Tony Buzan


Tony Buzan é um escritor e consultor educacional. Seus textos sobre o desenvolvimento do cérebro, através de uma técnica chamada Mapeamento Mental, atraiu atenção internacional.

Em 2006, Buzan estava dando palestras em Cingapura, quando recebeu um telefonema de seu amigo Sheikh Abdulla bin Hamad al-Khalifa, membro da família real de Bahrein.

''Um de seus fãs gostaria de lhe falar'', disse Hamad. Uma voz desconhecida veio através da linha.

'' Oi, eu sou Michael.''

Ele falou com seu tom natural, não o típico sussoro que usava em público. O cantor pediu a Tony que lhe ajudasse a ensinar seus filhos a pensar de forma produtiva.

Buzan passou alguns dias no palácio onde Michael Jackson estava hospedado. Segundo ele, o local parecia a Capela Sistina, com enormes pinturas de Raphael impressas em todas as paredes.

Buzan ficou surpreso ao descobrir que Michael era um pai compreensivo, Não daqueles que forçam seus filhos a jogar xadrez, ter aulas de dança ou aprender a tocar instrumentos. À noite, eles se esparramavam juntos no sofá, para assistir DVDs. Além dos antigos mestres de arte nas paredes, havia fotografias de crianças.

Os dois mais velhos aprendem rápido como seu pai. Ele conta que nunca presenciou birras ou escândalos. E cita que os três filhos têm personalidades muito diferentes. Prince é brilhante, espirituoso, porém sério. Os professores o notam na sala de aula, é seguro e rápido para responder.

Paris, por outro lado, é uma princesa muito independente, contemplativa, controlada e quieta.

Blanket tem grande presença [então com 4 anos] e tem um quê de indomável, como um dínamo, sempre se pendurando sobre os móveis. Como um mini-Michael.

"Eu fiquei com eles por dez dias. A maior paixão de Michael não era o dinheiro ou a fama, mas o aprendizado, o desenvolvimento da inteligência e do gênio. Ele queria saber como o gênio se desenvolve. ''Pode ser transmitido aos filhos?''

Seus gênios "favoritos" incluíam Leonardo da Vinci, Alexandre o Grande, Thomas Edison, Charlie Chaplin,  Michelangelo, Charles Darwin, Albert Einstein  e a célebre dançarina e coreógrafa Martha Graham

Michael acreditava que Chaplin foi o artista mais criativo, sensível, ágil e brilhante. Chaplin tinha o vocabulário mais extenso, embora a maioria das pessoas achasse que Chaplin não falasse. Michael queria estudar seu gênio.


Também amava especialmente os artistas da Renascença. Ele disse ter recebido uma grande inspiração, ao longo dos anos.


Michael e as crianças passavam cerca de quatro horas comigo. Foi uma temporada agradável e tranquila. Descobri que Michael era um grande pai para seus filhos, muito atento à sua educação, apoiando-os no seu desenvolvimento acadêmico. 

Ele era amigável, porém firme. As crianças o adoravam e o respeitavam.  Notei como elas estavam com ele, eu as via ir e vir da escola estrangeira, todos os dias. Elas voltavam felizes, correndo para abraçar seu pai.


Michael foi uma das celebridades mais inteligentes e intelectuais que eu conheci na minha vida. Eu fiquei impressionado com a forma muito minuciosa como ele leu os meus livros - havia notas em quase todas as páginas, com pensamentos e perguntas adicionais, as quais ele estava fazendo comigo.

Desenhamos mapas mentais em conjunto e eles captaram bem o conceito. Durante o tempo em que estivemos juntos, Michael também analisou a sua carreira e tivemos conversas extremamente intensas e emocionantes. 

Falamos sobre como as pessoas veem os gênios e como se faz o gênio, e quais são os seus elementos. Ele tinha, obviamente, estudado intensivamente ao longo de muitos anos.


Assistimos juntos aos seus vídeos. Ele era extremamente modesto e objetivo sobre o seu trabalho, e ainda os via como esboços e observava como poderia ter melhorado seu desempenho. Eu gostei dele e me entristece que o mundo tenha perdido uma de suas estrelas mais brilhantes.''

Fonte: http://michaeljacksonmyobsession.blogspot.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...