Uma visita à loja de discos


Meu nome é Bruce Lyall e eu tenho sido o proprietário da [loja] Recycled Records em Haight Ashbury por 35 anos. As pessoas sempre me perguntam quem foi meu cliente mais famoso e minha resposta é sempre ''Michael Jackson''!

Eu não estava presente [infelizmente], mas eu recebi um telefonema por volta das 21:30, em um domingo, de um dos meus funcionários sem fôlego e, francamente, a primeira coisa que pensei foi que eles estavam bêbados e brincando comigo!

Mas não, o Rei do Pop esteve na loja e passou algum tempo fazendo compras e conversando com meus funcionários. Quando ele partiu, deixou autógrafos para eles e para mim.

[Segue o depoimento de Andrew, um dos funcionários]

''Ontem à noite, quando fechamos a loja de discos, três homens se aproximaram da porta. Dois pareciam ricaços e com cabelos penteados para trás, mas o terceiro estava vestido como um sheik árabe, coberto da cabeça aos pés. Usava óculos e um véu de algodão sobre o rosto. Estava todo de branco. 

Um dos caras nos pediu para deixá-los entrar. Tentamos afastá-los, mas insistiram que "é muito difícil de ir às compras". Tudo estava começando a parecer estranho, então Mike, meu colega, os deixou entrar. Pensei que seríamos assaltados.

Queriam saber onde era a seção de leitura. Eu mostrei que estava na parte de trás da loja e, quando ele tirou o véu e o óculos de sol, pude ver aquele rosto incrível, eu pensei que era uma piada. 

Mas quando ouvi a sua voz perguntar: "Há mais alguma coisa sobre Edgar Allan Poe?" Eu sabia que era realmente o Rei do Pop, Michael Jackson.

Quando voltei para a frente da loja, seu amigo disse: "Eu acho que sei quem é." 

Assim, começou a hora e meia da minha noite com Michael Jackson, em uma noite em que eu compartilhei com ele algumas das músicas que eu gosto e ele compartilhou conosco sua inimitável e doce presença infantil.

Eu ainda me sinto estranho, mas eu lhe asseguro, você também se sentira assim. Minhas lembranças vêm desordenadas, porque a magia ainda não teve tempo para se estabelecer em minha mente.

Ele continuou cantando essa linha de The City of New Orleans de Arlo Guthrie, Good morning, America, how are you?

Todos usavam colônia, mas Michael usava uma essência que lembrava um conde rico e recluso. Nós colocamos uma de suas canções favoritas para ele, a pedido de um de seus amigos: Lightning Strikes, de Lou Christie.

Não tínhamos nenhum disco da banda que tocava a sua música favorita, The Cowsills.

Pediu Free Design, também não tínhamos. Também queria 101 Strings. Ele comprou muito de Harry Belafonte, Sarah Vaughan, Shirley Temple, coros masculinos, coisas da Disney e muito pop dos anos 60.

Em um ponto, eu lhe perguntei se ele queria um disco dos Smurfs e ele disse: "Não, obrigado. você tem a canção Paper Cup dos Fifth Dimension?''

Ele também comprou fotos antigas de mulheres nuas, de antigas revistas, e antigas fotografias de nu feminino.

Eu perguntei se ele queria algumas revistas antigas de TV e começamos a ler os títulos.

"Vou levar as da Brady Bunch!" disse.

Ele também comprou um grande pôster de Burt Bacharach. Seu amigo só queria discos lacrados, mas Michael não se importava com a condição em que estavam.

Em um momento em que ele desceu ao porão para revirar entre o material, virou-se e disse: "Você gosta da música de Diana Ross e The Supremes?''

Eu disse que sim e lhe perguntei qual era o seu tema preferido, delas. Me disse: Stop In the Name of Love, eu acho.

Eu disse a ele que o meu era I Hear A Symphony, e ele me disse que também gostava. Ele disse que pensou que era lamentável que não tivessem feito uma turnê por causa de desavenças.

