Nos bastidores da música ''HIStory''


Os produtores musicais Jimmy Jam e Terry Lewis analisaram alguns dos temas que compuseram ao longo dos anos para diferentes artistas. O que segue abaixo é a parte em que eles falaram sobre a música HIStory:

''Michael Jackson sabia que o álbum iria se chamar HIStory, então, a ideia era ter uma música chamada HIStory. Isso aconteceu no final das sessões de gravação. A ideia de HIStory era criar um tema realmente grande e que tivesse diferentes elementos sonoros e líricos.

Michael sempre pensava com grandeza e originalidade. A música foi escrita em diferentes partes. Nós tivemos um primeiro pequeno ritmo no começo porque Michael queria algo interessante. Eu sempre quis algo que pudesse dançar. Isso foi o que ele sempre pediu. Nós pensamos sobre a música nos movimentos. Nós pensamos que o primeiro movimento deveria ser essa parte funky. Então, eu continuaria com essas mudanças de acordes que são tão ''Michael'' nas pontes da canção. 

Então, no coro, o mesmo. A ideia era que o coral fizesse crescer porque estávamos falando de História. Michael disse: "Seria bom colocar outra pessoa lá.'' Conversamos sobre nossos artistas favoritos e como havíamos trabalhado com Boyz II Men. Ele mencionou o quanto gostava deles. Nós dissemos, 'Bem, eles seriam ótimos.' Eu liguei para eles e lhes perguntei: 'Ei, você estão na cidade, rapazes? Venham para o estúdio.' 

Eles não sabiam se poderiam acreditar. eles estavam dizendo,'Oh, Michael Jackson.'

Eu respondi: 'Sim, venha.' Nós estávamos trabalhando tanto na Hit Factory em New York quanto na Record Plant em Los Angeles. Não me lembro de onde fizemos isso. Eu acho que foi na Hit Factory. Eu sei que nós mixamos em Los Angeles. De qualquer forma, eles vieram, gravaram suas vozes e colaboraram completamente.

Michael Jackson com Boyz II Men em uma premiação de 1995

Eu amava a expressão de Michael porque uma das coisas que os Boyz II Men tinham era que nunca precisávamos fazer arranjos em seus coros. Eles sabiam exatamente o que tinham que fazer e fizeram suas vozes se encaixarem no lugar certo. Quando eles ouviram a música, olharam um para o outro e disseram: 'Tudo bem. Você está aqui e você aqui' e depois cantaram aqueles coros perfeitamente sem hesitação ou nada. Michael estava totalmente impressionado com a forma como eles fizeram. Terry e eu alucinamos também, ainda que fosse algo que costumávamos fazer, ficamos impressionados.

Enquanto a parte de Boyz II Men estava sendo feita, a outra coisa que aconteceu foi que Michael queria adicionar uma orquestra à música. Quando gravamos sessões de orquestra em Minneapolis, tivemos músicos da Orquestra de Minnesota ou da Orquestra de Câmara de St. Paul, e tivemos 16 cordas no total. 

Claro, agora era Michael Jackson. Michael disse: 'Não, eu quero uma orquestra de 80 membros.' Nós dissemos a ele algo como 'Quem poderia fazer algo assim?' Ele disse, 'Eu amo Elmer Bernstein.'

Elmer Bernstein é um dos compositores, arranjadores e maestros de todos os tempos. É claro que, mais uma vez, Michael estava aspirando o melhor dos melhores. Me lembro literalmente em uma semana ou talvez menos de uma semana, nós enviamos a música para Elmer, e nós fizemos a música no Capitol Studios. 

Os produtores musicais Jimmy Jam e Terry Lewis

Nós estávamos em um estúdio de som enorme com uma orquestra de 80 músicos. O som foi impressionante, mas depois não usamos o Pro Tools. Nós ainda trabalhávamos com fita analógica. Nós literalmente tínhamos uma fita só para a música. Outra fita com a orquestra. Outra fita com as vozes de Boyz II Men e outra com todas as vozes de Michael.

Normalmente, o que fizemos foi mixar todas essas vozes com outras coisas. Vamos dizer que Boyz II Men tinha 20 faixas de vozes. Nós as transferimos para duas faixas e então é onde nós as mixamos. Nós concordamos em como a mixagem deveria ser e é assim que costumávamos fazer. Michael queria ter tudo separado. 

