Gessica Bernardini


''Há uma razão exata pela qual eu decidi escrever este depoimento. Muitas vezes, eu recebo e-mails e mensagens sobre o meu encontro com Michael Jackson. As pessoas, especialmente os fãs, querem saber como ele era, como soava a sua voz, se ele era alto, se ele era tímido, se ele era diferente.

Recebo dezenas de perguntas. Eu entendo a curiosidade e, embora não seja fácil de lembrar cada momento daquele dia incrível, eu sempre tento o meu melhor para oferecer um relatório detalhado do mesmo.

Naquela época, eu tinha 23 anos, eu tinha sido uma fã de Michael Jackson já há 12 anos, e tinha aplicado meus últimos 07 anos na fundação e administração de fã-clubes de MJ. Isso me levou a estabelecer excelentes relações com a equipe de Michael. Naquela época, eu estava muito próxima de Bob Jones, o vice-presidente da MJJ Productions.

Um ano antes, em 1999, havia sido concedida para mim uma visita ao interior da sede da MJJ Productions, na Sunset Boulevard em Los Angeles. Esta é outra incrível aventura sobre a qual eu vou falar em outra publicação. Sim, eu tive a oportunidade de tocar com minhas próprias mãos os Grammys de Thriller e muito mais.

Voltando ao meu encontro com o Rei, era o final de 1999, quando eu vim a saber que Michael estava planejando comparecer ao World Music Awards 2000, em Monte Carlo e receber o prêmio Artista do Milênio.

Naquela época, eu era a presidente do Child’s Heart, um fã-clube que foi reconhecido oficialmente por Michael e pela MJJ Productions e que costumava publicar uma revista de cores cheias e vibrantes, distribuída em todas as bancas italianas.

Eu estava vivendo em Roma, em seguida, e o Child's Heart se estabeleceu em Roma. Portanto, planejamos reunir os fãs e viajar para Monte Carlo para ver Michael. Bob Jones iria se juntar a ele em sua viagem à Europa, então, eu sabia que havia uma grande possibilidade de que eu estava indo para me encontrar com Michael. Minhas previsões acabaram por ser exatas.

O show foi planejado para se realizar no dia 10 de maio de 2000 no Clube Sporting, mas chegamos no dia 08, para que pudéssemos ter um vislumbre de Michael. Ele chegou no mesmo dia, causando histeria entre as centenas de fãs esperando do lado de fora do hotel de Paris.

No dia seguinte, eu tive a oportunidade de encontrar Bob Jones, que havia chegado em Monte Carlo, também. Ele me abraçou e me disse para encontrá-lo em 30 minutos, na entrada do hotel de Paris. Eu tinha comigo uma bela pintura de carvão vegetal de Michael e seu filho Prince, como presente.

Eu estava esperando do lado de fora do hotel quando Bob veio e me levou para dentro, para encontrar Nagin, o guarda-costas de Michael. Ele apresentou a mim e a mais dois amigos que estavam comigo, como "queridos amigos de Roma".

"Trate-os bem e os leve até Michael", foram suas palavras, ainda ecoando em minha mente.

A próxima coisa que eu sabia que estava no elevador com Nagin e meus amigos, com destino à suíte de Michael.

A pintura que eu dei a Michael

Bob Jones, o então vice-presidente MJJ Productions

Uma vez no andar de cima, nos disseram para esperar no corredor. Depois de alguns minutos a mais do que o usual, vimos a porta se abrir no final do corredor. Três fãs japoneses saíram e pudemos ver que Michael estava lá, esperando por nós junto à porta. Foi-nos dito que poderíamos caminhar em direção a ele, agora.

Quando nos aproximamos da porta, ele fez uma reverência e nos recebeu na sala. A primeira coisa que notei foi a sua bondade, e você podia sentir a sua humildade. A segunda coisa que notei foi o seu perfume, muito forte.

Para aqueles que sempre perguntam, ele estava vestido com calça preta. botas pretas, camiseta branca, jaqueta preta, máscara vermelha e um boné de beisebol do 3T.

