Um encontro na Disney


''Em 20 de Junho de 1975, eu estava em pé na fila do passeio Matterhorn Bobsled. De repente, a comoção ricocheteou no meio da multidão w as garotas gritavam no maior frenesi. Em pé, diretamente atrás de mim, estava Michael Jackson.

Atrás dele estava seu irmão mais novo, Randy. Atrás de ambos os rapazes, estava o seu pai, Joe. Eles iam para o passeio Matterhorn Bobsled. O mesmo que eu. E eles estavam em pé, atrás de mim.

De repente, eu esqueci tudo sobre ser um jovem de 21 anos . Esqueci-me de ser crítico e negativo. Este foi um encontro próximo do primeiro tipo com o real e verdadeiro Michael Jackson. Na verdade, até o final da noite, ele tinha me convertido em um fã.

O que eu poderia dizer a ele? Quanto é que eu sei?

Infelizmente, não muito. Ele cresceu em Gary, Indiana. Um dos nove irmãos e irmãs. Minhas canções favoritas eram Mama's Pearl e Sugar Daddy. Minha balada preferida era Never Can Say Goodbye. Michael já havia tido dois sucessos solo, Got to Be There e Ben.

Mesmo assim, eu não conseguia pensar em uma única coisa a dizer. O que você diz para uma estrela internacional que é quatro anos mais novo do que você? Que tipo de bate-papo você teria? Como eu poderia ser legal sem ser um idiota?

As garotas chegavam mais perto, suspirando. Michael tinha ficado muito mais alto desde os tempos da Motown. Ele era magro, ostentava um grande Afro, usava roupas de seda e tinha dentes ultra-brancos.

Eu lembro de estar impressionado com o seu comportamento. Apesar de foco estar diretamente sobre ele, ele retornava bem-humorado, suportando todas as fotos, apertos de mão e autógrafos com um sorriso.

Ele nunca perdeu o senso de humor, nem no seu relacionamento com a multidão. Ele acolhia a todos, inclusive colocou seu braço em torno de uma garota em uma cadeira de rodas.

Eu escrevi no meu diário mais tarde, talvez cinicamente: "Eu acho que ele gosta de ser uma estrela de 16 anos."

O irmão de Michael, Randy, três anos mais novo, era o mais novo membro dos The Jacksons, tendo substituído Jermaine, que decidiu ficar na Motown. Eu quebrei o gelo, conversando com ele.

"Vocês vieram aqui por causa dos Four Tops", eu perguntei, falando em voz alta, a fim de superar o barulho.

"Sim, eles são nossos amigos", disse ele.

Eu também fiz questão de falar com o velho Joe.

"Você ouviu o sucesso dos Tops - Bernadette? Vocais com a mesma qualidade de sempre, eu disse.

"Nunca envelhece'', disse ele. Nunca envelhece.''

Quanto ao passeio Matterhorn, ele foi projetado para duas pessoas por cada ''carrinho''. Eu não podia acreditar quando o operador apontou para mim e disse: "Sozinho? Venha aqui para a frente. Michael, chegue por trás dele."

Michael e eu concordamos com a cabeça, e ficamos exatamente no mesmo carro.

Atrás de nós, no carro seguinte, Randy e seu pai subiram a bordo. As meninas ainda estavam gritando.

O passeio Matterhorn 
Não me pergunte o que eu lembro sobre o passeio em si. As voltas e reviravoltas foram assustadoras? Era escuro dentro da montanha? Eu não poderia dizer. Minha mente só estava pensando: "Eu não posso acreditar.. eu estou em um passeio - na Disney - com Michael Jackson."

A área onde se desce estava relativamente livre de fãs enquanto Michael e eu saímos. Era o meu momento de ''agora ou nunca''. Eu precisava dizer alguma coisa, para selar o nosso encontro - especialmente porque eu não tinha câmera, nem caneta ou papel.

Em minha mente, Michael e eu já éramos amigos, embora não tivéssemos trocado nenhuma palavra.

Eu disse: " Olá Michael, como vai a vida? Eu poderia muito bem conhecê-lo, também. Você é um grande cantor e eu respeito o seu talento. Continue em frente, cara. Eu estou curioso para ver o que fazer, pela frente. em seguida."

Eu estiquei a minha mão. "Meu nome é Ken."

Apertamos as mãos. Ele disse timidamente: " Ken. Ok... Oi.''

Eu disse: "Eu queria dizer 'Olá' lá atrás, mas não queria ser atropelado pela Michaelmania.''

Ele riu. "Oh, eles são boas pessoas. Não me importo. Fãs são fãs. Eu amo cada um deles.''

Por essa altura, o pai e o irmão terminaram seu passeio e se juntaram a nós. Nós quatro nos despedimos e eles partiram.

Então eu acho que 1975 não foi um evento tão divisor de águas. Mas vendo como ele cresceu em estatura ao longo dos anos, me faz feliz que eu ainda posso dizer isso agora. Obrigado, Michael Jackson, por viver sua vida ''Off the Wall'' [fora da parede].''

by Kilter (depoimento de fã)

Fonte: http://rhythmofthetide.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...