem real, com sentimentos de boa-fé e questões. Ele não era perfeito, mas era mais próximo da perfeição que a maioria.

Ele tinha um fabuloso senso de humor e ria com facilidade, às vezes com uma gargalhada 'perversa' - isso sempre me fazia rir!

Às vezes, ele poderia ser muito bobo, mas era sempre divertido! E ele gostava de brincar... Lembro-me da época em que ele me perseguiu por aí com uma aranha [bastante grande] em uma pequena caixa.

[Ele, é claro, não tinha medo de qualquer inseto, cobra ou animal.]

Eu gritei e tentei fugir, mas ele me pegou - ele era mais rápido - e colocou a aranha na minha mão. Ugh! Eu não gostava muito, mas ele pensou que era histericamente engraçado! [Meu próprio irmão costumava fazer isso para mim... Eu detestava aranhas.]

Michael sempre foi atraído para as questões espirituais e escreveu muito sobre esses assuntos. Seu livro Dancing The Dream é um caso em questão. Tenho estado a ler o livro de novo e me maravilhar com a forma como as suas palavras poderiam esclarecer e elucidar. Estou incluindo um poema curto aqui:

Se Libertando

'Toda esta histeria, toda esta comoção
Tempo, espaço, energia são apenas uma noção
O que conceituamos que por nós foi criado
Todos aqueles amados, todos aqueles odiados
Onde se começa, onde se acaba
Tempo é flecha, difícil de ser dobrada
Aquelas promessas quebradas, o que significaram?
Aquelas cartas de amor, que nunca chegaram.'

Ele escreveu muito sobre o planeta e compôs a música Earth Song, implorando que as pessoas sejam conscientes dos danos antes que seja tarde demais. [Esta foi uma de suas últimas apresentações no Staples Center, perto do fim de sua vida.]

Ele falou com todo o elenco, dizendo que teríamos quatro anos para fazer a coisa certa, antes que fosse tarde demais.

Isso foi em 2009 e agora se passaram 5 anos... é tarde demais? Considerando-se o inverno passado em todas as partes do mundo, eu me pergunto se Michael era um visionário, se ele poderia ver o que a maioria não conseguia.

Ele também escreveu: "Temos tratado a Mãe Terra da mesma forma como algumas pessoas tratam um apartamento alugado. Apenas o estragam e seguem em frente'' e ''Temos de curar nosso mundo ferido. O caos, desespero e destruição sem sentido que vemos hoje são o resultado da alienação que as pessoas sentem umas pelas outras e seu meio ambiente. Muitas vezes, essa alienação tem suas raízes em uma infância emocionalmente carente. As crianças tiveram sua infância roubada delas. A mente da criança precisa alimentar-se de mistério, magia, admiração e emoção. Eu quero o meu trabalho para ajudar as pessoas a redescobrir a criança que se esconde em si."

Ele também escreveu a respeito de Deus, Amor, Êxtase, Confiança, Magia. "Minha ideia de magia não tem muito a ver com truques de palco e ilusões. O mundo inteiro está repleto de magia....''

E ele escreveu sobre os animais [há uma história especialmente encantadora sobre um bebê foca], elefantes [ele amava elefantes], céu, anjos, estrelas, música e dança.

[Como eu faço música] "As pessoas me perguntam como eu faço música. Eu digo-lhes que elas apenas vêm. É como pisar em um rio e juntar-se ao fluxo. Cada momento no rio tem a sua canção. Então eu permaneço no momento e ouço. O que eu ouço nunca é a mesma coisa. Um passeio pelo bosque traz uma música luminosa e crepitante: folhas farfalhando ao vento, pássaros chilreando e esquilos ralhando, galhos quebrando sob os pés, e a batida do meu coração mantém todos juntos. Quando você junta-se ao fluxo, a música está dentro e fora, e ambos são a mesma coisa. Contanto que eu possa ouvir o momento, eu vou ter sempre a música."

Tenho a certeza de que onde quer que esteja agora, ele tem a música e não tenho dúvidas que ele está compondo. Ao escrever isto, estou ouvindo o lançamento do CD mais recente = Xscape - que é maravilhoso.

E eu assisti o documentário de LA Reid, Rodney Jerkins e os outros que trabalharam neste CD. [Rodney disse que tinha sonhado que ele iria trabalhar com Michael, antes de conhecê-lo. E isso se tornou realidade.]

Ele contou para Michael e este lhe disse, ''Os sonhos quase sempre se tornam realidade."

No dia anterior de sua passagem eu sonhei com ele e não foi um sonho bom - e se tornou realidade. Eu me sinto muito próxima a ele e não passa um dia em que eu não pense nele. Seus instintos e ações humanitárias pareciam não conhecer limites. Aquele homem era generoso e amável como nenhum outro e eu sinto falta dele terrivelmente.

Quando alguém diz alguma coisa negativa sobre ele, eu realmente tenho que me conter. Eu acho que olhar no meu rosto é o suficiente para parar com as observações complementares... a carranca parece funcionar! É gratificante que este novo CD tenha sido lançado. Michael iria querer isso. Ele estava ansioso para que o seu trabalho fosse ouvido e preservado, e ele era tão prolífico [como uma torneira de água, como eu disse antes].

Ele escreveu muitas, muitas músicas para cada um de seus álbuns para que houvesse uma grande escolha e eram utilizadas apenas uma parte delas, por qualquer razão. Eu sei que ele estava indo em uma direção clássica [com uma batida] e ele queria estudar música de uma forma mais formal, aprender a teoria da música, a formalização da composição, a anatomia da música, como os compositores faziam e porquê etc eu poderia tê-lo ajudado com tudo isso. [Não que ele precisasse, mas ele queria saber.]

Dianne Chilgren
Eu queria que ele compusesse uma música para eu tocar no piano, em um concerto. Embora ele ainda não a tivesse criado, eu sabia que algo estava germinando em seu cérebro, porque quando eu perguntei a ele sobre isso no telefone, ele apenas riu e disse, ''tudo a seu tempo, garota, tudo no seu tempo.''

Bem, o tempo é agora... eu acho! Talvez algo irá aparecer! Nunca se sabe!''

by Dianne Chilgren
*Pianista e pedagoga.

Fonte: http://pianocontessa.blogspot.de

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...