Miguel Gandelman


O saxofonista brasileiro Miguel Gandelman relata
a experiência de trabalhar com Michael em This Is It.

" (...) Recebi ligação do diretor musical, Michael Bearden (...) Ele disse que Michael Jackson nunca teve um naipe de metais ao vivo com ele, no palco. Apesar de o som dele ser marcado pelos metais, ele nunca teve ao vivo. 

E como essa seria a última turnê dele, ele gostaria de colocar a gente para tocar. Michael queria que fosse a maior turnê, uma coisa esplêndida. Michael que tinha a palavra final em tudo. Por mais que o diretor musical tenha chamado a gente para o show, a palavra final era dele.

Nós passamos dois dias ensaiando, tocando com o cara, vivendo ali com ele. Vendo-o dançar na nossa frente, super feliz. Foi uma coisa experiência única. Michael era gente boa pra caramba, uma pessoa do Bem. Lindo, maravilhoso.

A banda foi disposta de forma que ele ficasse de frente pra gente. O cara estava a três passos de mim. A gente olhando nos olhos dele. [Vimos de perto] ele dançando, sorrindo, gritando e fazendo as "paradas" dele.

Tocamos Thriller, Jam, The Way You Make me Feel, Wanna Be Starting Something. Eu fui o último saxofonista a tocar com Michael. Tive o privilégio de ter feito ele dançar com a minha música. Isso é uma coisa divina que eu vou guardar para o resto da minha vida.

Realizei aquele sonho de tocar Thriller com Michael. Com ele na minha frente, olhando e rindo. Aquilo ali vai ficar na minha cabeça pra sempre. Montaram a banda em frente a Michael, pra ele poder ficar de frente para todo mundo, dando opiniões. Ele era um cara muito envolvido musicalmente com tudo.

O Michael era o cara que tinha a palavra final em tudo o que acontecia na produção. Ele dirigia a música inteira, do tom da guitarra ao "groove" (suingue) da bateria. 

Ele dizia: "O som não é esse, é mais assim, é mais assado". Ele foi um dos artistas mais completos que eu já vi.

Ele estava com uma camiseta normal, branca, e com um jeans. Este negócio que diziam que ele tinha hematomas no braço... não tinha nada disso. A cara e a voz dele não tinham nada de diferente.

Ele era um ser humano normal, um homem normal. Ele sempre foi uma pessoa magra, mas nada de `Ai, meu Deus, coitado desse cara.`

Ele era uma pessoa muito tímida, só isso. Mas você sentia a pureza, a "vibe", a aura, o quão puro o cara era. Ele era uma pessoa muito abençoada, uma pessoa divina.

Ele estava...  foi inimaginável. Obviamente ele não era aquele Michael de 20 anos de idade, mas estava bem. Não presenciei a vida pessoal dele, só a música. E a vida musical dele estava 100%. 

O que Deus deu pra ele estava ali. Estava presente, bonito, vendo a música dele acontecendo. O cara estava 100% presente, fazendo o trabalho dele.

A gente sabia qual era o projeto. O diretor musical, Michael Bearden, queria fazer desta última turnê do Michael a maior, visual e musicalmente.

Michael Jackson estava com todo um repertório novo de danças, que ninguém nunca tinha visto. A gente é amigo dos bailarinos que faziam parte da turnê. Eles disseram que ficaram chocadíssimos quando viram Michael no ensaio fazendo novos movimentos e novas "sacações" de dança que ele nunca tinha feito.

O cara estava super feliz, super legal. Olhei no olho dele, apertei a mão. Isso que me impressionou mais. Quando cheguei em casa, eu liguei para o meu pai, para a minha mãe, só para dizer que tinha tocado para ''o cara''.

Ele é um ser humano, porque você tem na cabeça: *******, é o Michael Jackson! Você acha que vai ver o cara com uma capa e sair voando. É um homem normal, estava com uma camiseta Hering branca, uma calça jeans e falando com todo mundo. Dando ordem. Aí dançava, cantava e gritava. Muito legal."

Miguel Gandelman
*Saxofonista brasileiro residente em Los Angeles.

Créditos: http://michaeljacksonthelightman.blogspot.com.br

31 comentários:

  1. Que super depoimento! Realmente This is it ia ser um mega show, michael sempre se envolveu com tudo e tinha o conhecimento de tudo sobre seu trabalho!
    #legal sabe que mais um brasileiro teve a oportunidade de trabalhar com Michael. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi a Wendy que me lembrou ter esse depoimento de mais um brasileiro no seu blog, e me permitiu republicar aqui.

