The King of Style: Dressing Michael Jackson (38)


Come Together

''Quando Michael chegou a fim de planejar o figurino para sua performance ao vivo de Come Together para o filme Moonwalker, o seu pedido não podia ser menos específico:

"Faça com que seja eu, Bush, mas faça diferente.''

Bad era todo cinturões, fivelas, emblemas da polícia e visual de motociclista, mas desde o final da turnê tínhamos começado a diminuir os cintos. Mas Come Together ainda fazia parte de Bad e teríamos que encontrar uma maneira de permanecer no tema, satisfazendo o pedido "incomum" de Michael.

E voltamos ao cinturão.

Em vez de placas de polícia na qual se lia "agente especial" o qual adornava a jaqueta de Bad, Dennis esculpiu duas cabeças de águia nas fivelas de prata, representando força e liberdade em um pesado cinturão de campeões. Seis grandes placas de prata iguais e sete menores ao redor, com folhas de acanto alternando entre as grandes.

Sobre a fivela, Dennis criou duas asas que alcançavam dez polegadas e meia no centro da cintura de Michael, de 28 polegadas. Para dobrá-las ao corpo de Michael, ele usou um maçarico para modelar. O domínio das asas foi reforçado por um gravado em ouro 18 quilates de ouro onde dizia Bad.

Vestimos Michael com uma sedutora camisa de seda amarela e uma jaqueta preta de motociclista com zíper na lateral. Não era sua silhueta de costume, mas ainda era Michael.

Adicionado um cinto de prata em conjunto com as placas do cinturão e fizemos calças de couro cortadas no padrão Levi's, com elástico nas costuras. Michael usava um par de botas Beatle até o tornozelo, parecidas com as que ele usou no curta-metragem Bad, com as pontas de metal.



As botas sabaton

Sabaton é a parte da armadura de um cavaleiro que cobre seus pés. Mas nós não sabíamos disso até Michael nos enviar para Londres para ver armadura em 1991. [...]

''Eu preciso de sapatos de metal com os quais se possa dançar'', nos disse, quando voltamos de viagem.

Michael queria botas Sabaton, mas sabíamos que se o metal não se dobrasse, poderia ser doloroso para usar e difícil de caminhar e dançar.

Nós falamos com pessoas que conhecíamos [no ramo de] efeitos especiais e adereços. Lhes dissemos que estávamos fazendo um par de botas todo em metal, que poderia se unir a uma Beatle de couro.

"Isso não pode ser feito, o metal não cede. Não poderá dobrar-se ao contorno do pé'', disseram.

Mas nós persistimos. Dennis passou semanas estudando livros e desenhando diagramas até que encontrou uma maneira de fazer o metal ceder.

Com os desenhos nas mãos, encontramos Michael na Record One em Sherman Oaks, onde ele estava gravando.

"Eu aprendi como fazer botas de metal com as quais você pode dançar", disse Dennis para Michael, lhe mostrando a folha de papel. "Observe.''

Michael olhou, fazendo de conta que compreendia a análise e a ciência por trás do desenho de Dennis.

"Você tem quatro semanas", ele disse, escrevendo a data no desenho. Nós não tínhamos ideia se ele as necessitava para algo e realmente não importava. Tudo o que importava era que nós tínhamos quatro semanas e o relógio tinha começado a correr.

Para tomar as medidas dos pés de Michael, fizemos moldes de seus pés e um sapateiro fez as botas Beatle de couro. Depois de cobrir a elas com alumínio, Dennis marcou linhas verticais os lugares onde se movem os pés: na linha dos dedos e no tendão de Aquiles.

Depois, as cortou com uma faca e usou as peças como padrões para algumas novas peças que seriam feitas em metal. Fez orifícios nestas novas peças e as uniu com alfinetes.




Cada pedaço de metal tinha um quarto a um oitavo de uma polegada de espessura, em sentido descendente desde o tornozelo até os dedos do pé, sobrepondo-se umas às outras, como telhas de uma casa. Isto permitia que cada pedaço de metal deslizasse sob o que estava sobre ele, o que permitia que o pé se dobrasse, criando a ilusão de metal sólido.

O primeiro protótipo tinha a ponteira quadrada, mas quando mostramos para Michael na Record One, disse que preferia a ponteira mais fina para movimentar o pé.

Dennis guardou para si mesmo a sua primeira resposta [apropriada somente para que o diabo a escutasse] e no tom de um soldado recebendo ordens, disse, ''Eu vou estar de volta em poucos dias."

Dennis teve que começar do zero com um novo par de botas com ponta afinada, o qual concluiu em apenas três dias. Antes de fazê-las em prata, Dennis queria saber se Michael poderia usar confortavelmente. Seria muito caro e arriscado cortar a prata apenas para descobrir que ele não poderia usar. Ele tirou a prova fazendo um protótipo em aço de calibre 18, pesando 4,5 kg.

Estávamos no Hotel Madison em Washington, há poucas horas antes da visita de Michael à Casa Branca. Enquanto isso, Michael olhava para elas como se fossem um presente de Natal, virando [as botas] de todos os lados, fascinado pela forma como a bota de couro estava escondida sob o metal.

Ele se queixou da dureza do metal, dizendo que parecia que tínhamos tirado de um ferro-velho, e recordei a ele que, na verdade, eram de prata. Eu ajudei a colocá-las e ao caminhar ao redor da sala, ele se virou e ofereceu sua melhor aleluia, exclamando, ''Funcionam!''

Dennis levou cerca de sete semanas para fazer um perfeito par de botas, trabalhando com especialistas ourives que o ensinaram. Não havia espaço para erro. A prata é muito cara para ser tratada como argila. Um erro e não há como voltar atrás. As soldou, moldou e costurou de modo que o couro e a prata se unissem de um modo imperceptível. O produto final daria a impressão de que Michael estava andando com sapatos de metal sólido.

Quando as apresentamos, ele ficou aliviado ao ver. ''Se parecem com jóias", disse, enquanto observava a superfície das botas polidas. "Eu sabia que você poderia fazê-las. Obrigado."

Alguns eventos em que Michel usou as botas sabaton




Por Michael Bush (estilista de Michael Jackson)
Extraído do livro The King of Style: Dressing Michael Jackson

Fonte: MJHideout
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...