The King of Style: Dressing Michael Jackson (40)


This Is It

''Nosso primeiro encontro para This Is Ir no Center Staging em Burbank, foi a primeira vez que eu vi Michael em quatro anos. Era difícil acreditar que ambos tínhamos 50 anos, mas eu tive o desafortunado privilégio de ter alcançado a eles menos elegante.

E quando ele entrou na sala com seu uniforme; chapéu e óculos de sol fedora, Michael dirigiu o olhar enquanto caminhava em minha direção, ele apertou minha mão e cumprimentou.

Tirou os óculos, em um sinal de que não havia barreiras entre nós, ainda que se tivessem passado vários anos sem que tivéssemos nos visto. Ele tinha aquele brilho nos olhos que significava "Apertem os cintos" e foi como se o tempo não tivesse passado.

Nós recuperamos o ritmo como nos velhos tempos, a não ser pelo tempo que teríamos para executar tudo, o qual era supersônico; era o mais curto do que nós tínhamos tido nas quatro turnês que tínhamos feito com Michael.

Era maio e o promotor da turnê queria tudo pronto para julho. Nós tivemos dois meses para fazer tudo. Michael se sentia bem sobre o concerto e o que havia planejado para ele mesmo.

"Eu vou poder ensinar aos meus filhos o que eu realmente faço para ganhar a vida'', ele disse contente, em uma noite quando ele me chamou para ver o esboço de Billie Jean para o dossiê de imprensa. Ele soou otimista.

A realidade era que Michael estava mais confiante e feliz na frente de seus fãs. Oito anos depois do seu último concerto no Madison Square Garden em 2001, tornou-se um período demasiado longo para um homem que alimentava a energia de performances ao vivo.

As chamadas já não vinham ao amanhecer, foi certamente uma nova e bem-vinda surpresa de Michael. Com três filhos em casa, já não podia manter tais horários estranhos de gravações ou ensaios de dança às 23 horas.

Essa foi, no entanto, uma das muitas diferenças que notamos durante os preparativos para a turnê. Por exemplo, havia quatro estilistas para This Is It e a posição de estilista-chefe foi dado a outro que não era nem Dennis nem eu.

Nós desenharíamos sete peças: Smooth Criminal [Michael e dançarinos]. The Way You Make Me Feel, Beat It, Will You Be There, I Just Can not Stop Loving You e Man In The Mirror.

E como o estilista principal ''não desenha para dançarinos", nos foi atribuída a tarefa de desenhar roupas para os dançarinos do sexo masculino.

Nós sempre pensamos em Michael como um dançarino, mas mantivemos nossas bocas fechadas e nossa principal prioridade foi: Estar ali para Michael. Nosso dever era dar um sentido de continuidade e familiaridade a um dos nossos melhores amigos.

Os outros dois estilistas supervisionariam o restante da equipe e os dançarinos. Eu continuei sendo o assistente de figurino de Michael, o que não foi uma surpresa para ninguém, porque Michael disse que não iria se aproximar do palco sem mim.

A jaqueta Beat It foi, de longe, o nosso maior desafio. Michael nos disse a ideia do próximo ato de magia: Tornar possível que a jaqueta Beat It ardesse em chamas. No final do número, ele jogaria sua jaqueta ao outro lado do palco, sacrificando a icônica peça vermelha e preta em prol do rock and roll e convertendo ela em uma chama.

Essa seria uma boa ideia se: (1) fossem fazer dez concertos e precisasse fazer apenas dez jaquetas. (2) houvesse tempo suficiente para construir um controle remoto que ativasse a chama e (3) se Michael não tivesse tido uma experiência questionável com fogo desde o anúncio da Pepsi em 1984.

Mas dez concertos se tornaram cinquenta, e precisaríamos encontrar um material que fosse aprovado pelos regulamentos britânicos contra incêndio. As probabilidades estavam contra nós, mas isso nos impulsionou mais. Ninguém queria estar associado sobre ''queimar Michael Jackson''.

Então, fomos atrás de fornecedores de macacões resistentes ao fogo para carros de corrida chamados Nomex. Enquanto eu observava os ensaios, avaliava as necessidades de Michael, como de costume. Tivemos a vantagem de conhecer a ele atuando ao vivo, o que ele era capaz e que poderia ser espontâneo.

Comecei a me preocupar sobre se as roupas desenhadas para ele iriam funcionar no show. Vi nove pares de sapatos e nenhum deles era Florsheim, calças de couro pretas e uma luva de fibra óptica Billie Jean teria de ser operada manualmente por Michael.

Eu desabafei com Dennis e lhe contei as minhas preocupações. Se estivesse no meio de uma apresentação e Michael olhasse para mim, querendo desesperadamente corrigir alguma coisa, como seu assistente de figurino, eu deveria estar equipado e preparado com um plano B. O plano B seria necessário, mais cedo ou mais tarde.

No filme This Is It, a camisa vermelha com a qual Michael aparece na maior parte do documentário é de Dennis. Era comum durante os ensaios que Michael suasse muito, porque ele sempre ensaiava como se ele estivesse realmente atuando. Mas quando precisava de uma mudança rápida para uma camisa seca, não havia.

Frenético, eu liguei para Dennis e ele foi para seu armário a fim de encontrar qualquer coisa que fosse vermelha. E havia uma vermelha com um leão e coroa desenhados. Dennis a colocou em uma bolsa com outras três e correu para o Forum em Inglewood, onde eles estavam ensaiando.


Quando eu fui para trocar Michael com a camisa vermelha limpa, ele olhou para o leão e a coroa, o que tinha sido uma coincidência total. Talvez Dennis, quando a comprou, tenha sentido uma afinidade subliminar com Michael.

"Bush, como você sabia?", perguntou Michael, como se ele não tivesse sabendo durante vinte e cinco anos.

"Michael, você sabe que eu sei."


Por Michael Bush (estilista de Michael Jackson)
Extraído do livro The King of Style: Dressing Michael Jackson

Fonte: MJHideout

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...