Entrevista para Sylvie Simmons [1983]


Citações de Michael Jackson extraídas de uma entrevista concedida a Sylvie Simmons em 1983, enquanto ele se preparava para gravar o curta-metragem Beat It.

"James Brown, Ray Charles, Jackie Wilson, Chuck Berry e Little Richard. Eu acho que eles tiveram fortes influências sobre um monte de gente, porque estes eram os caras que realmente fizeram o rock'n'roll. Eu gosto de começar com a origem das coisas, porque ao longo do tempo, elas vão mudando. É muito interessante ver como realmente era no começo."

"Eu gostaria de fazer isso com a arte também. Eu amo a arte, e sempre que vamos para Paris eu corro para o [Museu] Louvre. Eu nunca me canso. Eu vou a todos os museus de todo o mundo porque eu amo a arte, a amo demais, e eu acabo comprando tudo e você se vicia nisso. Você vê uma peça que você gosta e você diz, ''Oh Deus, eu tenho que ter isso!''

"Eu amo a música clássica, gosto de tantas composições diferentes Quando eu era pequeno e estava no jardim de infância, ouvia Peter and the Wolf e outras coisas - e eu ainda ouço [essas obras], é ótimo, e Boston Pops e Debussy, Mozart... eu compro todas as coisas porque eu sou um grande fã do clássico. Temos sido influenciados por todos os tipos de diferentes músicas - clássica, R&B, arte popular, funk - e eu acho que todos os ingredientes se combinam para criar o que temos agora.

"Eu não seria feliz fazendo apenas um tipo de música ou rotular a nós mesmos. Eu gosto de fazer algo para todos. Eu não gosto que a nossa música seja rotulada. Rótulos são como... o racismo."

"Minha carreira é principalmente o que eu penso sobre isso. É difícil conciliar as responsabilidades em torno dela. A minha música aqui, a minha carreira solo, meus filmes lá, TV e tudo o mais. É para isso que eu estou aqui. É como Michelangelo ou Leonardo da Vinci, Ainda assim, hoje, podemos ver o seu trabalho e ser inspirado por ele."

''Eu apenas gostaria de me manter [nisso] e inspirar as pessoas e tentar coisas novas que não foram feitas."

"Eu acredito em Deus. Todos nós [da familia]. Nós gostamos de ser corretos, não ficarmos doidos ou qualquer coisa. Não ao ponto de perder a nossa perspectiva de vida, do que você é de quem você é. Um monte de artistas ganham dinheiro e eles passam o resto de sua vida comemorando algo que alcançaram, e com essas festas vêm as drogas e o álcool. e então eles tentam se endireitar e dizem, 'Quem sou eu? Onde estou? O que aconteceu? 'E eles se perderam, e eles estão quebrados. Você tem que ter cuidado e ter algum tipo de disciplina."

"Eu não sou um anjo, eu sei. Eu não sou como um mórmon ou um Osmond ou algo onde tudo [tem que ser] em linha reta. Isso pode ser bobo, às vezes. Eles vão longe demais."

"Eu não diria que eu sou sexy! Mas eu acho que isso é bom, se é o que eles dizem. Eu gosto disso nos shows. É puro. O que não é legal é você topar com um monte de garotas - e isso acontece o tempo todo - você está no carro e tem todas aquelas garotas que estão na esquina e elas começam a explodir em gritos e pulam para cima e para baixo e eu só afundo no meu lugar. Isso acontece o tempo todo, todos sabiam onde morávamos antes, porque estava no ''Mapa das casas das Estrelas'' e eles vinham com câmeras. Elas acampam e pulam a cerca, dormem no quintal e invadem a casa.''

[Nota do blog: Michael concedeu essa entrevista em um condominio no Vale de San Fernando, onde a familia estava hospedada enquanto a sua casa estava sendo reformada.]

''Encontramos as pessoas em todos os lugares, mesmo tendo seguranças 24 horas eles encontram uma maneira de entrar. Um dia, meu irmão acordou e encontrou uma garota sobre ele em seu quarto. Pessoas entram na casa e dizem que querem dormir com a gente, ficar com a gente e geralmente, acaba que um dos vizinhos os acolha. Nós não os deixamos ficar. Nós não os conhecemos."

''Conhecemos muitas e muitas pessoas, porque temos uma família tão grande. Mas [tenho] talvez dois, três bons amigos."

