The King of Style: Dressing Michael Jackson (18)


''As jaquetas eram sempre cortadas até a cintura, até a marca de suas calças justas. Sob uma jaqueta militar imponente e excessivamente ornamentada, outro paradoxo que Michael escondia: a camiseta branca sempre rasgada no meio do decote.

Era uma mensagem de desafio sob uma jaqueta, a qual enviava uma mensagem de controle. Passava a tesoura em sua camiseta sobre esse local informal, o qual Michael estava sempre procurando. Era um pequeno detalhe que desempenhava um grande papel no ato extravagante de magia. Ele queria que a mensagem fosse, ''Este é o meu lado comum".

O tamanho do rasgo dependia do humor de Michael naquele dia. Ele mesmo pegava uma tesoura e cortava. Em alguns dias, era um pequeno corte e, em outros, cortava de cima para baixo. "As garotas querem ver um pouco de 'pastel', ele dizia.

'Pastel' era seu apelido para o seu peito. Outros dias, estava influenciado e dizia, "Eu preciso de uma outra camiseta, essa está muito amassada''.

Eu costumava levar de seis a oito novas camisetas da Nordstrom porque ele não podia prever a extremidade cortada. Comprava o pacote por vinte dólares. Caíam muito bem porque eram consistentes, justas e não deformavam, definindo como um body em lycra, revelando a cintura enquanto dança.

Michael cumpria o mesmo paradoxo rebelde manchando suas roupas. A primeira vez que eu vi ele fazer isso, eu não pude acreditar. Ele estava em seu camarim quando pegou um pouco de maquiagem com os dedos e, olhando desafiante, passou por seu ombro.

Você não pode ficar sujo. Você é Michael Jackson.

Exatamente.

Para um estilista e designer, poderia se pensar que é o horror final, mas depois Michael começou a separar suas roupas e me acostumei.

Para uma reportagem em seu rancho em 1993 para a revista Life, Michael colocou uma meia rosa e outra amarela. O mundo enlouqueceu.


"Quem veste este homem?"

Sim, esse era eu. E mais do que me gabar, eu me contorcia. E Michael adorava ver eu me contorcer; ele achava hilário.

E enquanto os fãs falavam de um cara que manchava e rasgava as suas roupas, Michael amava a comunicação não-verbal que isso provocava.

"A quem importa o que estou vestindo? Por que minhas meias têm que ser da mesma cor? Quem disse alguma vez que elas têm que combinar?''

Ao que seus fãs respondiam, ''Talvez seja como qualquer um de nós... mas não, ele não pode ser porque ele é Michael Jackson... mas como eu, está sujo, amarrotado... mas não é como eu, suas [calças] Levi's são perfeitas, a luz o segue para todo o lado... mas olhe para os sapatos... é como eu."

Este conjunto de 'puxa e empurra' reforçava a ilusão ainda mais. Funcionava como magia. E uma vez que a magia funciona, tudo consiste em ir atrás dela.''

Por Michael Bush (estilista de Michael Jackson)
Extraído do livro The King of Style: Dressing Michael Jackson

Fonte: MJHideout

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...