Remember The Time: Protecting Michael Jackson


Bill: ''Uma vez que a empresa de gestão tomou conhecimento de que Sr. Jackson não iria retornar para a casa, se assustou.

Naquela noite, cheguei em casa e recebi um telefonema de Raymone me dizendo que tínhamos que tirar os pertences do Sr. Jackson fora da casa até as 5:00 da tarde do dia seguinte ou ele perderia seu depósito. Na ocasião, ela nos responsabilizava caso o depósito se perdesse.''

Javon: ''Há um lugar em Las Vegas chamado All Storage. É enorme. Tivemos as maiores unidades, grandes carros, grandes o suficiente para transportar uma casa móvel. Foi onde nós colocamos o trailer, o Bentley e o Rolls-Royce. Levou dois dias, durante todo o dia, com uma dúzia de caras. Acabamos exaustos, mas nós o fizemos.''

Bill: ''A maleta de prata se manteve comigo. Era pesada. A levei para casa, a coloquei em cima da mesa na minha sala. Durante toda a noite, eu fiquei olhando para aquela coisa.

Maleta misteriosa. Como nos filmes ou algo assim. Eu queria abrir. Eu estava morrendo de vontade de saber o que havia dentro.

Ao mesmo tempo, eu não queria saber. Mas se eu ia ser passar pela segurança do aeroporto com aquela coisa, cruzando as fronteiras do estado, eu decidi que teria que averiguar. Eu a abri.

A princípio, pareciam apenas duas estatuetas do Oscar. Eu nunca tinha visto uma de perto. Mas então eu olhei mais de perto, e nas duas estava inscrito ...E o Vento Levou. Uma era por ''Melhor Filme''.

Eu procurei na internet. Aparentemente, essas duas estátuas eram os Oscars mais valiosos adquiridos em leilão; Sr. Jackson pagou 1.500.000,00 dólares em 1999, está no Guinness World Records.

Eu me sentei lá admirando aquelas duas coisas, como, ''droga, eu tenho um par de milhões de dólares sobre a minha mesa de café''. Eu não dormi muito bem com isso em minha casa. Meu cérebro girava, se perguntando, ''Que diabos quer fazer com elas?''

A única razão que me ocorreu é que seriam uma garantia. O modo como ele falou sobre a maleta, me disse que a necessitava, como se precisasse ''nessa ocasião''.

Suas finanças, algo não estava bem e essas estátuas eram um bom recurso. Para quê você precisaria de duas estátuas de ...E O Vento Levou em uma fazenda de cavalos na Virginia?

Eu não imaginava o que eu iria encontrar ao retornar: Raymone deveria tomar providências para nosso retorno a Virginia, mas seu escritório não retornava minhas ligações. Tudo que eu consegui foi, "Ela não está aqui. Vou lhe dizer para ligar para você quando eu voltar."

Ela não me ligava. Dois dias se passaram assim. Liguei para Sr. Jackson para lhe dizer que estava esperando em Las Vegas, e tivemos algumas conversas sobre a equipe de segurança de Raymone. Ele parecia muito preocupado.

Ele disse, ''Sempre que estou lá fora com as crianças, eu os ouço ligar para Raymone. Estão informando para ela sobre tudo o que eu faço e eu não gosto. Não gosto disso. Você sabe que eu não gosto disso."

Ele disse que achava que eles estavam tirando fotos dele. Ele disse, ''Eu não confio nesses caras. Quando você vai estar de volta aqui? Você está voando de volta, certo?"

Eu disse, "Sim, senhor, mas Raymone não retorna as minhas ligações."

Ele me disse para ligar para Greg Cruz, mas não o fiz. Eu simplesmente não gostei do som da voz do Sr. Jackson, senti a necessidade de retornar. Eu podia ouvir ao telefone sua ansiedade por ter seus filhos em torno de pessoas nas quais ele não confiava.

Quando eu estava com ele, se ele dissesse, "Eu preciso disso" ... boom... fazia o que pudesse para acontecer. Mas lá estava eu, preso em uma situação onde você não pode fazer as coisas acontecerem. Foi frustrante. Então eu decidi. Fui com Javon e lhe disse, ''Quer saber, vamos fazer o que temos que fazer. Nós vamos dirigindo, cara."