Quando chegou a hora de mixar a música, transferimos tudo para gravadores digitais. Nós usamos gravadores da Sony, que eu acho que tinha 48 faixas. Nós literalmente transferimos tudo para essas bobinas de 48 pistas. Então, nós tivemos que emendar quatro máquinas para ter tudo do jeito que ele queria, sem separar nada, então se houvesse algo que ele quisesse mudar em uma gravação vocal ou um som de corda, ou metal ou harpa ou o que quer que fosse, eu poderia fazer isso.

Bem, não há console com capacidade suficiente para lidar com isso. Nós fomos ao Larrabee North Studios. Naquela época, se chamava Larrabee North. Eu não sei se continua chamando assim, mas eles estão em Burbank, Califórnia. Nós literalmente usamos um console SSL completo em um dos estúdios e nos juntamos a ele através de códigos de tempo com outro SSL de outro estúdio.

Tivemos que caminhar entre os dois estúdios para encontrar o instrumento que eu quisesse aumentar ou diminuir e a faixa vocal que eu quisesse aumentar ou diminuir. Foi a maior quantidade de pistas que tive que misturar em toda a minha vida. Foi uma loucura e, de alguma forma, nós conseguimos. 

Outra coisa divertida foi que foi a última mixagem que fizemos, porque nós tínhamos investido mais quatro ou cinco dias em outra música chamada Tabloid Junkie, Eu pensei que seria a mixagem mais fácil que eu faria na minha vida. Por alguma razão, essa mistura nos levou quatro ou cinco dias e dissemos: 'Não, não. Nós temos que mixar HIStory. É nisso que devemos investir quatro ou cinco dias.'

A última coisa é que finalmente tivemos o que pensávamos ser uma boa mixagem da música. Teve a parte funky onde tinha que ser. Eu tinha as seções de orquestra e as seções das bandas. Colocamos som de microfones com programas de rádio antigos. Nós recriamos muitas dessas coisas e tentamos fazer a música histórica, junto com gravações antigas, notícias de arquivo e todo esse tipo de coisa. Nós gastamos muito tempo fazendo isso. 

Lembro que acabamos com a mixagem e ficamos acordados a noite toda. Acho que acabamos usando um dia e meio para a mixagem, mas ficamos a noite toda sem dormir até a tarde seguinte. Então, era hora de levar a música para o mastering e esse foi o último passo antes de tudo começar. Eu me lembro de ir para a cama e pensar: 'Uau'.

Eu acho que Michael estava muito feliz com isso. O mais importante é que o artista esteja feliz. Eu não escutei a música novamente até o álbum sair. Quando eu ouvi, Michael tinha entrado e, em um ponto da música, havia um som de palmas que ele amava, mas deveria ser apenas em uma parte da música. Ele o colocou na música inteira. 

O que mais soou sobre a música foram aquelas palmas. Era quase como, 'Se eu soubesse que você ia colocar todos essas palminhas, não teríamos ficado tão obcecados com todos aqueles outros pequenos detalhes' [Risos] As palminhas cobriram tudo. De qualquer forma, ele ficou muito feliz com o resultado final. 

Nós fomos para a HIStory Tour quando ele passou pelo Havaí, e eu lembro que ele tocou a música. Foi muito emocionante ouvi-la em um estádio com pessoas cantando e tudo isso. Tecnicamente foi a mixagem mais louca que já fizemos. Claro, depois disso, surgiu o trabalho em digital e Pro Tools, para que isso não acontecesse novamente e provavelmente nunca mais acontecesse. É assim que essa música foi feita.''

Fonte: http://mjhideout.com

4 comentários:

  1. Nossa, quanto trabalho envolvido... a gente nem imagina toda essa super produção por trás de cada música, mas é isso que deixa cada uma delas um primor, do jeito que nosso amado sempre se esforçava pra fazer!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só quem está dentro desses estúdios consegue ter a real noção do trabalho wue dá criar um grande sucesso.

      Excluir
  2. Verdade, o trabalho de muitas pessoas, tempo gasto, dinheiro e talento não conseguimos imaginar. Gostaria de ouvir como ficou sem as palminhas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu pensei o mesmo... mas aposto que existe uma versão demo que preservou essas informações. Foram loucos se não guardaram.

      Excluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

*Bem-vindos, Moonwalkers! Este é um espaço de amor à memória de Michael Jackson. Os comentários são moderados e estarão visíveis tão logo eu esteja on-line. [Rosane, admin. do blog]

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...