Depoimento de Rebecca Walker


''Conheci Michael Jackson em 1984. Ambos estávamos sendo recebidos por Quincy Jones e Steven Spielberg na Amblin, produtora de Spielberg na Universal.

Whoopi Goldberg estava se preparando para interpretar Celie, a protagonista na versão cinematográfica de A Cor Púrpura, um livro escrito por minha mãe, e estava dando uma apresentação particular a pedido de Spielberg.

Michael e eu estávamos sentados na primeira fila. Ele estava usando sua roupa que era a sua marca registrada: uma jaqueta vermelha com dragonas e cordões de ouro no ombro, calças pretas, meias brancas, sapatos pretos e sim, uma luva.

Whoopi estava hilária e em um ponto, me escolheu para a participação do público. Ela fez algumas perguntas e me puxou para o palco. Eu corajosamente aceitei, apreciando a atenção.

Por que Michael se aproximou de mim em uma sala cheia de super estrelas após o show, eu nunca vou saber. Talvez porque eu era a mais nova na sala, e aos 14 eu não tinha um grande nome, uma grande carreira ou uma empresa poderosa.

Eu não tinha idade suficiente para exigir, mesmo em silêncio, que ele fizesse qualquer coisa. Talvez ele tenha sentido que comigo ele poderia ser, de certa forma, livre.

Eu me lembro de sua linguagem corporal. Movia-se lentamente, como um gato muito estiloso, hesitante, mas suave. E então, na mais suave das vozes, ele perguntou como eu era capaz de improvisar comédia no palco. Ele nunca poderia fazer algo assim no local, disse ele. Ele ficaria muito nervoso.

Eu me lembro de ter rido e dito a ele, ''Você seria ótimo, Michael!''

Ele balançou a cabeça e lançou um sorriso tão aberto e vulnerável que eu queria abraçá-lo. Provavelmente eu o teria feito, se ele não fosse Michael Jackson.''

Rebecca Walker (escritora e oradora norte-americana)

Fonte: http://www.huffingtonpost.com

9 comentários:

  1. Consigo ver a cena inteirinha. Como um gato muito estiloso..., na mais suave da vozes... Também acredito que ele seria ótimo improvisando humor no palco, ou qualquer coisa no palco.

    Em outra nota, ao longo de sua trajetória artística, acho que ele se cansou um pouco da luva, não do chapéu ou do casaco, mas da luva.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também consigo vê-lo fazendo humor.

      Excluir
  2. Ele teria sido ótimo fazendo humor, lembram que muitos outros artistas e pessoas que o conheciam de perto sempre citam que ele era engraçado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, muito brincalhão, grande imitador de vozes e expressões faciais.

      Excluir
  3. ''Ele balançou a cabeça e lançou um sorriso tão aberto e vulnerável que eu queria abraçá-lo.''

    ... a gente entende isso... :)

    ResponderExcluir
  4. Boa noite, angels do Mike!

    Concordo com vocês. Michael seria ótimo fazendo comédia, ele possuía muito talento para isso também!

    "Movia-se lentamente, como um gato muito estiloso, hesitante, mas suave."

    Sempre achei que ele lembrava um felino... não só pela beleza! :)

    ''Ele balançou a cabeça e lançou um sorriso tão aberto e vulnerável que eu queria abraçá-lo.''

    E como a gente entende isso... :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, linda! :) Pois é, eu concordo sobre o felino!

      Olha isso,

      ''Ele é belo, felino e febril. Michael Jackson é a criança que existe dentro de nós;''

      http://cartasparamichael.blogspot.com.br/2011/12/chris-roberts.html

      Excluir
    2. Que lindo! Que bom que você touxe de volta outra matéria que diz coisas lindas e perfeitas sobre nosso anjo, do início do blog, que eu não tinha visto também! :-bd

      Excluir
    3. que bom que temos um ''pesquisador'' e que localiza tudo em um minuto rs

      Excluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

*Bem-vindos, Moonwalkers! Os comentários são moderados e estarão visíveis tão logo eu esteja on-line. [Rosane, admin. do blog]

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...