Depoimento de Clay Drayton


''Infelizmente eu não tenho fotos de nós juntos no estúdio, mas aqui está uma foto com minha esposa Tami aos 14 anos de idade e Michael aos 15 anos de idade, em Chicago, após um concerto em 1975. Eles eram amigos de infância.

Eu me lembro de um monte de pequenas coisas sobre aquele dia [no estúdio]. Jermaine dirigiu até o estúdio em seu carro esporte Carrera, Tito estava usando seu chapéu de brim maçã e eles estavam todos conversando e rindo juntos. 

Poucos minutos depois, Michael chegou com Rose Fine, sua tutora escolar. Michael era menor de idade na época e tinha que tê-la ali para se certificar do andamento de seus estudos. Ela também garantia que os produtores estavam seguindo as leis de trabalho infantil do estado da Califórnia. Nós teríamos apenas três horas com Michael para ter tudo gravado e definido.

Naquele dia, Michael estava em silêncio. Ele entrou e sentou-se na sala de controle ao lado de Rose para fazer o trabalho escolar, enquanto esperava para trabalhar em partes da canção. 

Depois que nós estávamos sentados, Hal disse para os caras, 'Fellas, este é Clay. Ele escreveu a música que você está gravando hoje.''

Os caras disseram: ''Ei, como vai?'' Aquele dia foi a primeira vez que eles tinham ouvido falar na canção The Life of the Party.

video
The Life of the Party

A primeira coisa que nós fizemos foram os vocais de fundo. Carr foi até os vocais de fundo com eles e eu tenho registrado em fita. Então, nós fizemos os vocais de solo. Nós gravamos o solo de Jermaine primeiro. Em seguida, o solo de Michael. Michael entrou na cabine de som e eu tive que ensiná-lo a cantar a canção. Nesse ponto, o engenheiro tocou a faixa e disse: ''Aqui vamos nós!''

Então, o fundo começou a tocar e o engenheiro apontou para Michael. Mas, quando chegou a hora de Michael cantar enquanto o engenheiro apontava para ele, ele ficou em silêncio. Era como se ele não tivesse a certeza do que deveria cantar e o fraseado para a melodia. Ele não disse nada e deixou a faixa passar por ele, e perguntou: ''Como foi isso, de novo?''

Eu me lembro dele fazendo isso porque ele nunca queria parecer ruim ou cometer um erro em uma gravação. Mas ele era rápido em estudar e disposto a repassar a música tantas vezes quanto necessário, para ter a certeza de que estava certo. [Na época], Rose Belas encerrava o trabalho e a diversão ao final das três horas e levava Michael para fora do estúdio.''

Clay Drayton (compositor, produtor e arranjador norte-americano)


Fonte: http://tally777.tumblr.com
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...