The King of Style: Dressing Michael Jackson (05)


O Enigmático

''Como todo o professor verdadeiramente inspirador que quer impactar seus alunos, os métodos de Michael para moldar o nosso processo criativo eram discretos.

Um dos seus movimentos mais engenhosos era fazer perguntas enigmáticas, nos fazendo buscar uma agulha em um palheiro para resolver enigmas. Poderíamos dizer que ele achava que era engraçado nos desconcertar.

E, em certo sentido, este jogo incrível foi uma das melhores maneiras que aprendemos com Michael. Só que não sabíamos disso, na época. Uma noite muito tarde eu atendi o telefone.

"Há algo que todos podem reconhecer. O que é?"

Oh, genial! De que diabos você está falando?

24 horas após a primeira chamada, o nosso telefone tocou novamente.

"Bem, o que ocorreu para você?'', perguntou Michael.

"Umm, Mickey Mouse?'', eu respondi. ''É a resposta certa?''

"Bush, essa é uma grande resposta, mas não é isso.''

"Oh."

"Pense bem. É algo com o qual todos podem se relacionar. O que é?"

"Você acha isso, Michael?", me dei por vencido.

"Bush, eu estou perguntando para você."

Como se Dennis e eu pudéssemos ter apetite depois de receber as chamadas do Enigmático, acabamos por sair para jantar esta semana.

Eu não sei como veio tão rápido, mas no momento em que eu olhei para o meu lugar, lá estavam eles: garfo, faca e colher. Certamente, todo mundo já os viu. E foi isso que eu disse a Michael, quando eu liguei para ele naquela noite.

"Ótimo, Bush. Agora coloque a eles em uma jaqueta para mim."

A minha pergunta imediata para Dennis foi, ''Como?''

Eu tinha aprendido que não havia nenhuma razão para perguntar o porquê para Michael Jackson. Ele não sabia o porquê. Não havia um porquê. Era uma maneira genuína de pensar que simplesmente não poderia explicar, por isso era melhor aceitar do que lutar contra isso.

Muitas vezes íamos fazer compras no mercado público ou em qualquer lugar e ficávamos petrificados porque víamos Michael olhando em todos os lugares, com penetrantes olhos e esperando que nós percebêssemos o que ele estava vendo.

Muitas vezes, voltávamos para o carro e me sondava, ''Oh, Bush, você viu aquilo?''

"Claro que não. Eu perdi."

"Oh, você deve voltar", disse ele, abrindo a porta do carro e me empurrando para fora. Michael estava nos treinando para chegar à sua mente, para conhecer a sua mente em um nível visceral.

Tratar de nos ensinar o que influenciava Michael, no que se fixava, era um convite para saber o que o movia. Esse aprendizado acontecia observando as reações de Michael em frente às roupas que fazíamos para ele.

Tínhamos que antecipar as suas necessidades e pensar com originalidade, mas o critério final para a criação de peças de vestuário de Michael ficava claro para nós somente depois de olharmos para o seu entusiasmo quando as usava.

Quando Michael estava colocando a jaqueta de talheres, ele foi cativado pelo tilintar dos utensílios de metal, pois a prata reflete a luz e soa como as teclas de um chaveiro. Visualmente e audivelmente, a jaqueta lhe dava um fator de entretenimento. Ele oferecia um efeito especial em si mesma. Que Michael pudesse manusear o efeito ele mesmo, tornava a jaqueta mais divertida.





''Os quatro F para vestir Michael Jackson


FIT (ajuste): O material precisa ser elegante, elástico, muito justo, porém poroso. Nada volumoso. O objetivo era e ajustar às suas roupas, a fim de que sua coreografia pudesse ser facilitada e apreciada.


FUNCTION (função): Para trabalhar com os movimentos de Michael era necessário que as roupas fossem capazes de se esticar. Além disso, a calça boca-de-sino era considerada não-funcional, pois cobriam os pés de Michael causando tropeções.


FUN (divertido): Tecidos que fizessem barulho quando friccionados, zíperes e metais tilintando, Michael amava tudo. Roupas que fluíam e se moviam com ele era divertido para ele. Brilho, salto, até mesmo a eletricidade não era apenas uma adição bem-vinda ao guarda-roupa de Michael, mas um fator de definição do mesmo.


FIRST (primeiro): O nosso pensamento era: "O que Michael ainda não usou? O que não colocamos nele ainda?'' Nós nunca queríamos fazer a mesma coisa duas vezes.''

Por Michael Bush (estilista de Michael Jackson)
Extraído do livro The King of Style: Dressing Michael Jackson

Fonte: MJHideout

11 comentários:

  1. Vocês podem reconhecer que algumas passagens desse livro já haviam sido publicadas aqui no blog, mas a proposta agora é a de publicar a tradução do livro na versão completa.

    Então, certas passagens vocês já devem conhecer e estarão relendo, e outras, são inéditas para mim também.

    ResponderExcluir
  2. Que delícia a jaqueta de talheres!! Como ninguém até hoje deu valor ao seu lado criativo com as roupas? É uma obra de arte, só como o cérebro de Michael funciona.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho muito linda essa jaqueta!

      Excluir
  3. Acho o máximo a importância que Michael dava a tudo, cada detalhe, cada som... Sua percepção de mundo era genuína. Nada passava despercebido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade e, ao mesmo tempo, ele tinha a percepção de uma criança, que se deixa fascinar pelo brilhos do strass e os ruídos dos zíperes e metais.

      Excluir
  4. Olá angel!
    Um "banquete" requintado, necessita de muitos talheres de qualidade para ser apreciado, não é? hahaha...... não resisti ao trocadilho.. :)
    Rô, a primeira vez que reparei que os adereços desta jaqueta eram talheres, não acreditei, achei muito original e só podia ter partido da mente brilhante dele mesmo, genial. E ainda tem gente que acha que ensinou algo p/ ele, ainda bem que existem pessoas como o Michael Bush,que tiveram a humildade em reconhecer que aprenderam muito c/ ele!
    Essa forma fantástica de ensinamento, só os grandes mestres conhecem e, tenho a impressão que ele continua a nos ensinar dessa maneira, não é mesmo?

    Obrigada por nos brindar com a tradução de mais um ótimo livro!\o/

    Bjs! Boa tarde! :-bd

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lady! Eu lembro de que, há muito tempo atrás, eu vi a foto do Mike com a jaqueta mas não tinha reparado que eram talheres. Muito original mesmo, e talvez não ficasse bem em qualquer outra pessoa, mas no Muke, ficou original.

      Bjs!

      Excluir
  5. Ah amiga,
    pode repetir os posts que eu vou adorar ler de novo, amei esse livro. E o que mais gosto é que Michael Bush como estilista, fala coisas muito interessantes sobre a criação das roupas de Michael levando a gente a conhecer muitas coisas sobre o king sem fugir do assunto do livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, angel... o alto astral predomina nesse livro, pessoalmente, eu gosto muito da pessoa dele. :)

      Excluir
  6. Só Michael tem charme para vestir essa jaqueta tão original.

    ResponderExcluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

*Bem-vindos, Moonwalkers! :)
Os comentários são moderados [a fim de evitar spams]
e estarão visíveis tão logo eu esteja on-line.
Esta página é feita com amor e eu agradeço a sua presença.
*Rosane [admin. do blog]

Obs.: Para assuntos não referentes à matéria eu peço que utilize o email [cartasparamichael@gmail.com] ・。.。・゚゚・。.。・゚゚・。❊

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...