The King of Style: Dressing Michael Jackson (10)


Michael, o negociante

''Dennis e eu aprendíamos constantemente a respeito do que influenciava Michael, no que se fixava, o que o movia. Íamos para as lojas e gastávamos milhares de dólares na compra de revistas de tudo o que é publicado a cada semana ou mês para levar ao apartamento de Michael em Westwood no Wilshire Corridor.

Somente as pessoas próximas a ele sabia onde ele morava e o pessoal que trabalhava no prédio teve que assinar acordos de confidencialidade, afirmando que eles não diriam a ninguém o seu local de residência.

Sentados no carpete com Michael, nós olhávamos página por página e quando algo chamava a nossa atenção, Michael nos dizia para colocar um "x" no canto da foto, a fim de marcar o local.

"Por que você parou aí?" Ele perguntava. Poderia ser um comercial de carro, a cor dos lábios ou qualquer coisa. Este era o processo educacional de Michael; em parte, um método socrático, em parte, atividade prática. A arte de fazer perguntas e procurar respostas expandia o nosso conhecimento do que motivava Michael.

Ele nos explicava o seu ponto de vista sobre a forma como a mídia tentava controlar o público, quando algo nos fazia parar e olhar, o que significava que tinha funcionado. E raramente eram as roupas que chamavam a nossa atenção.

Qual a cor que lhe faz parar? A pupila dilata quando você vê a cor vermelha, por esse motivo, era a cor favorita de Michael. Quais são as texturas e formas que nos chamam a atenção nos anúncios? Olhar para as técnicas eficazes de marketing foi fundamental para o nosso processo de design e nos ajudou a pensar com originalidade.

Michael Jackson olhava a moda de rua, especialmente. Ele gostava de alta costura, mas o seu vestuário também se destacava pela rebeldia. A pior coisa que você poderia fazer, de acordo com Michael, era combinar a gravata com o lenço. Isso significava falta de personalidade ou habilidade artística, porque alguns editor de revista ou estilista disse o que teria ou não teria que usar.

Nós estávamos em estado de alerta para o que era 'tendência'; porque era o que Michael queria evitar. "Eu quero que eles me copiem", disse ele enquanto ela virava as páginas das revistas. E o sentia a fundo. "Eu tenho que me destacar entre as massas."

Teríamos que saber o que estava acontecendo naquele momento, para que pudéssemos pensar no futuro. Comprávamos em muitos mercados, comprávamos tudo o que víamos porque não sabíamos como iria se encaixar em uma peça de roupa, até que experimentássemos. 

As lições de Michael impulsionaram a mim e a Dennis como artistas, porque nós olhávamos para algo e pensávamos, 'Onde isso vai levar? Onde isso levaria a qualquer outra pessoa? Será que as pessoas vão se fazer esta pergunta? Será que elas vão perceber? Irão se lembrar?'

Michael não achava que fosse prudente seguir o conselho das revistas de moda. Acreditava que os editores tomavam todas as decisões sobre o que as pessoas deveriam usar e ele não poderia apoiar essa ideia.

As pessoas do mundo da moda estavam sempre tentando vestir a Michael e ele dizia, ''Eu não quero ser um outdoor ambulante para uma empresa de marketing."

Por Michael Bush (estilista de Michael Jackson)
Extraído do livro The King of Style: Dressing Michael Jackson

Fonte: MJHideout

21 comentários:

  1. Rosane, ainda me surpreendo muito com Michael. Vc tem razão ele é muiiiitttooo inteligente e muito observador. Era expert em ver coisas onde ninguém via. Nesse capítulo ele dá uma aula para o Dennis e o Bush!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca mais vou olhar para os anúncios com os mesmos olhos!

      Excluir
    2. Assim como ele pediu cinco milhões de dólares para se apresentar na festa do Steve Jobs. Muitas marcas queriam vestir e calçar Michael, mas ele se recusava... boa parte das pessoas não teria se dado conta que estaria se tornando um outdoor daquela empresa.

      Excluir
    3. O livro é ótimo e leve, mas esse capítulo é excelente. Dá uma ideia de como ele raciocinava, como sua cabeça funcionava.

