O catálogo dos Beatles


Como Michael Jackson adquiriu o direito às canções dos Beatles

Durante os meados dos anos 80, um grupo dos empresários mais experientes da América se reuniu para traçar uma estratégia financeira para um conglomerado de entretenimento de bilhões de dólares. Uma organização foi oficialmente incorporada, poderia ter sido chamada de Michael Jackson, Inc.

Em 1985, esse conglomerado fez a sua aquisição mais substancial: ATV, a empresa que hospedava o catálogo musical premiado dos Beatles. Foram incluídos os direitos autorais para a maioria dos maiores sucessos da banda, incluindo Yesterday, Come Together, Hey Jude e centenas de outras.

O catálogo, que mais tarde se fundiu com Sony para formar Sony / ATV, atualmente controla mais de dois milhões de canções de artistas que vão de Eminem até Taylor Swift, tornando-se a maior companhia de publicação de música do mundo.

E Michael estava conversando sobre ter esse catálogo e não querendo incomodar ninguém. Ele permaneceu em silêncio, como sempre fazia nas reuniões, mas ele já tinha tomado sua decisão. Ele rabiscou uma nota na parte de trás de uma ficha financeira e passou para John Branca por baixo da mesa, que desde então tratava das finanças para dezenas de grandes nomes do rock, incluindo os Beach Boys e Rolling Stones - e Michael Jackson, o Rei do Pop.


"John, por favor, não vamos negociar", ele disse.  "Eu não quero perder o negócio... É meu catálogo.''

Alguns meses mais tarde, Michael Jackson comprou a ATV por um preço de 47,5 milhões dólares. Hoje, a Sony/ATV vale cerca de $ 2 bilhões; através do espólio de Jackson, seus herdeiros ainda possuem sua metade. Isso não seria o caso, se não fosse a manobra astuta e a determinação inabalável de Jackson e sua equipe.

A incrível história começa mais de um quarto de século atrás, no Reino Unido, durante um encontro entre dois grandes nomes. 

Uma noite, em 1981, na casa de Paul McCartney nos arredores de Londres, o ex-Beatle entregou para Michael Jackson um fichário. Dentro,havia uma lista de todas as músicas cujos direitos de publicação eram detidos por McCartney. Depois de deixar boa parte de seu próprio catálogo de composição escapar como um jovem, ele estava comprando os direitos de autor por anos. 

"Isto é o que eu faço. Eu comprei o catálogo do Buddy Holly, um catálogo da Broadway", disse McCartney a Michael Jackson.


Michael ficou surpreso e isso mexeu com ele, pois nessa época ele teve um faturamento de milhões e precisava investir. Os seus advogados mostraram vários imóveis, mas não era isso que ele queria e, depois de escutar uma fita trazida por um dos advogados, Michael começou a comprar alguns direitos de alguns sucessos dos anos 60, como por exemplo, Cowboys to Girls do grupo The Intruders.

Associada a Michael, Karen Langford disse, "Ele queria ser o editor no mundo número um... e ele viria para cima, de muitas maneiras diferentes, mas sempre foi o número um, chegar a esse ponto... o número um. Sendo o maior, ser o melhor."

Michael tentou comprar os direitos das músicas da Motown, mas Berry não estava pronto para vender na época.

''Michael", começou John Branca, timidamente, em uma reunião em setembro de 1984, ''Eu acho que eu ouvi de um catálogo para venda."

"O que é isso?" 

"É ATV". 

"Sim, então o que é isso?" 

"Eu não sei, eles possuem alguns direitos autorais, eu estou tentando me lembrar", disse Branca, fazendo uma pausa para o efeito. Em seguida, ele ofereceu alguns nomes: Yesterday, Come Together, Penny Lane e Hey Jude

''Os Beatles?", exclamou Jackson.

O único problema: o catálogo pertencia ao bilionário Robert Holmes à Court, uma corporativa australiana conhecida por uma paciência de aço. Nada disso importava para Jackson. Suas instruções para John Branca foram, "Você tem que me dar esse catálogo."

O advogado lembra dos dias frenéticos que se seguiram. Sua primeira tarefa: foi averiguar com Paul McCartney e Yoko Ono, ambos amigos de Jackson. Como a viúva de John Lennon, estava no comando de sua propriedade e havia boatos de que ela teria algum interesse em fazer uma oferta conjunta para ATV com McCartney.

Michael Jackson resolveu aguardar, evitando um confronto.

"Eu tenho Yoko ao telefone", lembra Branca. "E então eu disse: 'Michael me pediu para chamá-la a fim de saber se você está fazendo alguma oferta pela ATV Music, que detém todas as músicas dos Beatles." 

"Não, nós não estamos oferecendo." 

"Não?" 

"Não, não, se nós tivéssemos comprado, então teríamos que lidar com Paul", respondeu Yoko. "Isso teria sido uma coisa toda. Por quê?" 

"Porque Michael está interessado."

Branca disse que seu próximo passo foi verificar com John Eastman, advogado de Paul McCartney e irmão da Linda McCartney. De acordo com Branca, disse Eastman que McCartney não estava interessado porque o catálogo era " demasiado caro." Esta foi uma das muitas razões que nem Branca nem Bandier acreditavam que McCartney iria investir tal grande quantidade de dinheiro.

Apesar das canções dos Beatles serem compostas por cerca de dois terços do valor da ATV, o terço restante consistia de ativos que McCartney não queria: direitos de milhares de outras composições, uma biblioteca de efeitos de som, até mesmo alguns imóveis. 

O comportamento de Paul foi muito, muito mais estruturado financeiramente", diz Bandier. Adiciona Joe Jackson: "A única razão de Michael ter comprado o catálogo era porque estava â venda. McCartney e Ono poderiam ter comprado o catálogo para si. Mas eles não o fizeram."

Há também uma explicação para a falta de vontade artística de McCartney. "Eu nunca pensei que Paul McCartney iria comprá-lo, porque é muito difícil para o criador de alguma coisa [para comprar]", diz Bandier. "Seria como Picasso, que passou um dia fazendo uma pintura, voltar para comprá-la por  US $ 5 milhões, vinte anos depois. Não seria uma coisa que Paul faria."

Depois de várias reuniões e conversas, Michael comprou o catálogo e os direitos das músicas dos Beatles, sem nenhuma intervenção ou contra-proposta de Yoko ou Paul McCartney para obtê-las.

Michael recebendo os cumprimentos no dia em
que se tornou o proprietário do catálogo


Fonte: http://www.forbes.com
Um extrato do livro Michael Jackson, Inc.
Imagens do meu arquivo

Nenhum comentário

Postar um comentário

*Bem-vindos, Moonwalkers! :)
Os comentários são moderados [a fim de evitar spams]
e estarão visíveis tão logo eu esteja on-line.
Esta página é feita com amor e eu agradeço a sua presença.
*Rosane [admin. do blog]

Obs.: Para assuntos não referentes à matéria eu peço que utilize o email [cartasparamichael@gmail.com] ・。.。・゚゚・。.。・゚゚・。❊

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...