Nesse ponto, ele disse que gostaria de ter um velho toca-discos portátil e lhe disse que tinha um em casa, e que eu poderia lhe vender.

Ele disse: ''Me traria ele?'' Assim, eu corri para casa e também trouxe um CD [do meu grupo] Wandering Stars, para lhe presentear.

Me perguntou quanto eu queria pelo toca-discos. Eu disse: "Quanto você pagaria por ele?" Ele disse: ''Bem, diga-me um preço."

Eu disse a ele que seria seu por US $ 15. Ele me pagou com uma nota de 100 dólares. Todas as notas que ele tinha eram de US $ 100.

Logo me perguntou: ''Funciona?'' Eu disse que sim e ele disse: "Você pode ligá-lo?''

O engraçado foi que eu tinha feito todo o caminho de casa correndo e estava quase em um declive acima de 90 graus. Então, quando cheguei à loja, eu comecei a tossir e eu pensei comigo mesmo: "Ou eu me acalmo ou Michael não vai mais querer voltar!''

Até então, ele já havia tocado. Ela o pegou suavemente pelo braço e se dirigiu para subir as escadas, quando fomos para o porão. Mas ele realmente não parecia obcecado com os germes. Foi realmente normal a esse respeito.

Na verdade, ele não se impôs em nada. Ele era um cara com o qual você quer ser amigável! 

Eu coloquei Oh My Angel de Bertha Tillman, Can You Hear Me de Walter Jackson e Can You Hear Me de David Bowie. Lhe chamei por ''Michael'' e ele olhou para mim com os olhos arregalados e sorriu. 

Quando eu dei o CD de Wandering Stars, ele me perguntou: "Você tem os direitos autorais?" e eu disse que sim e ele disse: "Ótimo."

Autografou um disco para cada um de nós que estava presente. O meu foi Thriller.

O exemplar pertencente ao dono da loja

Quando Mike, meu colega, pegou uma cópia da trilha sonora de The Wiz, um dos amigos de Michael, que disse que era seu amigo desde que tinham 12 anos, disse: 

"Eu conheço um jovem muito talentoso que fez o Espantalho naquele filme.''

[Consta que esse amigo seria David Gest - nota do blog]

Com isso, Michael sorriu timidamente. Em outro momento, o mesmo amigo mostrou a Michael o CD de uma cantora. Eu não conseguia ver quem era. 

Ele disse: ''Você se lembra de quando estávamos no palco e ela te pegou e não te deixava ir?" Michael não parecia se lembrar e seu amigo continuou: "Você não se lembra que você estava lá com Liz?"

Michael, em seguida, disse: "Eu tenho que ver essa fita."

Você sabe, sua pele era muito branca. Usava um pouco de maquiagem. Seus olhos eram realmente grandes. Ele usava sapatos de couro preto com brilho. Eu realmente não podia ver o seu cabelo, mas parecia muito longo e suave. 

A coisa surpreendente é que estávamos ali com Michael Jackson e, acima de tudo, ele estava vestido como um sheik árabe, o tempo todo!

Ademais, estávamos tendo uma boa conversa com ele. Não era como um aperto de mão nos bastidores ou algo assim. Eu estava perguntando se ele gostava das músicas que me agradam, como eu faço com os meus amigos! Super!

Ele foi super doce, eu quero insistir nisso. 

Enquanto se preparavam para sair, perguntou se poderia usar o banheiro para lavar as mãos. Eu disse que sim, eu lavo minhas mãos 20 vezes por dia, trabalhando nesta loja de discos empoeirados.

Michael disse: "Você precisa conseguir Handi Wipes* [panos de limpeza*] são realmente bons. Melhor ainda, Baby Wipes.''

Possivelmente me venham outras lembranças, mas posso dizer que quando eles saíram, foram para comer em um restaurante mexicano, em Hayward.''

Fonte: http://mjhideout.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...