The Way He Made Me Feel (07)


Trechos selecionados do livro The Way He Made Me Feel 
(2005) uma biografia da modelo Tatiana Thumbtzen.

''O dia seguinte era o nosso dia de folga. Mais uma vez, Miko estava me entretendo. Almoçamos e sim, eu perguntei a ele sobre Michael. Voltando para casa do almoço, vi minha velha amiga Vanity na capa da revista Playboy.

De repente, Miko e eu estávamos em uma discussão acalorada sobre se eu deveria considerar ou não aparecer na Playboy. Miko argumentou que eu deveria e eu argumentei que eu não faria.

Ele insistiu que eu poderia fazer pelo preço certo. Mais tarde, naquela noite, nós fizemos um outro passeio. Eu disse a Miko que eu gostaria de fazer um passeio com carruagem ao lado de Michael.

Ele me perguntou se eu estava louca. Ele disse: "Mike nunca poderia fazer isso! Ele seria reconhecido."

Argumentei com ele que isso não aconteceria. Eu mencionei como ele poderia se disfarçar, como ele é conhecido por fazer isso. Em minha mente, Miko não tinha argumentos.

Um dos assistentes de Hugh Hefner [dono da revista Playboy] me disse que Hef era um bom amigo de Michael e que ele não queria envolver-se com qualquer coisa que não fosse Pró-Michael Jackson. Eu nunca considerei que a minha história fosse contra Michael, de jeito nenhum.''

Nota extraída da biografia PM Magazine foi uma revista para a qual Tatiana concedeu uma entrevista após o vídeo The Way You Make me Feel. A equipe de relações-públicas de Michael configurou a entrevista, mas surpreendentemente Michael não soube nada sobre isso, até mais tarde. Isso só mostra que a equipe de negócios de Michael tinha mais controle do que a maioria das pessoas pensava. Eles estavam fazendo coisas das quais Michael não tinha conhecimento. 

''Em 01 de Março, a PM Magazine foi publicada. Para minha surpresa, mas não para meu espanto, a história era contada como se Michael tivesse encontrado sua alma gêmea em mim. Neste dia, eu deixei uma mensagem com Joli, a secretária de Michael, e eu disse a ela que eu queria falar com ele. Ela explicou como ele estava ocupado, mas ela disse que daria a minha mensagem para ele.

No dia seguinte, 02 de março, nos apresentamos no Grammy 1988, no famoso Radio City Music Hall. Agora, eu realmente me sentia no topo do mundo. Esta era a história sendo feita. Quando nos cruzamos no ensaio, eu estava tão feliz de ver Michael novamente, uma vez que tinham se passado seis dias desde a última vez que eu o tinha visto.

[Durante o ensaio] Nossa rotina seria diferente para esta apresentação especial. Michael começou a cantar The Way You Make Me Feel. Em seguida, ele interpretou Man In The Mirror, combinando as duas músicas.

Durante uma pequena pausa, Quincy Jones fez uma brincadeira com Michael. Ele colocou uma foto de Prince no assento ao lado dele. Michael acenou com a cabeça, como a dizer: "De jeito nenhum!"

Enquanto o ensaio continuava, eu tive algum tempo de folga, então eu me sentei no banco de Michael para assistir. Eu captei Michael sorrindo para mim com aprovação e um brilho nos olhos.

Em um ponto, enquanto retocava minha maquiagem [com pó compacto], percebi que ele estava me observando. Antes que eu corasse ou tivesse a chance de me sentir envergonhada, ele perguntou se poderia usar um pouco.

Eu não podia acreditar que ele estava me pedindo isso, mas tive a honra de compartilhar com ele e estávamos em meio ao ensaio, então, era uma coisa natural.

Ele estava indo para a cidade com o material. Eu quase rachei sobre isso, mas é claro, eu não o fiz por receio de que ele se ofendesse. Eu guardei aquele pó compacto como uma doce lembrança. Infelizmente, uma ''amiga'' o roubou de mim.

Depois de algumas horas, ele estava de volta ao nosso hotel, The Parker Meridian. Eu não pude resistir e liguei para os meus pais e os mantive informados sobre os acontecimentos do dia.

Foi triste para mim que eles não estivessem lá para compartilhar esse momento de alegria na minha vida, mas eu fiquei pensando que iriam se juntar a mim em outra cidade.

