O acidente de Michael em 1984


¨Michael Jackson foi baleado.¨ Essa foi a primeira reação das pessoas nas proximidades, quando ele pegou a parte de trás de sua cabeça e gritou. Não foi um ferimento de bala que o fez gritar, porém, foi quase tão ruim: a cabeça de Michael Jackson estava em chamas.

Esse thriller se desdobrou na semana passada diante de milhares de fãs atordoados no Auditório Shrine, de Los Angeles, onde Michael e seus irmãos estavam filmando um comercial para a Pepsi. Foi o que aconteceu durante uma das últimas cenas, depois de quatro dias agitados de filmagem, sob a direção de vídeo do assistente Bob Giraldi.

Giraldi tinha encomendado outro exame da seqüência de abertura de gala chamativo. Em meio a iluminação brilhante, Michael apareceu no topo de uma escada e começou a sua dança deslumbrante sobre o chão, onde os Jacksons restantes foram alinhados.

Cerca de metade para baixo, sentiu algo quente, mas achou que fosse apenas as luzes klieg, efeitos pirotécnicos especiais que estavam piscando ao redor dele, quando ele fez uma pirueta para uma versão efervescente de Billie Jean.

De repente, houve um choque de dor e gritou. O primeiro a responder foi a Miko Brando, 22, filho de Marlon e um assessor de segurança Jackson. "Eu corrí as mãos pelo seu cabelo", diz Brando, que queimou seus próprios dedos no processo.

Em segundos, o fogo foi extinto e Michael foi cercado por uma multidão de guarda-costas, Jacksons e técnicos. Um fã de raciocínio rápido pegou um punhado de gelo, emprestou uma camiseta para fazer uma compressa fria e a aplicou sobre a ferida. Poucos minutos depois, os paramédicos chegaram e levaram Michael à sala de emergência do Centro Médico Cedars-Sinai.
Veja as imagens aqui

O acidente ocorreu logo após seis horas e boletins já cedo na imprensa local, informaram que Jackson tinha sido "severamente queimado e estava em estado grave."

Na verdade, graças ao tratamento de emergência com o gelo, ele estava alerta o suficiente para dizer os atendentes da ambulância que queria manter com ele a sua luva, quando ele foi levado para o hospital. A equipe médica manteve seus sinais vitais controlados e inspecionavam o ferimento.

O fogo havia provocado uma queimadura de segundo grau em sua coroa, que cercaram uma queimadura de terceiro grau sobre o tamanho do buraco em um registro de 45 rpm.

Um creme anti-séptico (sulfadiazina de prata) foi aplicado, e a Jackson foi oferecido um analgésico, que na primeira ele recusou, por causa de seu desprezo pelos narcóticos. Mais tarde, ele aceitou um analgésico.

A notícia do acidente chegou rapidamente a Dr. Steven Hoefflin, médico pessoal de Jackson e cirurgião plástico, que correu para o Cedars-Sinai.

"Foi um choque muito grande para Michael, e quando cheguei lá ele estava em transe", relata Hoefflin. "Depois que ele examinou e disse que ele ficaria bem, ele se sentiu muito melhor."

Hoefflin, que uma vez havia remodelado esteticamente o nariz de Michael Jackson, decidiu mudar seu paciente famoso para tratamento no Centro de Queimados do Brotman Medical Center em Culver City.

Acompanhado por seus pais, seu irmão Randy, dois guarda-costas e Hoefflin, Michael chegou a cerca de 08:15. Uma vez instalado no quarto 3307, ele se tornou o paciente da enfermeira Kathy McGrath, 29 anos, que recorda que "ainda estava muito abalado e com frio, então nós colocamos cerca de cinco cobertores sobre ele."

Logo, os fãs começaram a se reunir no hospital e formar uma aglomeração na sala de espera da emergência. Switch-boards foram inundados com chamadas e seis funcionários controlavam as linhas de telefone congestionadas.

A segurança em todo o hospital foi reforçada e um guarda colocado em cada entrada para a unidade de queimados. "Praticamente todo mundo que trabalha no hospital, encontrou uma desculpa para visitar o local", diz o supervisor Burn Center Pat Lavalas.

Michael, por sua vez, estava tendo uma recuperação rápida. Dentro de poucas horas, ele estava pedindo um video game. Como os funcionários não tinham a chave do armário onde o equipamento de vídeo do hospital era mantido, eles quebraram o cadeado para levar a máquina e descobriram uma variedade de cerca de 10 fitas de gravação de Jackson.

Ele selecionou Contatos Imediatos do Terceiro Grau, dirigido por seu amigo Steven Spielberg, e ficou acordado assistindo até 01:00. Então, depois de ser dado um comprimido para dormir, ele teve uma noite descansada.

Michael acordou com um café da manhã com frutas e suco e uma onda de mensagens de amigos e fãs, entre eles, Diana Ross e Lisa Minelli. Houveram centenas de telegramas, em um deles, uma menina dizia: "Ouvi dizer que você é quente, Michael, mas isso é ridículo." Essa mensagem fez Michael sorrir.

Em vez de uma roupa típica de hospital, ele tinha se vestido com uma roupa azul turquesa. Os enfermeiros também formaram um curativo na cabeça, que poderia ser camuflado com um chapéu de macramé. "Você vai lançar uma nova moda aqui, em 1984¨ provocou a enfermeira Jan Virgílio. Ele riu e disse que queria um visual francês.

Jackson tinha ido ao centro de queimadura anteriormente, visitando os doentes, em duas ocasiões. Somente no mês passado, na verdade, Jackson encontrou Keith Perry, um mecânico de 23 anos de idade que haviam sofrido queimaduras de terceiro grau em 95 por cento de seu corpo. Perry tinha acabado de passar sua operação 14, quando Michael chegou e foi colocado em uma sala adjacente.

