Entrevista com Mike Salisbury e Stephen Harvey


O que se segue é uma história oral de como Michael Jackson se juntou com o diretor criativo Mike Salisbury e o fotógrafo Stephen Harvey para conceber e criar a capa do álbum Off the Wall, lançado em 1979.
A imagem de smoking que eles criaram deu a Michael Jackson um visual icônico que subliminalmente ligaria o cantor a lendas da era do balanço como Frank Sinatra e Gene Kelly, enquanto também ajudava Jackson a se tornar um artista recorde que se justifica em se declarar "O Rei do Pop''.

MS [Mike Salisbury]: O agente de Michael tinha um projeto de capa para o álbum Off the Wall e ele era horrível. Michael estava sentado num pequeno tronco perto de uma fogueira com roupas de criança. Parecia um anúncio para o departamento de crianças da Sears.

Então eu disse ao agente, ''Me deixe trabalhar para vocês'' e consegui um ilustrador de moda para fazer um desenho do meu conceito para Michael. Voltei para o agente, mostrei o desenho de moda e disse, ''Veja! Eu coloquei ele em um smoking! Vai ser a marca dele - preto e branco!" 

O agente olhou para os desenhos, e eu poderia dizer que ele não gostou deles. Então, aquela voz grita de fora do nada: "Eu gosto."

Era Michael! O tempo todo, ele estava atrás dessas grandes cortinas de veludo, ouvindo. Ele pensou que [o desenho] estava bem. Ele só pediu uma mudança. Ele queria meias brancas.

SH [Stephen Harvey]: Salisbury me ligou e disse que tinha dois projetos que eu poderia escolher. Um deles era um álbum de Randy Newman e o outro era Off the Wall de Michael Jackson. Eu escolhi Randy Newman, porque ele estava realmente em sua tomada histórica em Los Angeles. Mas depois ele me chamou de volta e disse, ''Randy quer um amigo dele para cuidar do seu álbum, então eu vou lhe dar Michael Jackson...''

MS: Nós concordamos que Michael iria usar sapatos, como Gene Kelly usou em An American in Paris, com as meias brancas... Eu finalmente encontrei um smoking ... um smoking feminino. Minha esposa conseguiu ele na loja Yves St. Laurent em Beverly Hills. Eu não sabia se ele caberia, mas minha esposa sabia. Ela sabia tudo isso.

SH: No dia das filmagens Michael chegou em um Rolls-Royce. Ele estava sozinho, sem comitiva ou coisa parecida. Ele era tão pequeno atrás do volante, eu mal podia vê-lo.

MS: Foi idéia de Michael fotografar no Griffith Observatory porque foi onde eles filmaram a briga de faca no filme Rebel Without a Cause. Nós estávamos sob uma limitação de tempo porque não tínhamos permissão para fotografar lá e policiais patrulhavam o lugar. O banheiro dos homens estava trancado, mas o banheiro das mulheres estava aberto, então Michael correu e colocou o smoking.

SH: Michael chegou com a maquiadora e o estilista e nós começamos a filmar. O sol estava se pondo e estava bonito. Nós o mantivemos de encontro a esta meia-parede de art deco e o por do sol ficou realmente escuro e rico no fundo.

MS: Estava sem vida. Michael ficou parado ali. Não havia a energia e o desempenho do artista. Nós não queríamos lhe dizer o que fazer, porque nós estávamos com medo de como ele poderia responder.

SH: Um policial chegou e disse, ''Me desculpe, onde está sua licença?'' Eu liguei para minha estilista e disse para ela pegar a licença da van. Então ela ficou rastejando em torno da van em suas mãos e joelhos, procurando esta licença que não estava lá. O policial disse, ''Você não tem permissão, tem que sair daqui!"

MS: Nós fomos para a casa de Michael e lá havia aquela réplica da estátua de David no hall de entrada e, imediatamente, eu pensei, ''Isso é o que precisamos - atitude e estilo!'' Então eu disse para Michael, ''Olhe, temos que refazer esta filmagem'' e ele foi muito receptivo. 

Nós fomos ao estúdio de Steve e Michael foi preparado novamente. Nós o colocamos contra um pano de fundo e, novamente, não funcionou. Ele simplesmente não animava. Então eu corri para fora do estúdio, pelo beco, e eu vi aquela parede de tijolo igual a um cais de carregamento.

SH: Era Crossley’s Flowers em Los Angeles, a alguns metros de meu estúdio em Beverly Boulevard. Muita gente acha que a capa foi filmada no Farmers Market no Fairfax, mas não é isso.

MS: Eu agarrei Michael e o mantive naquela doca, porque achei que parecia a porta dos fundos de um teatro da Broadway. Muito teatral.

SH: A câmera era uma manivela Hasselblad. Não tinha uma movimentação do motor, assim cada vez que eu disparava, eu tinha que parar e manivelar a exposição seguinte. Era loucura.

MS
: Eu disse para Michael, "Arregace as calças e coloque suas mãos em seus bolsos! Agora puxe suas calças, como Gene Kelly faz! Depois vemos as meias!

SH: Foram dois rolos de filme, 12 exposições em cada um. Eu usei um estroboscópio portátil em Michael, um Norman 200B. Eu ainda não podia ver muito bem. Isso foi antes do autofoco, então alguém estava segurando uma lanterna [em mim], então eu poderia me concentrar nele.

MS: Então eu disse, Me dê um gesto como o David no hall de entrada de volta para sua casa. Agora, sorria!'' A coisa toda levou talvez cinco minutos.

SH: Então nós começamos a rever o filme e a primeira coisa que eu notei é que eu cortei a parte superior de seu afro. E eu, 'Oh, meu Deus! Não posso entregar isso a [Salisbury]. Então eu tinha a minha estilista para levar o filme para Mike para mim. 

Mais tarde, ela me disse que ele perguntou, 'Como é que você cortou o topo de sua cabeça?' E minha estilista respondeu, "Oh, isso é apenas uma das técnicas de Stephen. Quando você faz isso, você é direcionado diretamente aos olhos dele!' E esta foi a foto que acabou sendo a capa!

MS: Eu estava apresentando Michael como uma grande pessoa, como você veria Frank Sinatra em um smoking em Las Vegas. Ele era um garoto apenas sob seu pai, então o tux era uma metáfora para a maturidade.

SH: As pessoas ainda falam sobre esta capa. Eu sou tão feliz por ter fotografado ela em vez de Randy Newman. Foi um golpe de sorte.

MS: Um cara que me ensinou na Universidade de Harvard me entrevistou uma vez, e ele disse que Off the Wall é a coisa Número 1 que eu fiz na minha carreira. Acho que aceito a palavra dele.

SH: Mesmo que eu não tivesse fotografado ele, Off the Wall ainda seria a minha capa favorita dos álbuns de Michael Jackson. Essa capa é a sua personalidade! É seu elemento, seus movimentos. Quero dizer, é ele! Aquele é Michael Jackson!

Outro depoimento de Mike Salisbury se encontra aqui

Fonte: https://theundefeated.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...