"Nós fomos para a escola, mas eu acho que nós éramos mesmo diferentes, porque todo mundo na vizinhança sabia sobre nós. Ganhávamos cada show de talentos e nossa casa estava carregada com troféus. Sempre tínhamos dinheiro e podíamos comprar coisas que as outras crianças não poderiam, como doces extras e muita goma de mascar - nossos bolsos estavam sempre carregados e nós dividíamos os doces. Isso nos deixou populares mas, principalmente, tivemos ensino particular e eu só fui para uma escola pública uma vez na minha vida.''

"Eu tentei ir para outra aqui, mas não deu certo, porque um grupo de fãs invadiu a sala de aula, ou na saída da escola tinha um grupo de crianças esperando para tirar fotos e coisas assim - ficamos naquela escola por uma semana. O resto foi em escola particular com outras crianças do meio artístico ou filhos de artistas, onde você não seria importunado.''

[Sobre estar sempre rodeado pelos irmãos]

"Honestamente, isso não acontece [de me incomodar] e eu não estou dizendo isso para ser educado. Nós somos tão bobos quando estamos na estrada. Nós jogamos jogos, jogamos coisas um contra o outro... parece que quando você está sob pressão, você encontra algum tipo de escapismo para compensar isso. Porque a estrada [turnês] tem muitas tensões: trabalho, entrevistas, fãs agarrando você, todo mundo quer um pedaço de você, você está sempre ocupado, os telefones tocando a noite toda com os fãs chamando você, então você coloca o telefone debaixo do colchão, os fãs batem na porta gritando, você não pode nem sair do quarto sem eles te seguirem. É como se estivesse em um aquário e eles estão sempre observando você.''

[Sobre relaxar]

"Eu vou a museus, para conhecer e estudar... eu não faço esportes porque é perigoso. Há um monte de dinheiro que está sendo contado, e nós não queremos arriscar nada. Meu irmão machucou a perna em um jogo de basquete e nós tivemos que cancelar o concerto, e só por causa dele ter uma hora de diversão, milhares de pessoas perderam o concerto, e nós fomos processados de todos os lados por causa de um jogo - eu não acho que vale a pena, eu tento ter um real cuidado."

[Sobre a mídia]

''A revistas podem ser tão estúpidas, às vezes, que eu gostaria de apertar [seus pescoços]! Uma vez eu fiz uma citação sobre eu me preocupar com a fome e por eu amar as crianças e querer fazer algo sobre o futuro. Eu disse, ''Um dia, eu adoraria ir para a Índia e ver as crianças famintas e realmente ver [de perto] o que se sente''. E eles escreveram que ''Michael Jackson adoraria ver as crianças morrendo de fome, para que vocês possam ver que tipo de pessoa que ele é!"


[Sobre sua imagem sexy no palco]

"Essa coisa sobre sexy é espontânea. Realmente se cria por si mesmo. Uma vez que a música toca, ela me cria. Os instrumentos se movem através de mim, eles me controlam. Às vezes, eu fico incontrolável e isso apenas acontece - Bum, bum, bum! - Uma vez que começa dentro de você."

[Sobre o perfeccionismo]

"Eu nunca estou satisfeito com o que eu faço eu sempre acho que posso fazer isso muito melhor."

[Sobre o boato do diretor Francis Ford Coppola querer fazer o filme de Peter Pan com ele]

"Eu não me importo. Eu sinto que sou como Peter Pan, bem como Matusalém, e ainda como uma criança. Eu adoro tanto as crianças! Agradeço a Deus por elas. Me salvaram todas as vezes!''

[Sobre fazer um filme de sua própria vida]

"Não. Eu odiaria interpretar minha própria história de vida [fazendo uma careta]. Eu não vivi ainda! Eu vou deixar alguém fazer isso."

Fonte: http://www.theguardian.com

14 comentários:

  1. O jovem Michael sempre tão consciente de sua responsabilidade, das consequências boas e ruins que o sucesso traz. De não ter se deixado seduzir pela fama. Fico impressionada com a clareza de pensamentos e opiniões dele, tão diferente do que a maioria dos artistas pensam e agem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, essa maturidade desde tão jovem sempre me impressionou. Lembra que noutro dia vc falou que Michael já devia ter visitado o museu Louvre em outras ocasiões?

