Remember The Time: Protecting Michael Jackson


Javon: ''Sony havia lhe dito que ele tinha que ir para o estúdio com alguns destes jovens artistas e fazer esses remixes para ser ouvido novamente. Mas ele o fez com entusiasmo. Se poderia dizer que por isso ele esteve até o último minuto com aquelas sessões no Palms. Ele as matinha e adiava, e os remixes foram levando mais tempo e mais tempo para concluir.

Todos os meses em que nós ficamos em Palms, Sr. Jackson basicamente nunca deixou o hotel, porque ele estava trabalhando com Will.i.am no estúdio o tempo todo. Bill e eu passávamos a maior parte do nosso tempo no saguão do estúdio com os seguranças de Will.i.am, mantendo um olho sobre eles enquanto eles estavam lá trabalhando.''

Bill: ''Foi somente depois que o álbum chegou que Javon e eu soubemos que Sr. Jackson tinha nos agradecido nas notas [do álbum]. Ele não tinha nos contado que faria isso; ouvimos a respeito a partir de amigos que compraram o álbum e viram nossos nomes.

Quando eu tive uma cópia do disco e os vi, eu era como, ''Uau!'' Isso me animou. Eu me senti bem, depois de tudo o que tínhamos passado, ser reconhecido desta forma. Eu me senti apreciado em nossa pequena contribuição.''

Javon: ''Quando vi o meu nome nas notas? Esse foi um dos momentos mais felizes da minha vida.

Nada pode tirar isso de mim. Esse álbum nunca se duplicará. Isso sobreviverá aos meus filhos e aos filhos dos meus filhos. Nem com a Internet, ninguém vai vender mais de 100 milhões de cópias de novo, o que torna Thriller o álbum Número 1 na história da humanidade. Que o meu nome seja parte disso? Tudo valeu a pena.''

Bill: ''Quando o álbum saiu, foi um grande sucesso. Ele foi direto para o Número 1 nos E.U.A. e em muitos outros países. Lá fora, na mídia e na imprensa musical, houve todo aquela repercussão sobre o vigésimo quinto aniversário deste álbum, mas dentro do campo apenas se registrou.

Você poderia pensar que isso poderia ter animado a ele a ponto de sacudir os braços, ou coisa assim. Mas honestamente, ele não falava sobre isso como se fosse um grande negócio. Já ouvi mais emoção em sua voz falando em ir para ver Homem-Aranha 3 do que eu já ouvi quando ele estava falando sobre Thriller 25.

Não foi uma época feliz, aqueles meses depois de ter estado em Palms. Na superfície, era o de sempre, mas o clima na casa era um pouco sombrio. Na casa de Monte Cristo, apesar de tantos problemas que tinha, ali se via um esforço para torná-la uma casa, a construção da biblioteca e um estúdio de dança, uma sala de aula para as crianças. Em Palomino? Não se construiu nenhum estúdio, sem sala de aula, sem biblioteca. Não era uma casa.

Quando os aniversários das crianças chegaram, não voltou a ser como era, não havia mais palhaços e pontes. As pessoas ao seu redor agora, simplesmente não tinham o mesmo sentimento. Não se sentiam como Javon e eu que, sendo pais, deram mais de um toque paternal para fazer este trabalho.

Sabíamos que todas as coisas que você precisa saber para criar os filhos nesta cidade. Se eu quisesse um palhaço, eu desviava do meu caminho para encontrar um. Trampolins, decorações e bolos, fazíamos tudo isso. A equipe que estava com ele agora, a maioria deles não vive em Las Vegas. Eles eram de Los Angeles.

Se Sr. Jackson dissesse, "Nós temos que encontrar um palhaço," provavelmente não teriam sabido por onde começar.''

Javon: ''A nova equipe não tinha estado em torno da família o suficiente para saber seus gostos e desgostos, do seu fazer e não fazer. Nós sabíamos qual o tipo de cereal que cada criança gostava, esse tipo de coisa. Mas nós já não estávamos na casa para ajudar, e fazer o possível por eles, nunca mais. Estávamos para o transporte e proteção a cada vez que saíam de casa.

E não havia igual número de saídas nesta época, tampouco. As noites em que íamos dirigindo pela Strip e ver as pessoas caminhar? Não teve mais isso. Acabou. Levar as crianças para Krispy Kreme e Circus Circus? Talvez uma ou duas vezes.''

Bill: ''Não sabia mais dele e eu costumava ouvi-lo quatro ou cinco vezes por dia, todos os dias. Então eu liguei para ele e disse, ''Olá, Sr. Jackson. Aqui é Bill."

"Olá, Bill."

"Está tudo bem?"

"Eu estou bem. Há algum problema?"

"Não, senhor. Nenhum problema. Não houve sequer uma comunicação por algum tempo. Eu queria ter certeza de que está tudo bem."

"Claro. Obrigado por verificar, Bill".

E assim seria ele. Eu não sei se eu ele estava mal, eu só sabia que algo não estava certo. você sabia o que estava acontecendo com as crianças. Toda vez que se mudavam para um local desconhecido ou eram cercados por rostos estranhos, ele mantinha as crianças perto dele. A liberdade que lhes foi permitida em Monte Cristo ou Virginia, as vontades das crianças que fazíamos, ir a parques infantis e tal, esses dias acabaram.

As crianças estavam sempre sob sua proteção agora. Isso significava que a guarda tinha acabado.

Comecei a ter uma sensação desconfortável sobre a direção que tudo isso estava tomando. Por um ano, ele não o fez. Faça um movimento sem que eu soubesse. Então, um dia, por volta do final de fevereiro, talvez o início de março, recebi um telefonema de Pedro Lopez. Ele disse,

"Bill, Michael se pergunta onde você está."

Eu disse, "O que quer dizer 'se pergunta onde estamos?"

"Por que não está em Los Angeles?"

"Está em L. A.?"

"Sim."

"Sr. Lopez, eu nem sequer sabia que ele estava em Los Angeles.''

A outra equipe o tinha levado para a Califórnia sem nos dizer nada. Peter parecia tão confuso quanto eu. Ele disse, "Bill, o que está acontecendo aqui?

Eu disse, "Eu não sei. Fale com o Michael Amir."

Um par de dias depois, Sr. Jackson me ligou e disse, "Bill, onde está você? Por que não estão em L. A.?"

Isso me fez sentir incompetente, mas eu não soube o que dizer senão a verdade. Eu disse, "Senhor, eu não sabia que estava em L. A. .Ninguém me disse."

"Oh. Eu pensei que haviam dito a você. Eu vou falar com Michael Amir e veja se você pode descobrir quando eu estarei de volta em Las Vegas."

Eh? Descobrir quando você vai voltar? Eu queria dizer: "Por que você não pode me dizer agora, quando você vai voltar? Como você não sabe? Como você não é a pessoa que decide isso???"

Mas ele não o era. Ele não tinha o controle sobre o que estava acontecendo ao seu redor.''

Extraído do livro Remember The Time: Protecting Michael Jackson in His Finals Days escrito por Bill Whitfield e Javon Beard - ex-guarda-costas de Michael Jackson.

Fonte: http://mjhideout.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...