Alan Prater


Alan Prater se lembra do dia em que ele foi contratado para a banda dos Jacksons, na segunda parte da Destiny Tour [1979]. Ele soube que os Jacksons estavam fazendo audições para a secção de metais.

"A minha secção de metais [o East Coast Horns] não era famosa como os Muscle Shoals Horns e todos aqueles caras. O promotor arranjou uma audição e nos fizemos passar pelo Memphis Horns!"

Dias depois, eles voaram para Los Angeles, onde foram recebidos no aeroporto por um motorista segurando uma placa que dizia "Memphis Horns".

"Somos nós!'' conta Prater. Logo eles estavam na casa dos Jacksons e tocando para a matriarca Katherine Jackson.

"Eu não tinha contado para os caras que era um teste, eu disse a eles que era só uma apresentação. Fomos para a cozinha e começamos a tocar. Ela chamou todos os seus filhos e disse, ''Eles conhecem todas as nossas músicas!"

Nós tocamos para eles, nós dançamos, nós éramos como o Jackson 5 com instrumentos de sopro. E se apaixonaram pela gente. Mais tarde, eu contei para eles que não éramos o Memphis Horns e Michael disse, "Eu não me importo com quem vocês são, agora são o Jackson Horns!''

No futuro, Prater acabou tocando com o mundo do R&B, incluindo Cameo, Rick James e The O'Jays. Mas o seu artista favorito sempre foi Michael Jackson.

"Eu posso te dizer que Michael era um dos melhores e bons seres humanos que já conheci na minha vida. Se você precisasse de ajuda, ele estava lá para você, ajudando. Era como uma família. Depois de cada concerto, ele batia todas as noites na porta do meu quarto no hotel para uma conversa. Sempre interessado sobre a vida dos outros.''

Na imagem acima, eles aparecem juntos na performance no Madison Square Garden, NY.

Fonte: http://mjhideout.com

9 comentários:

  1. Outra pessoa que afirma a bondade, o carinho e a amizade de Michael. Ele realmente era assim.

    ResponderExcluir
  2. Olá, angel do Mike!

    Você encontra depoimentos que são verdadeiras jóias! E tem gente que não entende por que amamos tanto este artista e ser humano sem par, chamado Michael Jackson! ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, angel! Achei bacana que Michael - ao saber de suas verdadeiras identidades - não se importou com o ''nome'' deles e sim, valorizou o seu talento como músicos. ♥♥♥

      Excluir
    2. Eu também achei bacana, angel. Do mesmo modo que ele valorizou outros artistas talentosos, mas não famosos, como as cantoras Letta Mbulu e Siedah Garret no super aguardado álbum Bad, sucessor de Thriller. :)

      Excluir
    3. Sim, eram gestos que ''abriam portas'' para muitos artistas, assim como aqueles que abriam as turnês de Michael. O próprio Lionel Richie foi contratado [com o grupo The Commodores] pela Motown com a intenção de abrir as turnês do J5. :)

      Excluir
    4. Dois anos depois de percorrer o mundo com a turnê do J5, os Commodores lançaram seu primeiro álbum.

      Excluir
    5. É mesmo, os Commodores. A Motown também era muito bacana, tratava seus artistas como uma família.

      Excluir
    6. É... Stevie Wonder ainda continua por lá..:)

      Excluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

*Bem-vindos, Moonwalkers! :) Os comentários são moderados e estarão visíveis tão logo eu esteja on-line.
**Para assuntos privados e não referentes à matéria eu peço que utilize o email [cartasparamichael@gmail.com] ・。.。・゚゚・。.。・゚゚・。❊
*Rosane [admin. do blog]

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...