Outro paciente gravemente queimado com quem tinha estado em contato freqüente foi a costureira Bessie Henderson, de 41 anos. "Bessie tinha passado por muitas operações e estava muito deprimida", relata Hoefflin, que também é seu cirurgião plástico. "Quando Michael começou a chamar, ela se virou e agora ela está se saindo muito melhor."

Alguns dos pacientes não sabiam que tinham uma celebridade em seu meio, até que Michael, vestindo meias brancas e uma única luva branca com lantejoulas, fez rondas, visitando Keith, Bessie e os outros seis pacientes na unidade de queimados.

Um dos pacientes não conseguia acreditar que ele tinha realmente sido visitado por Michael Jackson, assim que o cantor voltou a provar que não era apenas um sonho.

Outro paciente queria saber por que Jackson usava a luva. "Dessa forma" explicou ele "eu nunca estou fora do palco."

Com o consentimento do seu médico, Michael decidiu, após menos de um dia em observação, sair do hospital e continuar o tratamento em ambulatório. Acompanhado por sua comitiva, Michael foi levado para um carro particular em uma cadeira de rodas.

Em seu caminho, ele parou para tirar uma foto com vários visitantes. "Ele vai ser maior do que Elvis Presley", disse uma mulher de 50 anos. "Maior do que quem?" perguntou um dos pré-adolescentes que tinham reunido em volta.

Quase todos os funcionários do Centro Burn têm suas lembranças. E apesar de que Jackson não pudesse dançar, Hoefflin sabia que não duraria por muito tempo. "Dizer a Michael não dançar" disse o cirurgião, "é como dizer-lhe para não respirar."

Jackson planeja participar da mega festa que a CBS e a Epic Records estão lançando em sua homenagem, no Museu Americano de História Natural, em Nova York, esta semana, e que ele deve estar de volta, a pleno vapor, no momento da entrega dos prémios Grammy (ele é indicado para uma dúzia deles), em torno de 28 de fevereiro.

"Michael está saudável e em boa forma" diz Hoefflin. "Isso vai contribuir para uma rápida recuperação."

É muito cedo para julgar se ele vai precisar de cirurgia reconstrutiva. A causa exata do acidente, no Shrine Auditorium, ainda não foi determinada. Testemunhas dizem que foi uma faísca de um dos efeitos especiais de iluminação que acendeu seus cabelos.

"Michael estava exausto quando isso aconteceu" diz Hoefflin. "Ela chegou no final de uma semana, quando ele estava tentando filmar o comercial, faça planos para uma grande turnê nacional e terminar um álbum com seus irmãos."

Até agora, não houve nenhuma ação judicial, embora os Jacksons e os executivos da Pepsi foram cuidadosamente rever o filme do incidente, para determinar se houve negligência. O acordo de patrocínio com a Pepsi para dois comerciais é alegadamente o mais lucrativo negócio do endosso de celebridades na história, garantindo os Jacksons, pelo menos, US $ 5 milhões.

A família teve de ser incentivada para o negócio porque, de acordo com uma informação privilegiada, assinar um produto "não é uma decisão na qual cada artista possa estar confortável, de imediato."

Embora seja uma ãrea decididamente menos lucrativa, Michael também planeja uma autobiografia. E para isso, ele terá a ajuda da mais famosa editora na publicação: Jackie Onassis.

Jackie e Michael reuniram-se se novamente em outubro passado, na Califórnia e desta vez, diz o assessor de Jackson, Steve Manning, "para se conhecerem melhor¨.

Duas semanas atrás, a empresa de Jackie, a Doubleday, anunciou um acordo mais de $ 300.000,00 com Jackson e Jackie foi nomeada como sua editora.

O lançamento das memórias de Michael, que terão cerca de 200 fotos de sua coleção particular, está previsto para a Primavera de 1985. Jackson também está definido para estrelar um novo filme de Peter Pan, com Spielberg dirigindo.

A turnê, por sua vez, está agendada para começar em maio deste ano, com o pontapé de saída possivelmente em sua cidade natal, Gary, Indiana O concerto pode ser transmitido internacionalmente.

Não é que Jackson precise da exposição extra. O Guinness Book of World Records, recentemente parou as máquinas em sua última edição, para citar Michael como recordista, com 23 milhões de exemplares da venda de Thriller.

Ele também continua a quebrar recordes de vendas com o seu sexto single, Thriller e sua Say Say Say, dueto com Paul McCartney que continua no topo das paradas.

"Eu estaria disposto a quebrar o meu braço" disse Tyrone Davis, 14 anos, um dos fãs que ficaram de vigia fora do hospital "só para estar na sala de emergência com Michael."

 Para não ficar atrás, John Thomas, 13, se vangloriou: "Isso não é nada. Gostaria de quebrar meu pescoço."

O vídeo do acidente


Imagens registradas antes do acidente




Fonte: Revista People 1984


2 comentários:


  1. Muito grave queimadura de segundo e terceiro grau.

    Deus salvou Michael naquele dia.

    Que dó desse mecânico que sofreu 95% de queimadura...




    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Michael com uma alma de criança, ainda disse em entrevista que realizou um sonho de infância, ao viajar dentro de uma ambulância. Pode? ♥

      Excluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

*Bem-vindos, Moonwalkers! Este é um espaço de amor à memória de Michael Jackson. Os comentários são moderados e estarão visíveis tão logo eu esteja on-line. [Rosane, admin. do blog]

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...