As memórias de JohVonny Jackson


Um pequeno trecho do recém-publicado livro Bastard Child de JohVonny Jackson [filha de Joe Jackson em um relacionamento extra-conjugal] sobre seu único encontro com Michael, no rancho Neverland:

"Eu me lembro de encontrar com meu irmão pela primeira e última vez. Ele ainda parecia um verdadeiro Jackson, embora ele claramente tivesse mudado em algumas de suas características. Mas sem filtros de câmera, retoques e iluminação especial, sua pele era translúcida, em sua cabeça, uma peruca de cabelo preto, longo, grosso e brilhante.

Ele era MUITO mais bonito do que eu imaginava.
Ele era muito gentil e carinhoso com minha filha Yasmin, que tinha a mesma idade que Paris. Mas por que ele não me abraçou e nem quis falar comigo? Honestamente, na medida em que Michael era tão sincero e amoroso com Yasmin, ele também estava 100% distante de mim.

Com todas as excentricidades do meu super-irmão, ele parecia completamente calmo e normal. Eu acho que ele gostava das nossas reuniões em família, de estar no centro dessa atenção. Mas não pude deixar de me perguntar o que ele pensava de mim, sobre uma irmã com a qual ele nunca conviveu.

Yasmin e eu não nos oferecemos para ficar em uma das casas de hóspedes, então partimos de ônibus para o hotel. Randy interrompeu a dança de suas filhas com Yasmin, mas Paris a puxou para o lado, e elas passaram o resto do dia brincando juntos.

Neverland era muito mais surpreendente do que nas fotos, e nós gostamos lá, apesar de ser exótico. Muitas vezes eu penso sobre o dia, sobre o que senti no caminho e a partir daí, cerca de alguns minutos de comunicação com meu irmão, bem como sobre todas as vistas e sons de sua fantástica propriedade.''


13 comentários:

  1. Eu compreendo que qualquer outro membro próximo da família de Michael possa escrever um livro de memórias, porque a família Jackson teve, desde o início, uma história incrível com turnês ao redor do mundo, entre outros acontecimentos.

    Ms eu não compreendo por qual razão Joe Vonny Jackson, a 'meia-irmã' de Michael Jackson - vem com esta autobiografia. Nós tomamos conhecimento dela somente por causa de seu irmão mais famoso. Muitos fãs nem mesmo têm conhecimento da existência dela.

    O título deste livro, Criança Bastarda, dá a entender que o foco do livro está sobre a família Jackson.

    Se eu considerar que o relato acima é verdadeiro [e eu acredito que seja, mas vai saber...], se eu acreditar que Michael se manteve emocionalmente distante dela, isso vem somente a confirmar todas as impressões que eu tenho a respeito de Michael.

    Como característica de qualquer dor familiar, sabemos pela biografia de Katherine Jackson que Michael sofreu profundamente ao descobrir que seu pai havia traído a sua mãe, a ponto de gerar uma filha fora do casamento.

    O tempo passou e, já com seus próprios filhos, Michael a convidou para visitar o seu rancho [provavelmente incentivado por Janet Jackson, que era ''um tantinho'' mais próxima de Joe Vonny].

    Mas ainda ali permanecia esta barreira de dor e não-aceitação por parte de Michael Jackson. Tanto que ele foi todo amores com Yasmin, a filha de sua meia-irmã...ao mesmo tempo, não sabemos qual foi a impressão que Michael recebeu de Joe Vonny... se simpatizou com ela, ou não...

    A pergunta que eu me faço é... ''Qual terá sido a maior intenção de Joe Vonny Jackson ao publicar este livro'', do qual eu li somente esta pequena passagem.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Rosane! Eu acho que Michael sentia muito também porque Joe deixava a meia irmã de Michael chamá-lo de pai. Era a única que poderia chamar ele assim. Creio que no coração dele doía muito. Lembro de relatos dele e de alguns irmãos e irmãs se questionando porque só ela poderia chamar Joe de pai. "O que ela tem que nós não temos?" algo assim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Gabriela! O que vc nos lembrou aqui é emocionalmente terrivel. Como é triste um filho ser impedido de chamar seus pais de 'pai' ou 'mãe'.

      Excluir
  3. Parece que ela quer colocar esse possível rancor sobre o Michael, mas sendo Michael de natureza amistosa, mas que não se dava bem com todos, como sabemos, não deve ter havido empatia mesmo.

    Quanto ao livro, obviamente também quer ganhar algo com a fama de Michael, tendo o que contar ou não.

    Não sabia desse fato sobre o pai, que triste. Por quê ela era tão especial, queria compensá-la por ser bastarda? Não me parece muito Joe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Joe não gostava de ser chamado de pai, até onde eu sei, porque a figura do empresário / gerente deveria se sobressair entre os irmãos artistas. Joe Vonny não era uma artista, teve uma vida em um ritmo, digamos, normal.
      Concordo com vc, Elisa, sobre a questão da empatia. Coitado do fã que acreditar, ao ler depoimentos como esse, que Michael teria a obrigação se ser empático com todo mundo , e isso independe do sangue, empatia é questão de alma.
      Não conheço muito sobre Joe Vonny, não mais do que os outros fãs.

      Excluir
  4. Eu acredito que ela está aproveitando o livro de Joseph e escrevendo um sobre ela para poder gritar a mídia que ela existe. E assim conseguir tirar proveito em cima da fama de Michael e da família Jackson.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode ser... o llivro dela já foi lançado, e o do Joe sai em março.

      Excluir
  5. Nossa ela é a cara do Joe kkk
    Acho que o Michael ficou distante Dessa meia irmã em respeito a mãe, com certeza o fato do Joe ter uma filha fora fo casamento trouxe muito sofrimento para dona Kate

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu estava esperando alguém comentar a semelhança física dela com o Joe..rsrs
      [Concordo sobre o respeito à mãe dele.]

      Excluir
  6. Eu eu realmente não consigo imaginar o Michael sendo "frio e distante" com alguém, principalmente alguma pessoa que seja do mesmo sangue que o dele. Eu também compartilho da mesma opinião, que se o rei agiu assim dessa maneira (se é que ela contou verdadeiramente como as coisas aconteceram) foi em prol ao extremo amor, respeito e devoção que tinha por dona Kathe, com certeza. Já dói muito saber que seu pai (do qual ele e seus irmãos nunca puderam chama lo assim) teve relações extra conjugais ( falo por experiência própria, meu pai praticava tal ato) imaginem saber que dessas traições houver se frutos;também podemos apontar o fato da filha de Joe não ter sido criada com Ele e os demais Jacksons, então ela era uma desconhecida, portanto a interação familiar seria um tanto mais complicado, mas em fim. Tomara que as intenções dela ao publicar esse livro não seja de caráter oportunista.
    É isso que eu espero.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tatiane, concordei cem por cento com vc!

      Excluir
  7. Concordo com os comentários sobre o porquê de Michael não conseguir ou não querer uma proximidade com sua meia irmã. E quero destacar a grandeza de seu gesto em permitir que Paris brinque com a filha dela, que eram apenas duas crianças inocentes. Quanto ao lançamento deste livro e de outros sobre MJ, desde que que não sejam ofensivos, não sou contra, pois é mais uma maneira de manter nosso amado em evidência. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordei cem por cento com vc, Regina! :)

      Excluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

*Bem-vindos, Moonwalkers! Este é um espaço de amor à memória de Michael Jackson. Os comentários são moderados e estarão visíveis tão logo eu esteja on-line. [Rosane, admin. do blog]

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...