David Zard (02)


''Nos anos setenta, eu estava indo para levar o Jackson Five para a Europa e Itália. Em seu contrato estava escrito que eles poderiam fazer até três shows em um único dia, em locais diferentes. Parecia loucura tanto trabalho. Liguei para seu agente, uma agência conhecida de artistas negros, que me disse: ''Não se esqueça que até há 50 anos atrás, éramos escravos'. Esta era a medida que usavam para a sua atividade frenética.''

by David Zard
Promotor de eventos [também levou a Bad Tour à Itália em 1988].

Fonte: http://michaeljacksonredelpop.blogspot.com

9 comentários:

  1. Crianças trabalhadoras, não é a toa que venceram.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Três shows por dia em locais diferentes. Escravidão remunerada? :(

      Excluir
    2. Existe uma entrevista com David Zard, onde ele fala um pouco sobre a Bad Tour em Roma e defende enfaticamente a inocência de Michael referente às acusações.

      https://www.youtube.com/watch?v=ATgiLP-38AY

      Excluir
  2. E a escravidão continua até hoje, velada, mas sim. Já pensei muito no sacrifício daquelas crianças, Jacksons, para chegarem até onde chegaram. Michael era o mais sacrificado deles, mas ao que sei, nunca reclamou, ou estou enganada? Temos o melhor dos melhores, mas, realmente foi uma escravidão remunerada.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, ele não reclamava, Mari. Ainda me dói quando leio alguns relatos de quando ele tinha menos de 10 anos, e era acordado à uma ou duas da manhã, para ir se apresentar em algum clube e sobre tudo ao que eles eram expostos nesses locais. Nenhuma criança deveria passar por isso.

      Excluir
  3. Realmente, o ritmo de trabalho imposto aos meninos Jackson era uma escravidão remunerada!

    Quanto ao fato deles terem sido expostos a locais inapropriados para suas idades, especialmente Michael, o mais novo da banda, também de deixa muito triste. Seu pai o submetia a esse tipo de experiência, já sua mãe mostrava o caminho da fé, do conhecimento da Bíblia, da religião, do amor puro e fraterno. E ele, com toda sua sensibilidade e precoce sabedoria, sempre deu preferência ao lado apresentado por mãe. ♥

    Rosane, gostei muito de mais este post. Gostei de saber sobre David Zard e do que ele falou sobre Michael na entrevista. Sobre colocar suas mãos no fogo pela inocência dele. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Regina, a despeito a tudo que eles foram expostos, Michael nunca se desvirtuou, pelo contrário, ele disse mais tarde não gostar de frequentar clubes por conta desse motivo.


      A entrevista do David Zard a gente assiste com um aperto no coração, não é? Sempre nos conforta ouvir mais e mais um depoimento em apoio à inocência dele.

      Excluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

*Bem-vindos, Moonwalkers! :)
Os comentários são moderados [a fim de evitar spams]
e estarão visíveis tão logo eu esteja on-line.
Esta página é feita com amor e eu agradeço a sua presença.
*Rosane [admin. do blog]

Obs.: Para assuntos não referentes à matéria eu peço que utilize o email [cartasparamichael@gmail.com] ・。.。・゚゚・。.。・゚゚・。❊

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...