[No Radio City Music Hall] Nós entramos no ônibus da turnê e, enquanto eles nos levavam até a entrada, para minha completa surpresa, os fãs estavam gritando o meu nome. Eu não podia acreditar!

Um dos dançarinos ainda fez um comentário dizendo: "Ah, então eles sabem o seu nome agora, hein?"

Este comentário foi sarcástico e me fez sentir um pouco desconfortável. Tudo o que eu conseguia pensar era o quão estranho tudo isso era. Quatro anos antes, eu tinha chorado por não ser capaz de assistir a um concerto de Michael Jackson e agora aqui eu tinha uma participação.

Fiquei impressionada com as minhas bênçãos. Era selvagem! Limusines e celebridades estavam por toda parte. À medida que se reuniram em uma sala de espera para a nossa deixa, eu ouvi Michael através da porta de uma sala privada, fazendo seu aquecimento vocal.

Notei o quão poderosa a sua voz era! Um de seus seguranças comentou com Michael que eu estava linda e eu ouvi Michael responder: "Eu sei." Ele nem sequer tinha me visto, ainda.

Antes que eu percebesse, o incrível Stevie Wonder e sua comitiva foram escoltados para dentro. Sim, eu estava em êxtase. Alguém nos apresentou quando ele pediu algo do buffet.

Eu estava mais do que feliz em lhe alcançar uma maçã. Quando eu o fiz, eu disse a ele o quanto eu admirava a sua música, e eu lhe disse que ele era Bad, o que realmente significava algo bom, nos anos 80.

Stevie riu e me disse: "Não. esta maçã é Bad. Isso é Bad, porque você a deu para mim. Você é Bad.''

Finalmente, fomos escoltados através de muitos corredores e das escadas do salão de música que levam para o palco.

Enquanto tomávamos nossas posições, o público ficou em silêncio, na expectativa de entrarmos no palco. Através de uma cortina, vi rostos perdidos na magia de Michael. Eles estavam em um transe. De repente, ouvi a batida familiar e o sinal para a minha deixa.

Quando eu pisei no palco, eu passei por Mike e o ouvi dizer:

"Trabalhe! Trabalhe! É isso aí!"

Um comentário como esse me inspirou ainda mais. Tínhamos decidido durante o ensaio que eu iria pegar o chapéu fedora preto, mas em última análise, a ideia foi vetada. Em vez disso, eu saí do palco e eu lhe dei um beijo.

Eu estava nos bastidores assistindo o resto da performance de Michael. Fiquei profundamente perdida em um transe, como todo mundo. Alguém passou pela minha frente e, como eu mudei a minha posição, a mulher se virou para mim e disse: "Oh! Desculpe-me!"

Era a primeira e única Senhora Diana Ross. Ela era a mulher que Michael admirava enquanto ele crescia. Eu até compartilhei com ela que as pessoas me disseram muitas e muitas vezes que eu me parecia com ela.

Ela tinha essa expressão de surpresa no rosto e não fez nenhum comentário. Então nós duas ficamos observando o desempenho de Michael e me concentrei no monitor instalado nas proximidades

Cantei todas as letras e Herb Alpert, que estava perto de mim, disse: "Vejo que você conhece cada palavra, não é? " Eu sorri e continuou a cantar.

[Ao final do ensaio] Eles correram para retirar Michael dos bastidores. Ele estava a quase cinco metros de mim, coberto com uma capa preta com uma toalha branca em volta do pescoço. Havia muitas pessoas ao redor dele, conversando com ele, e não me atrevi a chegar perto dele. Eu nem sequer tentei.

Eu só o vi de onde eu estava. Eu gritei "Você estava ótimo, Michael!" No início, eu não achei que ele tivesse me ouvido, mas alguns momentos mais tarde, ele disse: ''Oh! Obrigado."

Com sua suave ''voz Jackson''. Fiquei emocionada por ele ter me reconhecido e, antes que eu percebesse, ele desapareceu como Zorro.

Eu assisti o restante do show com alguns dos dançarinos. Fiquei encantada em ver o meu segundo show de música ao vivo, o primeiro com a presença [do pianista] Herbie Hancock, após o vídeo que tínhamos feito.

No dia 05, eu escrevi no meu diário que eu estava deprimida e queria voltar para Los Angeles. Eu estava recebendo telefonemas frequentes vindos de um repórter, me perguntando todos os tipos de perguntas sobre eu e Michael.

