Remember The Time: Protecting Michael Jackson


Bill: ''Nós tínhamos decidido que não importava o quão difícil era, Sr. Jackson estava ali ao nosso lado, eles teriam que nos pagar a tempo. De modo que seria prático. Mas, por outro lado, o lado pessoal, posso dizer-lhe exatamente por que decidimos ficar. Nós ficamos pelas crianças, Paris, Prince e Blanket.

Nós não podíamos virar as costas para eles. Você sabia o que eles estavam enfrentando. Isolados. Sozinhos. O que você faria se algo acontecesse com eles?

Era como o que ele me disse pelo telefone em Virginia: por mais que ele os amasse, havia certas coisas que não podia fazer por eles por conta própria. Nós sacrificamos o tempo com nossos filhos para lhes dar isso, e estávamos com medo que novas pessoas que viessem não se preocupassem tanto.''

Javon: ''Foi como se quebrou o protocolo de segurança. Não é suposto que se apegue aos seus clientes. Mas estávamos ao seu redor 16 horas por dia e não pudemos evitar. A qualquer momento poderíamos ter pensado em desistir, quando trazíamos alguma coisa da loja e as crianças se iluminavam, dizendo, "Obrigado, Javon! Obrigado!" E nós apenas derretíamos.

Nós sempre sentimos que precisavam de nós. Nós sentíamos como se estivéssemos fazendo algo importante, mais do que se recebe em um emprego regular.

Sr. Jackson dizia, "Rapazes, eu estou muito orgulhoso de vocês e as crianças realmente gostam de vocês. Fazem um trabalho realmente bom. Eu não quero que vocês pensem que eu não sou grato."

O que nos fazia sentir bem. Este era Michael Jackson. Não me importa nada que me diga, quando Michael Jackson está dizendo que fez um bom trabalho. E quando finalmente nos pagaram? Estávamos tão animados quanto ele. Ele queria que nos sentíssemos bem trabalhando para ele.

Duas semanas depois de que tínhamos estado em New Jersey, quando fomos e fizemos a sessão de fotos para a Vogue italiana. A revista nos colocou no The Carlyle em Manhattan, no Upper East Side.

A sessão foi em um estúdio em West Side Highway - na 53 com a 54th Street - aquele galpão enorme em um antigo edifício do armazém.

Ele tinha um elevador grande o suficiente para as nossas SUVs, por isso, deixamos as caminhonetes à direita do edifício e descemos o piso, onde eles estavam fazendo as filmagens. Eles tinham prateleiras de roupas e todas aquelas jóias caras.

Sr. Jackson estava na cadeira de maquiagem se preparando, quando a senhora Raymone apareceu. Ela veio com uma pilha de cartas e encomendas para lhe entregar. Nessa pilha havia dois envelopes, para mim e para Bill.

E quando ela lhe entregou isso? Ele interrompeu a sessão de fotos. Ele simplesmente parou tudo. Saltou de sua cadeira de maquiagem, com o pé calçado, rolos nos cabelos, e correu ao redor da sala acenando aqueles envelopes.

''Bill! Javon! Eu tenho uma surpresa para vocês!"

Ele tinha um enorme sorriso no rosto ao entregar para nós.

"Está vendo? Está aqui! Eu lhes disse. O prometido. Eu sinto ter demorado tanto. Muito obrigado por proteger a mim.''

Nós agradecemos e ele disse, ''Agora podemos voltar ao trabalho, certo? Precisam ficar com o astral para cima. Agora vocês podem me dar alguns sorrisos novamente, ok?"

Era tão sincero. Ele estava tão orgulhoso de si mesmo por ter conseguido nos pagar. Estávamos animados, também. Logo abrimos os envelopes.''

Bill: ''Era a metade. Raymone nos pagou metade do que devia. Ela veio depois que o Sr. Jackson saiu e ela disse, ''Vocês estão felizes agora?" Como se ela estivesse nos fazendo um favor. Isso fez o meu sangue ferver. Eu lhe disse que gostaria de discutir sobre isso com ela mais tarde.

Quando a sessão terminou, entramos no carro e Sr. Jackson disse, "Todo mundo está feliz? Vocês estão felizes?"

Forcei um sorriso. Eu disse, "Sim, senhor. Nós estamos bem."

Eu não estava feliz. Eu estava com raiva. Eu estava com raiva porque tinha sido a metade. Mas eu tinha visto a emoção em seu rosto, a alegria que ele tinha por feito isso por nós. Ele estava feliz, e foi tão estranho vê-lo feliz. Como eu iria lhe tirar essa alegria?''

Extraído do livro Remember The Time: Protecting Michael Jackson in His Finals Days escrito por Bill Whitfield e Javon Beard - ex-guarda-costas de Michael Jackson.

Fonte: http://mjhideout.com

25 comentários:

  1. Posso imaginar o quanto Michael se sentia mal com essa situação. Que mulherzinha anti ética e totalmente sem profissionalismo. Estou louca pra ler como ela foi demitida. Se não me engano foi depois da fan party no Japão, mas não tenho certeza. Alguém lembra ao certo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não posso me lembrar o que eu já li sobre a demissão dela, sei que li algo, já faz tempo, e não dei a devida importância. Agora, os fatos vão se esclarecendo.

      Excluir
    2. Veronica e Rosane,
      Eu li no forum You Are Not Alone que em 2007, Michael demitiu Raymone Bain e ela entrou com processo contra ele em maio 2009 pedindo a sua parte, apenas um mês antes de o Rei do Pop fazer a passagem.
      Não sei se procede.

