The Way He Made Me Feel (02)


Trechos selecionados do livro The Way He Made Me Feel 
(2005) uma biografia da modelo Tatiana Thumbtzen.

''Com nós dois éramos extremamente tímidos, não nos falávamos muito no início. Entretanto, nós sorríamos e olhávamos um para o outro. A equipe era ótima e o escritor David Banks foi maravilhoso.

Foi um primor. O show de "todos os shows". Mesmo os membros de gangues verdadeiras que ele contratou eram agradáveis. Eu acho que estar em um set poderia despertar a gentileza em quase todos.

A única pessoa de quem eu me tornei próxima no set, foi o assistente de Michael, Craig Parks. Nós nos sentamos e conversamos sobre o quão incrível era o set e como era realista, uma réplica perfeita de Nova York. Também falamos sobre os caras serem membros de gangues reais.

Eu disse a ele como eu estava animada para trabalhar com o meu ídolo. Craig tinha trabalhado com Michael várias vezes antes. Ele me contou sobre suas experiências com Michael e como ele amava brincadeiras.

Os últimos dias de filmagens com Michael para mim tinham se tornado melhor. Todo mundo ficou mais relaxado e natural. Ou seja, foi quando Michael e eu dividimos um momento especial. O quebra-gelo.

Esta foi a mesma manhã em que o diretor me tratou de um jeito que eu nunca teria esperado. Ele me pegou de surpresa total.

Eu estava no lado oposto a Joe [diretor Joe Pytka - nota do blog] esperando por sua orientação, quando ele gritou com alguém. Lembro-me de pensar: ''Meu Deus, esta é a forma como ele trata a sua equipe? Isso é terrível.''

Eu não tinha ideia que o meu estaria chegando em breve. Conforme eu comecei a minha parte, ele retrucou! Eu nem sei o que eu fiz para receber esse tratamento, nem mesmo neste dia.

Ele começou a gritar: "Você, sua p*** estúpida! Qual é o seu problema? Você não tomou a p**** do café ainda?"

Meus olhos ficaram arregalados, minhas orelhas ficaram vermelhas e meu coração ficou aflito. Eu não podia acreditar que ele estava me tratando assim.

Eu estava congelada em meus passos. Senti as lágrimas brotarem em meus olhos e eu estava chocada com tantas emoções, que eu não pude controlar as lágrimas que estavam prestes a fluir de meus olhos.

Eu o ouvi dizer: "Deixe-me saber quando você estiver pronta para o trabalho."

Me tornei determinada a não deixar que sua aura negativa me derrubasse. Eu respondi:

"Não, deixe-me saber quando você estiver pronto para trabalhar", e eu corri fora do set.

Eu corri para o vestiário e eu chorei por cerca de cinco minutos. Eu derramei toda a dor que suas palavras causaram. Alguns dos rapazes e os estilistas me perguntaram o que estava errado, e por que eu estava chorando. Minhas emoções tomaram conta e eu não pude responder. Eu simplesmente não conseguia falar nada.

Joe Pytka é conhecido por esse comportamento, e eu estava lentamente aprendendo isso. Alguém me disse que havia uma ação judicial contra ele, por causa disso.

[A top model] Cindy Crawford falou sobre seu temperamento, quando ela fez comerciais para a Pepsi Cola, anos atrás. Ela disse que ele chamava as modelos de nomes como ******. Ele admitiu xingar outras meninas, mas nunca ela. Claro que ele não se atreveria a tentar fazer isso com Cindy Crawford. Ela era muito famosa!

Eu simplesmente não conseguia entender a mentalidade de seu tratamento. Eu sinto que eu posso honestamente dizer como eu sou e permanecer humilde em toda a estranheza de Hollywood. Eu sinto que eu sou tão real como eles veem. Afinal, eu sou apenas um ser humano.

Foi incrível para mim ele me tratar dessa maneira, e eu não podia acreditar que ele trabalhava com tanta energia negativa. Eu quero dizer sobre ele ser um dos melhores, em sua área.

[Joe Pytka é um diretor muito premiado em seus trabalhos de comerciais e no evento Super Bowl - nota do blog]

[Retornando ao set] Quando eu voltei ao set, eu estava disposta a esquecer. Apenas por uma questão de profissionalismo, mas eu nunca vou me esquecer. Foi surpreendente que a atitude de Joe mudou, de repente, uma vez que eu voltei. Ele foi um pouco mais gentil.

Mais tarde, soube que [o fotógrafo] Sam Emerson observou ele gritando comigo e o denunciou para Michael. Foi Frank Dileo quem veio falar com Joe. Tudo o que ele disse, ajudou, Joe nunca mais me atacou abertamente.

Havia pequenos comentários, como: "Você não é uma estrela! A modelo Tatiana Petitze é uma estrela.'' Tatiana Petitze era uma supermodelo famosa, na época. Ele sussurrava assim, no meu ouvido. Eu acho que este devia ser o seu jeito de me manter humilde ou algo assim.

Por esta altura, Michael chegou no set e parecia preocupado comigo. Eu podia ver isso em seus olhos. Ele perguntou: "Você está bem?''

Eu expressei que eu não entendia por que Joe usou essa linguagem. Não era tanto dele gritar comigo, mas pela linguagem e o tom que ele usou. Eu disse a Michael que eu sou uma mulher, e eu não esperava esse tipo de tratamento de ninguém.

Logo, eu esqueci. Eu estava feliz que Michael havia chegado. Um pouco mais tarde, La Toya, irmã de Michael e sua mãe Katherine chegaram.''

Fonte: http://mjfa.forumotion.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...