O trem Katherine


Quando Michael Jackson quis um trem, ele o conseguiu em Mount Pleasant. O projeto estava envolto em um mistério quase total e consumiu a mão de obra local da empresa por quase um ano.

Matthew Crull, agora presidente do conselho de administração da Midwest Central Railroad, era então um calouro no Southeastern Community College e um trabalhador contratado pela Shop Services, Inc.

Em 1992, a MJJ Productions [a empresa de Jackson] contratou a Shop Services, Inc. - uma empresa que construía locomotivas. Ela adquiriu um velho trem que tinha corrido no parque de diversões Six Flags e a trouxe para Mt. Pleasant, onde foi modificado e personalizado de acordo com os pedidos de Michael Jackson.

"Eu acabei basicamente reprovado no meu primeiro ano de faculdade. Eu ia para o trabalho cerca de 3:30 da tarde, e saía às 4 ou 5 da manhã. Estávamos trabalhando basicamente o tempo inteiro para tentar cumprir o prazo do contrato."

Como já era esperado, o trem em questão foi como nenhum outro. As modificações incluíram banhos de ouro 24 quilates e um sistema de som e iluminação no valor de US $ 45.000.

A caldeira, construída em Des Moines, incluía um sistema de disparo computadorizado, a primeira neste modelo, o qual permitia que o motor fosse controlado por uma única pessoa. O motor foi chamado de Katherine, em alusão ao nome da mãe de Michael Jackson.

Por causa da popularidade de Jackson na época, todo o projeto seguiu em sigilo quase total.

"Todos nós tivemos que assinar formulários com a MJJ productions, prometendo que não contariamos nem mesmo às nossas famílias sobre o projeto no qual estávamos trabalhando", disse Crull.






Matthew Crull
E para evitar os olhares das demais pessoas que transitavam, o motor era testado somente durante a noite - geralmente entre meia-noite e três da manhã. Seu funcionamento durante o dia só foi permitido no dia em que foi enviado ao rancho Neverland.

"Foi meio engraçado, porque não demorou muito para que as pessoas da cidade percebessem que algo estranho estava acontecendo. Rapidamente recebemos uma multidão, quando estavam carregando [o trem] para a entrega.''

Michael Jackson parecia impressionado. Crull o conheceu no final de 1993, quando Michael estava inspecionando a obra de arte pintada à mão, adicionada ao trem, incluindo animais pintados dentro do compartimento de carvão.

"Michael subiu em cima do compartimento, levantou a tampa, olhou para dentro, depois olhou para mim e disse: ''Parece uma pequena piscina!"

Crull chegou ao rancho Neverland pouco antes do Natal em 1993 e passou três semanas operando o trem.

"Na equipe da Shop Services, eu era o único que estava qualificado para operar um motor a vapor. Eles trabalharam [com os motores] mas eu era o único que tinha experiência em operá-los.''

Crull afirma que foi uma experiência única.

"O rancho era absolutamente lindo. Foi nomeado corretamente, porque era como entrar na Terra do Nunca. A estação vitoriana construída para o trem parecia muito com a estação na Disney. E havia luzes em todos os lugares.''

 

''Cada galho, em cada árvore, tinha uma lâmpada incandescente. Em todos os lugares por onde andei, se ouvia música... música clássica! Ela me deixava louco no começo, mas agora, eu tenho um verdadeiro amor pela música clássica, eu passei a ouvi-la muitas vezes, desde então.''






[Sobre a filantropia] ''Na minha opinião, ele tinha uma coisa muito boa acontecendo lá. Havia vários dias em que eu estava lá fora, quando eles traziam grupos [de crianças doentes] da fundação Make a Wish. Elas usavam soro intra-venoso e eram acomodadas em leitos hospitalares. Todos os passeios foram construídos para serem extremamente acessíveis às crianças deficientes.''

Crull estava trabalhando no rancho quando as primeiras acusações de abuso sexual foram feitas contra Jackson. Ele jamais acreditou nelas.

"Eu tenho uma opinião totalmente diferente daquela de um monte de pessoas que nunca o conheceram... é apenas o que a mídia diz.''

Ele não tem certeza do que aconteceu com o trem depois que ele partiu, mas por volta de 2000, recebeu um telefonema em sua casa. A MJJ Productions lhe disse que, aparentemente, a caldeira apresentava algum problema. Crull não ficou surpreso.

"Eles tinham a pior água no mundo para um motor a vapor. Todos os dias, em torno do meio-dia eu teria que desligar um pouco e limpar todas as válvulas e tudo mais."

Crull foi convidado a voltar ao rancho como um consultor, para fazer o trem funcionar novamente. Ele concordou e a empresa disse que iria tomar as providências por ele. Mas os planos nunca se realizaram.

"Eu não sei exatamente o que aconteceu", disse ele.

Fontes:
http://enolalee.blogspot.co.uk
http://www.timesrepublican.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...