A genialidade de um rei


''Michael Jackson foi tantas coisas e tão único que um elogio definitivo é quase impossível, porque ele nunca diria tudo. Por exemplo, cada pessoa que falou durante o seu Memorial no Staples Center revelou outra faceta de um homem que era tão multifacetado e brilhante como o maior diamante. Na verdade, aqueles que realmente o conheceram disseram que ele era uma joia.

Mas foi Madonna nos Video Music Awards em 2009 cujas palavras vão permanecer comigo:
"Esta magnífica criatura que uma vez incendiou o mundo... Meu Deus, ele era tão único, tão original, tão raro e jamais haverá alguém como ele novamente. Ele era um rei."
Ela falou sobre como seu mundo - o mundo dos seus pares - haviam abandonado ele, e como o mundo o abandonou e o deixou deslizar através das rachaduras, porque nós estávamos tão ocupados em fazer julgamentos enquanto ele estava tentando construir uma família e reconstruir a sua carreira. Seu discurso foi comovente, porque há uma lição nele. 

Na verdade, existem muitas lições sobre o abandono de alguém; prejulgar sobre alguém sem todos os fatos [na verdade, a respeito de julgar os outros por nossos padrões, não as suas normas, isto é sempre verdadeiro]; sobre ouvir o que nós pensamos sobre alguém, em vez de o que eles dizem; sobre não apreciar alguém enquanto eles estão aqui e descobrir que é tarde demais quando elas se vão.

O gênio raramente é reconhecido em seu próprio tempo. Os verdadeiros gênios que marcaram nosso planeta desde o começo da história registrada - a maior parte deles era citada como estranha e eles geralmente eram condenados ao ostracismo por seus contemporâneos. As culturas a partir da qual eles surgiram, muitas vezes encontravam razão para difamar a eles.

Raramente as massas compreendem as mentes dos gênios. Nós gostamos de classificar e rotular as pessoas que sentimos que são incomuns, e as colocamos em pequenas caixas nas prateleiras de uma biblioteca que existe apenas em nossas mentes. E se não podemos resumir a eles em uma palavra, ou se os colocamos para fora da caixa ou se eles desafiam uma descrição, nós temos medo deles.

O medo traz todos os tipos de comportamento incomum em pessoas que, de outra forma, poderiam parecer razoáveis. Na maioria das vezes, elas vão zombar de algo que elas não compreendem ou irão se sentir desconfortáveis. Ou eles vão banir o prenúncio ilícito do desconforto para que elas não sejam incomodadas com isso. Os seres humanos não gostam de alguma coisa perturbando o status quo ou desafiando as suas crenças amplamente difundidas.

Isso é exatamente o que Michael Jackson fez - ele desafiou tudo o que era considerado sagrado na cultura do século 20. Um afro-americano, ele começou a quebrar as regras da convenção, se ''tornando branco''. Não só ele enfrentou as barreiras de raça e ''mexeu com a própria raça'' como ele começou a sair com mulheres brancas, algo pelo qual os homens negros já haviam encontrado uma sentença de morte certa. Não só isso, mas ele era um homem negro rico, poderoso e amplamente amado, que apelava para todas as gerações, mas segurava a mais jovem [geração] nas mãos. O que ameaçava o "estabelecido''.

Ele também era um homem que não acolhia a imagem de ''cara durão'' nem seguia os protocolos misóginos de machismo, mas em vez disso, poderia parecer feminino, usava maquiagem, tinha uma voz suave e declarava no palco ''Eu te amo'' para homens e mulheres.

No entanto, as mulheres o julgavam sexy e sedutor e durante a performance, ele fazia centenas delas desmaiarem. Ali estava um homem que não seguia o protocolo roqueiro de tirar proveito sexual de jovens mulheres vulneráveis, e que não se parecia com um "homem real"; mas, ao mesmo tempo, pegava em partes de sua anatomia que faziam uma referência abertamente sexual de uma cultura que está tentando se convencer de seus costumes pseudo-puritanos.

Suas letras corajosamente tocavam no coração de cada questão de uma sociedade complacente que tentava se esconder de si mesma. Isso era não somente perturbador, mas perigoso.

Então, o que uma cultura faz com um ''canalha''? Historicamente, geralmente se clama: "Vamos crucificá-lo!'' e se prossegue para retirar o seu poder e destruir o seu poder de influenciar. 

Alguns tipos de arte deixam as pessoas nervosas, porque as fazem pensar. E tais artistas fazem com que eles se contorçam. As pessoas não gostam de se contorcer, e elas certamente não gostam de alguém apontando as suas falhas e lhes dizendo que têm de mudar.

O dia virá quando este gênio que viveu entre nós vai ser reconhecido, não apenas como um ícone cultural, mas também como um artista, revolucionário e um professor de grande mestria. Aqueles que zombam ou riem dessa ideia, ou que protestam contra o mais alto por causa de suas próprias falhas, irão desaparecer no esquecimento, um dia, e a verdade deste genuíno artista revolucionário e evolutivo será revelada.

O maior legado que Michael deixou para este mundo ainda está para ser revelado. Mas, à medida em que as pessoas continuarem a estudar a sua vida e a sua obra, o homem por trás da máscara será exposto, o véu que esconde o verdadeiro artista e gênio será puxado para trás e o seu brilho será revelado. 

Seu gênio real é a sua capacidade de se metamorfosear - seu foco, sua aparência, sua roupa, sua música, sua arte, sua dança e, especialmente, as mensagens que ele compartilhou e ainda irá compartilhar. Michael era um mágico, um metafísico e um xamã, e nós não estamos nem perto da versão final do legado deste homem, porque a maior parte dele ainda está para ser descoberto. Eu, por exemplo, tenho o prazer de ser uma pesquisadora e beneficiada.''

by Rev. Barbara Kaufmann (educadora, escritora e ativista)

Fonte: http://thejamcafe-mjtpmagazine.presspublisher.org

Nenhum comentário

Postar um comentário

*Bem-vindos, Moonwalkers! :) Os comentários são moderados e estarão visíveis tão logo eu esteja on-line.
**Para assuntos privados e não referentes à matéria eu peço que utilize o email [cartasparamichael@gmail.com] ・。.。・゚゚・。.。・゚゚・。❊
*Rosane [admin. do blog]

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...