The King of Style: Dressing Michael Jackson (16)


As mágicas 501

''Remanescente de um sofisticado cavalheiro dos anos 40, o chapéu e calças até o tornozelo de Michael se tornou um símbolo do artista, bem como a personificação de Billie Jean, depois de apresentar o moonwalk em 1983.

A sabedoria de Michael era saber que o grande quadro é feito com pequenos detalhes. O moonwalk poderia ser grande, mas não teria sido incrível se as calças de Michael tivessem coberto seus sapatos.

Os detalhes não param por aqui. O fedora de Billie Jean abriu o caminho para muitos chapéus posteriores, incluindo o chapéu branco Smooth Criminal.

Os chapéus eram funcionais e divertidos: Eles faziam Michael ficar vários centímetros mais alto, eram um fantástico apoio para a dança e completavam a sua aparência elegante, quando não vestia roupas militares.

À medida que a multidão ao redor de Michael aumentava, a bainha de suas calças se encurtava. Quando nos tornamos estilistas exclusivos de Michael, cobrimos o tecido de algodão das clássicas calças de pregas Billie Jean com um forro extra.

Enquanto dançava, Michael poderia deslizar as mãos nos bolsos e subir as calças, dirigindo os olhos do espectador para onde ele queria que eles olhassem: muito provavelmente, para o seu incrível trabalho com os pés.

Através de um pedaço de tecido extra onde normalmente não existe, ajudávamos Michael para que suas roupas se movessem sem que o público percebesse como ele as movia. Suas roupas podiam se mover, saltar, atuar... sem a menor mudança.

Outra ilusão que criamos tinha a ver com a altura de Michael. Ele media 1,78 cm, mas criamos uma figura maior do que na realidade.


A linha mais longa do corpo da cintura até os pés e a maior parte da altura repousam sobre as pernas, de modo que para tornar as suas pernas ainda mais longas, adicionamos uma tira fina da cintura até o final da bainha. Isso funcionava muito bem porque a fita captava a luz enquanto Michael caminhava e dançava de perfil ao longo do palco.


A magia criada pela ilusão foi também foi como o visual de seda chinesa aconteceu. Foi durante o vídeo Dirty Diana. Michael deveria usar uma jaqueta de couro preta para o curta-metragem.

Ele a colocou e parou. "Espere um minuto", disse ele. "Eu tenho ventiladores no chão soprando como loucos para cima de mim. Este revestimento não é adequado para esse tipo de vento. A jaqueta tem que conseguir o efeito correto."

Eu o vi lutando contra o casaco enquanto ele dançava. O vento em seu rosto não parecia fazer sentido. A jaqueta não estava atuando em torno dele.

Durante uma pausa, voltamos ao trailer de Michael e ele me disse: "Bush, sua camisa está piscando para mim."

Ele não precisou dizer mais nada. Tirei a camisa branca feita à mão para mim por Dennis e a coloquei em Michael, que parecia satisfeito e aliviado, enquanto ele se olhava no espelho de corpo inteiro.

Durante a próxima tomada, Michael deixou os ventiladores do assoalho fazerem o seu trabalho enquanto a camisa de véu francês fazia o seu.

É a energia dramática dançando atrás do corpo de Michael e que se tornou uma extensão dela, criando uma ilusão de que sua presença física ocupava mais espaço do que ela realmente fazia. Assim, a camisa original que Michael usou no vídeo Dirty Diana foi, literalmente, a minha camisa.

A camisa se tornou uma assinatura da canção, o que significava que teríamos que manter o visual na turnê. O véu francês é um material delicado e transparente que não seria amigável em uma turnê, então eu tive que encontrar um tecido mais durável que parecesse familiar. A seda chinesa se tornou a alternativa escolhida, porque era fluida como o véu francês, mas poderia ser lavada e dobrada.


Michael era capaz de se mover do jeito que fazia, em parte porque as roupas se adaptavam a ele de uma forma única. Suas ombreiras não batiam em seu rosto enquanto dançava e suas calças não se enrolavam em seus joelhos.

Esses pequenos detalhes ajudavam a alcançar um desempenho natural e perfeito. Seus movimentos vinham de sua própria magia, mas se assegurar de que suas roupas se manteriam, era essencial.

Outro básico de Michael eram as Levi's 501 pretas. Usá-las poderia deixá-lo mais perto de seus fãs.

"Eu também uso Levi's", imaginava que um fã poderia dizer - só para ficar boquiaberto e se perguntar, ''Por que os meus [rapazes] não fazem isso?"

Apenas alguns de nós sabiam que Michael tinha gasto milhares de dólares para que Dennis e eu adaptássemos suas Levi's.''

Por Michael Bush (estilista de Michael Jackson)
Extraído do livro The King of Style: Dressing Michael Jackson

Fonte: MJHideout

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...