Remember The Time: Protecting Michael Jackson


Bill: ''Uma vez que o anúncio foi feito em Londres, e uma vez que as vendas dos cinqüenta shows se esgotaram, era como sangue na água para todos esses tubarões. Você pensou que era ruim antes? Agora todo mundo estava saindo, tentando se agarrar a isso.

Em Palomino tudo tinha passado por Tohme Tohme. Em seguida, em abril, bem no meio do período anterior, de repente, ele estava de fora. Sr. Jackson o demitiu. Sr. Jackson estava convencido de que esse cara não era de confiança.

Joe Jackson estava tentando montar um concerto reunindo os Jacksons, ver a eles juntos, de novo. Sabíamos que Sr. Jackson não queria fazê-lo. Quando o assunto veio à tona, o chefe apenas deu de ombros, colocou aqueles olhos e disse, ''Isso é tudo, Joseph''. 

Sr. Jackson disse, uma vez, que lhe encantaria mostrar aos seus filhos o que ele tinha feito com seus irmãos. Mas ele não queria ter nada a ver com os planos de negócios de seu pai e fazer qualquer coisa com seus irmãos implicaria seu pai. 

Mas Joe se apoiava em Katherine a fim de convencer Sr. Jackson a fazê-lo. A família não confiava em Tohme Tohme, então eles estavam tomando partido com quem estava tentando afastar a ele.

Mesmo depois que Tohme Tohme foi demitido, ele ainda estava pendurado em volta, afirmando ser o gerente de Michael Jackson. 

De alguma forma, Frank DiLeo tinha aproveitado seu tempo e, contratado pela AEG, agora ele estava reivindicando representar o Sr. Jackson, também. Foi um caos. Confusão total. Essas pessoas estavam lá fora assinando acordos, dizendo que eles eram representantes de Michael Jackson. 

E porque Sr. Jackson assinaria qualquer coisa que você colocasse na sua frente, tinha todos esses contratos em conflito e as cartas de acordo dando voltas, e todo mundo estava ameaçando processar todo mundo, porque violava esse acordo ou negócio.

Eu estava afastado de tudo isso, mas eu vi tudo o que estava acontecendo na indústria em torno do concerto. Não havia muitas pessoas que tinham o número direto para Michael Amir, nem todo mundo sabia que ele era o novo guardião.

Meu número era o último ponto de contato que muitas pessoas na empresa tinham para Sr. Jackson e eu estava recebendo chamadas o tempo todo. Foi uma loucura.

Todos estes e outros produtores que trabalharam em seus álbuns mais antigos, eles estavam me chamando e dizendo, ''Se Michael colocar tal canção no concerto, ele tem que pagar os direitos a fulano de tal. Ele tem que ligar para o meu advogado."

Eu estava recebendo chamadas como essa todos os dias. Pessoas ligavam somente para dizer, ''Ei, diga a Michael 'Boa sorte'...''

Não. Não houve nada como isso. Foi um frenesi. Eu só passava todas as mensagens em simultâneo para Michael Amir.''

Javon: ''Até mesmo Sra. Raymone estava de volta, tentando conseguir alguma coisa. Antes, quando estávamos vivendo em Monte Cristo, ela tinha organizado um jantar com o Sr. Jackson e alguém da AEG. Não tinha dado em coisa alguma, então. 

Mas agora que AEG tinha retornado para tentar novamente com Sr. Jackson, ela disse que lhe deviam algo. Embora Sr. Jackson tivesse pago centenas de milhares de dólares para ela ir embora, ela retornou após o anúncio de Londres e o processou por 44 milhões. 

Quando eu ouvi isso pela primeira vez que, nós dissemos... o quê? Depois de todo aquele maldito dinheiro que lhe pagaram? Ou é uma palhaça ou uma serpente. Você tem estado sempre a devorar esse cara, e agora quer 44 milhões de dólares por um acordo que não realizou? Que tipo de piada é essa?

Poderíamos dizer que ele não estava sendo bem cuidado - de repente, ele estava todo dia no noticiário. Os paparazzi estavam por toda parte. Apareciam fotografias dele no TMZ.com quase todos os dias. Quando eu vi todas aquelas fotos dele em Los Angeles, tudo que eu conseguia pensar era, ''Que diabos está acontecendo?"

Os paparazzi e as pessoas que cuidavam da sua segurança estavam levando a ele para dentro e para fora em lugares em plena luz do dia. Não podíamos acreditar que estivesse sendo assim.

Nunca levávamos Michael Jackson pela porta da frente de qualquer lugar, se pudéssemos evitar. Aqui desfilavam ao redor dele em frente às câmeras, sem parar.

Parte deste foi em Los Angeles e havia todo esse novo entusiasmo sobre o concerto, mas mesmo em Los Angeles, se você quiser evitar os paparazzi, você pode fazê-lo. É mais difícil. É necessário mais planejamento e mais esforço, mas as celebridades fazem isso o tempo todo. 

Pessoas famosas que não querem ser vistas não são vistas. Mas as pessoas que agora faziam a segurança do Sr. Jackson não pareciam se preocupar com sua privacidade. Elas se preocupavam mais sobre tentar colocar alguma coisa para gerar curiosidade para esta turnê. A vergonha é para todos que permitiram que isso acontecesse.''

Extraído do livro Remember The Time: Protecting Michael Jackson in His Finals Days escrito por Bill Whitfield e Javon Beard - ex-guarda-costas de Michael Jackson.

Fonte: http://mjhideout.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...