      ''Eu amo a arte, e sempre que vamos para Paris eu corro para o [Museu] Louvre''

      Aqui ficou confirmado! \0/

      Excluir
  2. Motivos não faltaram p ele se afundar nas drogas, bebidas, sexo,... Era persseguido, massacrado,... e por outro lado tinha o dinheiro e a fama necessárias para conseguir isso. Mas ele canalizou tudo para ser útil ao próximo, para oferecer o melhor do seu trabalho e para fazer a diferença nesse mundo.
    Ele sempre estudou os melhores dentro da sua área e se tornou um deles. Quando alguém quiser saber como alcançar as suas metas (sem passar por cima de ninguém), ser generoso e culto, basta olhar para a conduta de vida dele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Michael cresceu com uma maturidade precoce, porque já estava destinado para a sua missão e também, todas as tribulações.

      Excluir
    2. É isso mesmo meninas!!! :)

      Excluir
  3. Retificaando... perseguido...

    ResponderExcluir
  4. E é por isso que a mídia e muitas pessoas não gostam dele. Porquê ele tinha tudo para se perder, mas foi em direção contrária, salvou pessoas.

    No documentário que estou assistindo da Bad Tour no Japão (difícil porque não tem legendas), o narrador fala sobre a vida de Michael, sobre o seu jeito de ser, o gosto pelos parques de diversão. E diz, todos temos lembranças boas de nossa infância, mas é estranho um homem de sua idade ainda gostar de parques, como ele gosta. Mas, se olharmos para sua vida, sem crianças por perto para brincar, sem liberdade para ter amigos de sua idade, sem tempo para ser criança, não fica tão estranho assim. Gostaria de salvar o planeta, salvar o mundo, e principalmente, salvar as crianças, canta Michael.

    Um jovem comum, com camisa de listras comum, comprando coisas comuns num shopping, como esta única pessoa pode arrebatar milhões de corações como ele faz?

    Então conclui, será que Michael tinha uma alma bonita demais para viver aqui?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim... ao invés de posar ao lado de mulheres o tempo inteiro, ele se rebelava e posava ao lado do Mickey e da Minnie em seus passeios pela Disney. Ou ao lado de chipanzés, cobras e lhamas.

      Uma rebeldia saudável de quem se recusa a cumprir o papel que os outros tentam impor.

      Excluir
  5. Assino embaixo de todos os comentários. Michael, o doce e carismático rebelde que incomodou muitos.

    Lindo o anjo nas fotos, com o figurino do vídeo Beat It. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O anjo rebelde. Lindo mesmo, nas imagens! :)

      Excluir
  6. Concordo com todas vocês. Os animais, os museus as crianças, o desejo de mudar o mundo, o desejo de apresentar o melhor para o mundo, ocupou a
    vida de Michael que sempre teve uma mente sadia. Se ele desviasse a forma de pensar para estar se exibindo com lindas mulheres dentro de carrões, noitadas, jogos, ele não teria dinheiro para usar naquilo que realmente lhe importava: o olhar para os menos favorecidos, a luta para salvar a natureza, o desejo de salvar um doente, a doação em dinheiro para grandes causas... ele é insuperável porque ele tinha vários focos de atuação, todos voltados para a caridade.

    ResponderExcluir
  7. Não somente pelo dinheiro, mas não era mesmo o seu estilo fazer noitadas e coisas assim. Ele sequer gostava de sair para ir a um clube, quando mais jovem. Muito caseiro. Lembro dele dizer que custou a sair da casa de sua mãe porque ele morreria de solidão, visto ser avesso a esse tipo de vida ''alternativo''. Os clubes não traziam boas lembranças para ele, porque lembravam a ele os lugares que ele teve que trabalhar desde muito pequeno, quando era obrigado a ver mulheres fazendo strip tease e essas coisas. Ele disse ''eu odeio clubes''.

    ResponderExcluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

*Bem-vindos, Moonwalkers! :)
Os comentários são moderados [a fim de evitar spams]
e estarão visíveis tão logo eu esteja on-line.
Esta página é feita com amor e eu agradeço a sua presença.
*Rosane [admin. do blog]

Obs.: Para assuntos não referentes à matéria eu peço que utilize o email [cartasparamichael@gmail.com] ・。.。・゚゚・。.。・゚゚・。❊

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...