Eu lhe dizia: "Eu tenho que ir" e desliguei rapidamente. Ele voltava a ligar e, eventualmente, eu cedi quando ele perguntou: "Como é trabalhar com Michael?"

Eu finalmente cedi e respondi: "Eu adoro isso, é ótimo!"

Bem, essa foi a minha primeira experiência com os tabloides. O que foi impresso foi que eu teria dito: "Eu o amo." Era verdade, mas eu nunca, nunca, teria dito uma coisa dessas. Após sua chamada, eu já estava do lado de fora da porta, me preparando para um show.''

Fonte: http://mjfa.forumotion.com

15 comentários:

  1. Deve ter sido pura emoção ter a oportunidade de acompanhar os bastidores da Bad tour *-*
    #A midia sempre distorcendo as palavras. >_>

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lais. Mais adiante, Tatiana levanta a questão de ter recebido apenas 5 mil dólares, na época, para cobrir parte da turnê.

      Realmente, não achei pouco, porque a estrela não era ela, e sim, Michael. Sem contar que ela tinha todas as despesas pagas e acomodações em hotéis de luxo.

      5 mil dólares em 1988 não era pouco dinheiro, não. E foi através de Michael que ela ficou realmente conhecida.

      Excluir
    2. Concordo com vc rosane, ela foi muito bem paga. Tatiana me parece ser bem ambiciosa, posso estar errada mais o michael me parece ser o tipo de homem que pensa duas vezes antes de começar um relacionamento, apesar da atração ele preferiu não dar continuidade nesse possivél romance. u.ú

      Excluir
    3. Com toda a certeza. Michael era muito esperto, e lembro dele ter dito que aprendeu a lição ao ver os casamentos dos irmãos, e como eles se incomodavam com suas ex-esposas. Esse era um homem realmente difícil de se ''prender''.

      Excluir
    4. Completando: Eu acredito que existiu a atração, mas o bom senso prevaleceu.

      Excluir
  2. Oi Rosane, nossa e como ela foi sortuda, e ela ainda achou pouco ganhar 5 mil dólares só para desfilar na frente dele? Eu tb ñ sei quanto as outras pessoas estavam ganhando e se no caso ela tava comparando ne, mas tbm ñ achei pouco ñ.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bruna. A gente faria isso até de graça, não é? Brincadeira à parte, ela não hesitou sobre o valor no momento de fechar o contrato.

      Excluir
  3. Nem poderia hesitar, só o fato de trabalhar com Michael, já compensava em boa parte o "sacrifício" de ser paquerada por ele no vídeo. Rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, a Tatiana viveu um conto de Cinderela.

      Excluir
  4. Uma coisa também ela não pode reclamar. É que, além de ter sido muito bem paga, ter as mordomias que teve, ela ficou um período bem razoável trabalhando para Michael.

    E era a melhor porta que poderia ter sido aberta a ela: trabalhar com Michael.

    Tudo bem que dinheiro não é tudo, questões de luxo também não, mas a oportunidade, por si só, já estava sendo extraordinária.

    Quantas e quantas gostariam de viver momentos assim, inesquecíveis, lado a lado com Michael Jackson. Independentemente de ser fã, é histórico para qualquer uma.



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo, amiga. Tem coisas, como essa, que não têm preço!

      Excluir
    2. Ainda mais ficar perto de um anjo!

      ♥ ♥ ♥ ♥ ♥

      Excluir
  5. OMG! ela foi muito sortuda! a Tatiana sempre com suas investidas e Michael tentado se esquivar.
    Ai gente a apresentação no Grammy Awards(1988) é uma das mais perfeitas pra mim, o Michael performando "Man in the mirror" é muito emocionante..sensacional...

    Michael love you <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Grammy 1988 é icônico, entrou para a história!

      Excluir
    2. Mega sim Rô u.u.u :-D ;-) :-)

      Excluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

*Bem-vindos, Moonwalkers! :) Os comentários são moderados e estarão visíveis tão logo eu esteja on-line.
**Para assuntos privados e não referentes à matéria eu peço que utilize o email [cartasparamichael@gmail.com] ・。.。・゚゚・。.。・゚゚・。❊
*Rosane [admin. do blog]

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...