      Excluir
    3. Eu não estou lembrada sobre as datas... eu publiquei aqui nesse link um depoimento da Raymone, caso interesse a alguém para ler.

      http://cartasparamichael.blogspot.com.br/2011/06/raymone-bain-concede-entrevista.html

      Excluir
  2. Bom dia Rosane,
    essa mulher é uma serpente repugnante.
    Mas ela vai colher tudo o que plantou.
    Se por um lado, infelizmente, Michael tinha que conviver com essa naja, por outro, felizmente, ele tinha a Bill e Javon.
    A cada matéria sobre esse livro fico mais fã dos dois. Eles foram verdadeiros anjos da guarda para Michael.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Leda! Mesmo passando por momentos de aperto, os seguranças foram privilegiados em ser ''os olhos'' de Michael. Eles não sabiam, mas não foram ''escolhidos'' por acaso, eu acredito que esse livro estava predestinado a acontecer.



      Excluir
  3. Eu fico imaginando... que preço altíssimo Michael pagou (e paga) por ter voado tão alto! Ele não tinha como gerir seu império sozinho e tinha que confiar nas pessoas: era confiar ou confiar... simples assim. E o ser humano, na grande maioria, quando vê um $ pela frente fica cego. Não tem como saber quem é uma pessoa até conviver com ela, e assim, Michael passava de gerente em gerente, de advogado em advogado, sempre sendo enganado, explorado e roubado pela maioria. Ficava com fama de mau-pagador, porque não era só com os seguranças que Raymone e os gerentes anteriores aprontavam... Até farmácia e consultas médicas Michael devia: sem saber que devia...
    Estou adorando este livro e do fundo do meu coração agradeço esses dois caras que proporcionaram ao nosso Amado algumas noites de sono com os dois olhos fechados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu assino embaixo de todas as tuas palavras, Conceição. Ele não poderia fazer tudo ao mesmo tempo, eram muitas áreas para administrar, relacionadas ao seu patrimônio e seus compromissos.

      Confiar nas pessoas erradas pode ser uma fatalidade, mas Michael não tinha muitas opções.

      Excluir
    2. Conceição, também assino embaixo do seu comentário. Adorei a frase "agradeço esses dois caras que proporcionaram ao nosso Amado algumas noites de sono com os dois olhos fechados".

      Excluir
  4. Nossa Rosane, fiquei arrepiada com o seu comentário!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rosane, não foi nada de mais, apenas a profundidade da sua frase: "Eles não sabiam, mas não foram ''escolhidos'' por acaso, eu acredito que esse livro estava predestinado a acontecer."
      O quebra-cabeças está começando a ser montado.

      Excluir
    2. Eu entendi... acho que nada na vida acontece por acaso, algumas coisas atraímos por conta de nossos pensamento/atitudes, e outras estão predestinadas a acontecer. Esse livro cumpre um papel muito importante em se fazer justiça a Michael, não é à toa que a mídia o divulgou quase nada. :(

      Excluir
    3. Também acredito que nada acontece por acaso, tudo e todos tem uma função nesse mundo.
      Com certeza Bill e Javon sabem e presenciaram muitas coisas e fizeram uma triagem do que poderia e/ou deveria ser publicado.

      Excluir
  5. Boa tarde, Rosane e demais leitoras!

    Eu também assino embaixo do comentário da Conceição e do seu comentário/resposta que a Lêda destacou!
    Eu ficava inconformada com a fama de mau-pagador que Michael estava tendo naquele período. Agora o quebra-cabeças está começando a ser montado e tudo está começando a ser esclarecido.
    Muita coisa está sendo esclarecida através desse livro.

    O Michael na imagem está especiamente lindo!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, Regina! :)

      Uma foto especial para um domingo especial!

      Além de não cumprir com os compromissos que deveria observar, as pessoas ao seu redor ainda usaram em abuso do seu dinheiro, como vai se ver na próxima publicação do livro. :(

      Excluir
  6. Mulher sem coração, sem compaixão, sem amor.

    ResponderExcluir
  7. Concordo plenamente com os comentários tb !! Amo demais seu blog Rosane, tenho a certeza que já faz parte da vida de mta gente, principalmente da minha !! Agora essa Raymone, a cada publicação da mais raiva, mas é aquilo ñ era só ela que ñ prestava, e o nosso anjo ñ tinha mta opção, a ñ ser tentar ser feliz com a única paz que ele tinha, que era seus filhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bruna! :)

      É uma alegria saber que a leitura do blog se tornou uma parte da rotina no dia de muitos fãs do anjo. ♥

      Sobre a Raymone... sim, ela não era a única a se beneficiar de sua proximidade com Michael, sobre lidar com seus bens. Posso até errar em algum ponto, mas muito melhor agora, estando o espólio nas mãos de John Branca, um profissional gabaritado.

      Dá uma tensão ler certas partes do livro, não é? Vontade de bater em alguém ahah



      Excluir
  8. Essa mulher é uma cobra!
    Queria tirar os seguranças de todo jeito do lado michael. Só para ver histórias para a imprensa. Muito triste
    :(

    ResponderExcluir
  9. Rosane você tem razão: "esse livro cumpre um papel muito importante em se fazer justiça a Michael", mas ainda assim, creia, nem todos aceitam esse" passado a limpo" e continuam sendo do contra. Mas como diz a música: "Deixe que digam, que pensem, que falem..." Muito obrigada meeesmo, ao Bill e ao Javon.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, a Verdade sempre prevalece.

      Excluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

*Bem-vindos, Moonwalkers! :) Os comentários são moderados e estarão visíveis tão logo eu esteja on-line.
**Para assuntos privados e não referentes à matéria eu peço que utilize o email [cartasparamichael@gmail.com] ・。.。・゚゚・。.。・゚゚・。❊
*Rosane [admin. do blog]

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...