Ele era mais alto do que eu esperava, e muito bonito. Nos primeiros minutos, ele parecia bastante tímido, então nós dissemos a ele que estávamos simplesmente felizes em conhecê-lo e que nós pensamos que ele estava em excelente forma e que não podíamos esperar para vê-lo no palco.

De todas as coisas que me lembro desse encontro, o que eu aprecio mais é o fato de que eu tive a chance de ver seus olhos em pessoa.

Ele tinha olhos incríveis, não sei se é por causa de sua infância, seu passado, sua vida incomum ou a sua alma artística, mas os olhos de Michael Jackson não tinham nada em comum com os olhos humanos. Eles eram brilhantes, profundos e fortes, como pedras escuras com um núcleo de fusão. É difícil até mesmo encontrar as palavras para descrevê-los.

Depois de conversar por alguns minutos [ele perguntou de onde estávamos vindo], entreguei-lhe o nosso presente, a pintura dele com seu filho Prince.

O quadro entregue a Michael
Ele ficou incrivelmente tocado, ele começou a olhar para ele e olhando de perto, perguntou-nos sobre quem o tinha feito, e agradeceu uma centena de vezes. Depois disso, ele parecia cada vez menos tímido, mais relaxado. Sua voz era normal, profunda, não aguda em todo.

Eu, então, lhe dei uma revista do Child's Heart que estava comigo, e ele começou a folhear, até um certo ponto em que eu me encontrei ombro a ombro com Michael, virando as páginas da revista, com ele me dizendo do que ele gostava mais [aconteceu de ter uma matéria onde eu escrevi um texto comparativo entre ele e Charlie Chaplin].

Depois das revistas, foi a vez das fotografias. Perguntei-lhe se poderíamos tirar algumas fotos juntos, ele sorriu e disse: "Sim, claro.''

Fui por primeiro, determinada a abraçá-lo, o que eu fiz. Eu o segurei forte em meus braços, eu realmente pude sentir que ele estava magro, mas não frágil, pelo contrário, ele estava bastante tonificado.


Depois de tirar a fotografia, pedi-lhe um beijo na bochecha, ele me abraçou e disse "sim". Nesse ponto, eu afastei a máscara vermelha que estava usando e, enquanto ainda o abraçava, eu o beijei logo abaixo da orelha no maxilar.

Eu pude ver que ele estava usando a máscara porque ele ainda estava um pouco maquilado e com barba por fazer, então, ele provavelmente precisou disso para cobrir as manchas na pele.

Um dos amigos de Gessica
Depois de meus dois amigos tirarem suas próprias fotografias com ele, infelizmente chegou a hora de dizer adeus. Apertamos as mãos mais uma vez, ele nos agradeceu, nós lhe agradecemos, mas era hora de sair.

Lá fora, nossos amigos esperavam por nós, e a mídia sabia que tínhamos acabado de conhecer Michael Jackson e eles queriam nos entrevistar, mas nós nos negamos.

Foi, sem dúvida, um dos dias mais incríveis da minha vida, tendo a oportunidade de conhecer e conversar com um dos seres mais especiais que já andou neste planeta. Um ser que mudou a vida de milhões de pessoas e, claro, a minha. Obrigada, Michael.''

Depoimento editado a partir de uma entrevista 
concedida por Gessica Bernardini ao site AuntBetty

''A minha primeira impressão foi a de que Michael era tímido mas, ao mesmo tempo, ele me olhava nos olhos, com seus olhos negros profundos.

Fiquei admirada e eu percebi que eu estava testemunhando uma espécie de "encontro de terceiro grau", no sentido de que na minha frente estava essa alma especial, cuja vida tem sido tão diferente de quaisquer outras vidas que possamos pensar.

Eu pude sentir a aura, a energia. Havia algo nele que realmente fazia você perceber que ele não era um ser humano comum, não só por seu talento incrível.

Michael era bonito, mais alto do que eu pensava, extremamente gentil e humilde. Sua voz soava muito mais profunda do que o habitual, com seus olhos indefiníveis e profundos. A beleza da sua alma se mostrava em seus olhos e nas características do seu corpo.

[Sobre como ela foi recebida] Ele estava nos esperando na porta e, quando nos aproximamos, ele tomou um arco e balançou nossas mãos. Muitas das chamadas celebridades realmente deveriam ter sua humildade como modelo.