Javon disse: "Ei, eu estou com você."

Nós carregamos e pegamos a estrada. Levamos duas SUVs, dirigimos ao redor 16 horas por dia. Dormimos em um quarto de motel em qualquer pequena cidade que encontramos, ficando até às 05:30 do dia seguinte e voltando para a estrada.

Eu não disse ao Sr. Jackson como faríamos a volta. Eu só disse a ele que iríamos resolver a situação. Um dia na unidade, eu recebi um telefonema de Raymone, tudo era sobre desculpas.

"Oh, desculpe, eu não pude ligar para você. Se trata de alguns problemas financeiros. Deixe-me dar-lhe um itinerário."

Ela começou a me dar todos esses detalhes sobre os vôos. Ela não sabia que eu estava no caminho. Eu estava dirigindo e dizendo, ''Bom. Sim.,. sim, sim. Parece bom."

Eu estava feito. Entre a coisa no aeroporto, com todas estas novas pessoas, estão brincando sobre como fazer planos de voltar - Eu estava dirigindo de volta com os veículos do Sr. Jackson. Mas nós não estávamos indo para nos sentar e não fazer nada. Então voltamos para o carro e saímos.

Parte disso foi a nossa lealdade ao Sr. Jackson, sem dúvida. Isso foi um grande fator de motivação. Mas outra parte não concordava em sermos tratados assim por ela. A segurança e o bem-estar daquele homem e seus filhos era nossa responsabilidade. Tínhamos uma responsabilidade profissional, e nós levamos isso muito a sério.

Então, quando ela tentou me levar para o lado, eu me senti como... não. Uh-uh. Eu não vou deixar isso acontecer. Não é assim que vai terminar.

Localizado a uma hora do oeste de Washington, DC, Middleburg, Virginia, tem sido durante muito tempo um refúgio preferido para os ricos membros da elite da Costa Leste.

As colinas ao redor da pequena cidade são pontilhadas com fazendas idílicas e chalés. Seus habitantes seguem desfrutando de esportes quase desaparecidos, como a caça à raposa e corrida de obstáculos.

Cerca de dez minutos fora de Middleburg está Goodstone Inn, onde Michael Jackson decidiu passar suas férias de verão. Uma antiga plantação é uma grande fazenda com 640 hectares, prados e trilhas arborizadas e rodeados por um belo riacho sinuoso.

No centro do complexo está a antiga garagem da fazenda, que hoje abriga o restaurante da pousada e os principais escritórios. Também através da propriedade há uma porção de casas e locais históricos, lindamente restaurados e convertidos em suítes independentes.

O cantor e seus filhos estavam na mansão de quatro quartos Manor House, situada no canto norte do complexo.

Para Michael Jackson, a melhor parte do seu novo refúgio não era a acomodação de luxo, mas o fato de que ele tinha conseguido desaparecer. Quando ele deixou a casa de Monte Cristo, os jornais locais informaram que ele havia se mudado para uma casa diferente em Las Vegas. Outros rumores apontavam que ele poderia estar em algum lugar na costa leste.

Por avistamentos aleatórios, se falou que poderia estar aqui e na área de DC, mas sem detalhes específicos sobre a situação que vazou. Ele estava completamente fora do mapa, o que lhe permitiu, finalmente, relaxar e aproveitar o tempo com sua família.''

Bill: ''Chegamos a Middleburg ao redor das 11:30 da noite. Normalmente, eu não chamaria Sr. Jackson porque era tarde, mas eu liguei para ele e lhe disse que tínhamos chegado.

Ele disse, "Está de volta? Ótima notícia; Como foi seu voo?"

Eu disse, "Nós não voamos, senhor. Voltamos e trouxemos os seus veículos."

"Vocês vieram dirigindo?! Uau. Isso é incrível!''

