Depoimento de Harrison Funk (07)


Em uma das fotos favoritas do fotógrafo Harrison Funk, Michael Jackson pode ser visto segurando os braços em uma pose quase bíblica.

“As pessoas dizem que Michael tinha um complexo de Jesus”, diz ele, “mas isso me irrita, já que isso não era verdade. Havia uma razão prática para eu tirar essa foto. Michael tinha mãos enormes e eu queria tirar o máximo proveito delas, pois elas eram expressivas - e uma boa maneira de ele abraçar o mundo. Naquele estágio, toda a sua existência era voltada para a cura do mundo, então ter mãos grandes e expressivas era uma maneira muito importante de falar com as pessoas. A maneira como ele se comunicava com as mãos... você teria pensado ele era italiano!''

Outra foto do Funk mostra Jackson segurando um livro na frente de seu rosto. É uma foto intensamente pessoal, destinada a ser um anúncio da World Book Encyclopedia, que seria distribuída para as salas de aula americanas.


“O diretor de arte me deu carta branca para fazer o que eu quisesse, então eu realmente queria empurrar os limites do que era possível. Os olhos de Michael eram sua característica mais marcante, muito mais do que seus pés. Eu sabia que poderia capturar sua alma, me concentrando em seus olhos e isso é exatamente o que aconteceu com essa foto.''


A consciência de Jackson do poder da fotografia talvez tenha sido melhor ilustrada no início dos anos 90, quando ele pediu a Funk que o fotografasse com Elizabeth Taylor e Nelson Mandela, que havia sido libertado recentemente da prisão. A imagem, que Funk descreve como o destaque de sua carreira, mostra o trio sorrindo de maneira contagiante.


"Mandela estava tão animado para conhecer Michael", diz Funk. “Ele voou com toda a sua família, especialmente para isso. Me foi dito pelos publicitários que eu não tinha tempo para filmar, mas Michael colocou todos para fora e me deixou tomar meu tempo. Eu não queria uma foto chata, então sugeri que pulassem nas costas um do outro e se abraçassem. Liz Taylor disse: 'Harrison, você sabe que estou com dores nas costas!' E Nelson disse que estava velho demais e brincou que queria colocar os pés para cima. Eu tentei capturar a alegria desse momento incrível.''

Veja mais fotografias deste encontro aqui

Funk então assistiu enquanto os três entravam em uma sala de reunião para discutir planos de derrubar o Apartheid, melhorar os direitos das mulheres, enfrentar a crise da Aids e combater o crime na África. Ele afirma que Jackson estava bem ciente de como a foto poderia ajudar a candidatura de Mandela para a presidência sul-africana.

''Michael e Liz deram à sua campanha presidencial uma doação muito generosa. Eu acredito que ele e Nelson se deram tão bem que Michael era como o Mandela da música, no sentido de que ele também quebrou muitas barreiras. Lembre-se, Michael foi um dos primeiros superstars negros globais.”

Funk, que parece ter um suprimento infinito de histórias de Jackson, fala suavemente com um sotaque de New York, recordando energicamente seus nove passeios consecutivos na Space Mountain, na Disney. Jackson tentou persuadir Funk a montá-lo pela décima vez, mas então o fotógrafo se sentiu enjoado e suas pernas se transformaram em geléia. Eles também fariam regularmente o passeio de barco Viking no rancho Neverland de Jackson.

"Eu estava sentado em frente ao Michael", diz Funk, "fotografando ele com a minha câmera, enquanto ele dizia ao cara que controlava o trajeto para ir mais e mais alto. Eu gritei com Michael que ele me faria perder a minha câmera. Ele gritou de volta: "Eu não quero perder meus biscoitos!" Eles estavam no bolso de sua camisa.

No entanto, apesar de toda a diversão que tiveram juntos, a lembrança mais querida de Funk sobre Jackson é sombria. Ele se lembra de ter se sentado com o cantor no home theater de seu rancho Neverland enquanto assistia a What's Love Got To To With It, o filme biográfico de 1993 sobre o relacionamento abusivo entre Ike e Tina Turner, quando Jackson começou a chorar.

“A cena em que Ike bateu em Tina estava passando e Michael começou a chorar. Eu perguntei se ele queria que eu parasse o filme, mas ele sinalizou para mantê-lo rolando. Ele apertou minha mão com força. Eu realmente senti sua humanidade naquele momento. Depois que o filme terminou, saímos do cinema e Michael me pediu para ir aos carrinhos de choque com ele.” Funk ri. “Nós nos divertimos muito e realmente gostávamos um do outro. Ele era como um grande garoto.''

Fonte: https://www.theguardian.com

2 comentários:

:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

*Bem-vindos, Moonwalkers! Este é um espaço de amor à memória de Michael Jackson. Os comentários são moderados e estarão visíveis tão logo eu esteja on-line. [Rosane, admin. do blog]

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...