      Excluir
    4. ''Nunca mais vou olhar para os anúncios com os mesmos olhos!''

      Que grande verdade, Leda!

      Excluir
    5. Eu me sinto grata a Bush por compartilhar essas memórias de forma amorosa e verdadeira.

      Excluir
    6. Rosane, fiquei imaginando como eles aprenderam nesses anos de convivência com Michael. O normal seria ao contrário, digo em relação as roupas, calçados e acessórios.

      Excluir
    7. Isso porque Michael era mestre em muitas áreas... tinha aquele feeling inovador. É bacana de ler quando o Bush fala como Michael expandia seus conhecimentos e seus limites, e tantos profissionais conviveram com ele nos estúdios e nos palcos. Uma bênção! Se nós aprendemos tanto apenas de ler suas histórias, imagine conviver no dia a dia com alguém tão especial.

      Excluir
    8. Nossa, você resumiu tudo muito bem!
      Gostei do "feeling inovador", caiu como uma luva!
      O mundo só tinha a ganhar com ele, mas infelizmente, preferiram crucificar.

      Excluir
    9. A maestria de Michael é muito bem analisada nesse livro aqui.

      http://cartasparamichael.blogspot.com.br/2012/07/michael-jackson-american-master.html

      Excluir
    10. Rosane, esse livro deve ser excelente, mas é caríssimo. Vou até imprimir a matéria. Adorei.

      Excluir
    11. Existem raros exemplares à venda, por isso ele é caro.

      Aqui vc encontra três capitulos traduzidos pela Daniela. Eu amei a leitura.

      http://themaninthemusic.blogspot.com.br/2013/07/michael-jackson-mestre-americano.html

      http://themaninthemusic.blogspot.com.br/2013/08/michael-jackson-mestre-americano.html

      http://themaninthemusic.blogspot.com.br/2013/09/michael-jackson-mestre-americano.html

      Excluir
    12. Presentão, obrigada por compartilhar conosco, vou imprimir tudo! \o/ \o/ \o/ \o/

      Excluir
    13. Meninas, vocês disseram tudo. Era uma troca de conhecimentos entre Michael e seus estilistas. Quando supunha-se que ele iria aprender Michael acabava por ensinar, instigar os grandes profissionais a terem novas óticas de leitura. Quão sábio ele era!

      Excluir
    14. Verônica, eu acredito que ambos - Dennis e Bush - foram merecedores dessa relação. Imagino que deva ter tido muitos momentos dificeis e estressantes, como cumprir prazos, ou um trabalho dar errado, e ter que recomeçar do zero. Sem cotar a tensão de acompanhar Michael no palco, com certeza não era só diversão, mas esses momentos o Bush guardou somente para si e nos presenteou somente com a alegria e o conhecimento.

      Excluir
    15. Correção: ''sem contar''.

      Excluir
  2. Rô, um homem além do seu tempo, pois hj em dia eu já vi muitos estilistas dizerem que, hoje a moda está muito mais democrática, esses dias mesmo vi um deles comentando isso, ao passar dicas de moda, não me lembro quem foi, mas vários já disseram que ficou muito mais fácil agora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, ainda outro dia eu publiquei um depoimento do Bush onde ele conta que os grandes estilistas do mundo lhe disseram [em um evento] que tem a foto de Michael colada nas paredes, como fonte de inspiração.

      Excluir
    2. É, eu me recordo dessa publicação, realmente ele sabia o que estava fazendo e, nada foi em vão!
      Bjs! Boa tarde! Até mais! :)

      Excluir
    3. Até mais, Lady! Obrigada pela visita!

      Excluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

*Bem-vindos, Moonwalkers! :)
Os comentários são moderados [a fim de evitar spams]
e estarão visíveis tão logo eu esteja on-line.
Esta página é feita com amor e eu agradeço a sua presença.
*Rosane [admin. do blog]

Obs.: Para assuntos não referentes à matéria eu peço que utilize o email [cartasparamichael@gmail.com] ・。.。・゚゚・。.。・゚゚・。❊

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...