Bob Jones também me deu o bilhete para o show e eu fui uma das convidadas à mesa de Michael para o jantar, após o espetáculo oferecido pelo príncipe Albert, no hotel de Paris. Conheci outras celebridades lá que teriam pago para estar sentados à mesa de Michael.

Com Bob Jones
Na noite do jantar, ao lado de Dieter Wiesner
[Sobre como ela se sentiu no final do encontro]
No topo do mundo, mas também não queria dizer adeus. Eu tive uma boa explosão após a reunião, o que resultou em lágrimas libertadoras.

Para mim, Michael Jackson sempre foi uma constante. Talvez a única constante em minha vida, além da música [e da família, é claro]. Ele era um gênio, um dos poucos artistas que são realmente capazes de se conectar totalmente com a fonte, ao fazer música e dança.

Ele era aquela criança dentro do meu coração, constantemente me lembrando das maravilhas do mundo. Ele me ensinou a sempre olhar o mundo com os olhos de uma criança. Ele era a minha ligação muito especial com a palavra ''amor'', um ser de luz.

Quando eu penso em Michael Jackson, eu sempre penso no perfeccionismo e sobre pensar grande. Tudo o que eu faço é tentando fazer de acordo com o que ele fazia: pensar grande, fazer grandes coisas que as pessoas vão gostar e se lembrar e, acima de tudo, lembrar-se sempre de ajudar os outros e tentar trazer um pouco de felicidade.

Seu ser tão amável em um mundo onde ser agressivo e arrojado é considerado machista e legal, me lembra de tentar colocar um pouco de bondade na minha vida, todos os dias. Além disso, ele incutiu em mim um profundo sentimento de Arte.''

by Gessica Bernardini (depoimento de fã)

Fontes:
http://auntbetty.co.uk
Fonte: http://gessicapuglielli.wordpress.com

14 comentários:

  1. """Speechlesss!!!! Mais uma vez, depoimento emocionante!!! Que maneira linda de começar este dia.... realmente estou sem palavras!!!

    !!!!!! ((((O_O))))!!!!! ..... Matéria excelente, obrigada! Bjos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os depoimentos envolvendo a presença de fãs sempre serão especiais.. eles nos representam.

      Excluir
  2. Lindo! Sempre fico emocionada ao ler esses depoimentos. Curioso como todas as pessoas que tiveram contato com Michael, comentam que ele tinha uma luz diferente e especial. Bjs no ♥.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também gostei da descrição dos olhos.

      Excluir
  3. "Ele me ensinou a sempre olhar o mundo com os olhos de uma criança. Ele era a minha ligação muito especial com a palavra ''amor'', um ser de luz."

    Anjo! ♥♥♥

    ResponderExcluir
  4. Bom dia Rosane,

    Michael é realmente uma pessoa muito especial, humana sim, mas diferente baseado em todos os depoimentos que li aqui. Praticamente todos dizem a mesma coisa, havia algo nele fora do comum, do habitual, que sempre impressionava quer fosse o olhar, a voz, o jeito e realmente deve ser difícil encontrar palavras para quem viveu a experiência de encontrá-lo pessoalmente.
    Bjinhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, Francisca. A gente pode se imaginar no lugar dessas pessoas sortudas. e que foram tantas...♥ Bjs !! ♥

      Excluir
  5. Boa tarde Rosane, pessoas do mundo todo e de lugares diferentes, a
    a mesma definição, as mesmas palavras, os mesmos sentimento e nó s que não tivemos a oportunidade de conhece-lo pessoalmente o sentimos da mesma forma, cada depoimento, parece que estávamos la junto com a pessoa,qdo junto de Michael

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, Aparecida.. eu faço minhas as tuas palavras. ***

      Excluir
  6. Belíssimo depoimento, e é verdade, são tão reais que parece que estávamos lá.

    ResponderExcluir
  7. Como é bom ler esses depoimentos, parece que nos trás um pouco mais dele *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tem como não amar esse fofo, não é?

      Excluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

*Bem-vindos, Moonwalkers! Os comentários são moderados e estarão visíveis tão logo eu esteja on-line. [Rosane, admin. do blog]

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...