Javon: ''Na manhã seguinte, fomos para a casa principal. Nos dirigimos e a equipe de segurança de Raymone estava sentada em seus veículos. Quando viram a mim e a Bill, ficou claro que eles não estavam felizes. Entramos na casa do Sr. Jackson. Ele chamou as crianças e disse, ''Olhem quem está de volta!"

As crianças correram para nós e nos deram grandes abraços, dizendo,

"Bem vindo de volta, Javon! Não nos esquecemos de você!"

"Nem eu esqueci que vocês!", eu disse. E realmente estava certo. Eu estava preocupado com eles.''

Bill: ''Nós tínhamos levado para as crianças um monte de seus brinquedos favoritos, algumas das figuras de ação para os meninos, algumas das bonecas de Paris. Então, eles foram animados com isso.

Tinha a maleta prata comigo. Durante toda a manhã eu estava pensando como fazê-lo, mas quando eu eu dei a ele, agiu como se não fosse nada. Ele só a colocou para um lado, como se não fosse grande coisa. Nem mesmo verificou se estava ali o conteúdo que tanto queria que eu cuidasse.

Nós conversamos sobre a viagem. Eu disse a ele que eu decidi dirigir quando Raymone não me chamou.

"Esses caras contam tudo para ela", disse ele. "Eles me levaram para a loja de revistas e eles estavam ao telefone contando todos os meus movimentos."

Agora que estávamos de volta com os veículos do Sr. Jackson, sugeriu que não era necessário ter essas pessoas de Raymone.

Ele disse, "Diga a ela que sejam demitidos.''

Eu não queria ter essa conversa com ela. Eu realmente não queria. Eu sabia que ela ficaria furiosa por alterar a sua situação ali. Então, quando ele me pediu para fazer isso, eu hesitei.

Ele disse, "Você quer que eu diga?"

"Eu preferiria, senhor."

"Ok, eu vou dizer."

Javon: ''Vimos como os seus homens saíram da casa. Eles saíram cheios de atitude; Eu tentei falar com eles, mas eles não quiseram falar comigo. Desceram as escadas e empacotaram as coisas que tinham na casa onde se alojavam, à esquerda. Então Bill e eu fomos para casa e voltamos a trabalhar. Foi simples assim.''

Extraído do livro Remember The Time: Protecting Michael Jackson in His Finals Days escrito por Bill Whitfield e Javon Beard - ex-guarda-costas de Michael Jackson.

Fonte: http://mjhideout.com

10 comentários:

  1. Respostas
    1. Mais adiante ela vai colocar outro cara da equipe dela junto a Bill e Javon.. :((

      Excluir
  2. Quanto tempo essa naja trabalhou para Michael???
    Mulher repugnante.... esses relatos dos seguranças, com certeza são uma pequena parcela das ações dela. Raymone deve ter soltado o seu veneno para todos os lados ao saber do conteúdo desse livro.
    Bill e Javon são corajosos e continuam leais a Michael.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até agora, ela está ''roubando a cena'' do livro, eu não imaginava que seria assim, antes de começar a leitura. Quero dizer, não tanto.

      Excluir
  3. "Foi simples assim!" Cheios de atitude. Gostei de Michael ter furado a bola da megera Raymone. E a lealdade desses segurança chega a emocionar. I magino como foi triste para eles a ida prematura de Michael.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu me pergunto o mesmo...Deve ter sido um grande choque emocional. :(

      Excluir
  4. Boa tarde angel! :)

    Que gracinha as crianças recepcionando eles na volta.

    Que mulher perigosa. Ela realmente não é uma boa pessoa. Dá medo alguém assim.

    :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, amiga! :)

      Michael parecia mesmo um para raios, como disse a Rev. Kauffman.

      http://cartasparamichael.blogspot.com.br/2011/12/por-que-o-para-raios.html

      Excluir
  5. Adorei esta parte do livro, a atitude de Bill e Javon foi a melhor possível.
    Bem feito pra aquela Bruxa, hehehehe.

    ResponderExcluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

*Bem-vindos, Moonwalkers! Os comentários são moderados e estarão visíveis tão logo eu esteja on-line. [Rosane, admin. do blog]

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...