      [Obrigada, Wendy!]

      Mais um profissional encantado com a presença pessoal de Michael.

      Excluir
    2. ''Mas você sentia a pureza, a "vibe", a aura, o quão puro o cara era. Ele era uma pessoa muito abençoada, uma pessoa divina.''

      Muito legal!

      Excluir
    3. De nada amiga! ♥

      Mais um brasileiro com credibilidade trabalhando com Michael e dando um testemunho honesto sobre o ser humano Michael.

      ♥ ♥ ♥

      Excluir
  2. A Lais disse bem, "Que super depoimento!"
    Emocionante, lindo e sincero.
    É uma enorme pena.... ele chegou tão perto, faltando dias e não conseguiu realizar o sonho de mostrar o mega show aos seus filhos e aos fãs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Miguel já vem de uma família de músicos e é super bem cotado no meio profissional norte-americano.

      Excluir
    2. além de ser um gato!
      Nunca tinha ouvido falar nele, mas falou bem de MJ eu viro fã.

      Excluir
  3. "Ele é um ser humano, porque você tem na cabeça: *******, é o Michael Jackson! Você acha que vai ver o cara com uma capa e sair voando. É um homem normal, estava com uma camiseta Hering branca, uma calça jeans e falando com todo mundo."

    Simplicidade, humildade... com a marca registrada de um anjo.

    ♥ ♥ ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As meninas amaram eu ter trazido esse maravilhoso depoimento do teu blog, angel!

      *Michael de camiseta Hering e jeans.. é de matar, mesmo! [no bom sentido]

      Excluir
  4. Olá Rosane,dá muito orgulho saber de mais um brasileiro que trabalhou com o nosso anjo.eu fico imaginando a sensação dele ao conhecer o Michael

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Natália! Logo vamos descobrir mais um nome para a nossa coleção.

      Excluir
  5. Bom dia Rosane,

    ah que depoimento mais lindo e nada menos de um brasileiro que teve o grande previlégio de ver Michael a poucos metros e tocar pra ele.
    Achei a fala dele muito sincera, muito real e é tão tocante ele dizer que Michael, tinha uma pureza, uma aura, como se ele fosse uma pessoa divina, achei o máximo!
    Que brasileiro sortudo ter testemunhado novos passos de dança e sentir que TII seria um grandioso espetáculo!
    Obrigada Wendy , obrigada Rosane!

    Bjinhos angels de Michael!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, amiga! E é sempre bom observar que não são palavras de tietagem de uma fã, mas de um homem, um profissional que, antes disso, não acompanhava seu trabalho de perto, e testemunhou, após esse encontro, como era conviver com Michael no trabalho. Muito legal! Bjs, angel.. e um feriado tranquilo para vc!

      Excluir
  6. Quando eu lembro que TII não aconteceu, sinto mais pelos filhos dele que por nós, que já conhecíamos a sua grandeza; eles iriam vê-lo pela primeira vez ao vivo, de perto, iriam abraçá-lo, beijá-lo, entendendo porque o mundo o adorava. Dói demais não ter acontecido, gente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi mesmo um pecado os filhos nunca poder ver o pai se apresentando no palco.

      Excluir
  7. Rosane, meu comentário sobre este depoimento foi recebido?
    Porque por duas vezes quando fui publicar, deu um problema. Obrigada por sua atenção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todos os que eu recebi, estão publicados. *--*

      Excluir
  8. Quando eu penso que TII, não aconteceu, eu sinto mais pelos filhos
    de Michael do que por nós, que já sabíamos da sua grandeza, mas as crianças iam ver ao vivo, de muito perto, iam abraçá-lo, beijá-lo, testemunhar porque o mundo o adorava. Dói demais, gente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. [este comentário já estava publicado mas acima, tá? Bjs,]

      Excluir
    2. Marinalva tb penso muito sobre isso.
      Ele chegou tão perto de mostrar tudo aos seus filhos. Li vários relatos de pessoas que faziam parte de sua rotina e eles disseram que, infelizmente, Michael sabia que os shows não iriam acontecer.:
      Ian Halperin relata em seu livro:
      "Uma pessoa do círculo íntimo de Jackson comentou... Ele me confessou que tinha desistido de tudo e que os ensaios que fazia no Staple Center para a temporada no O2 Arena em Londres eram "um ato de futilidade"."

      Leonard Rowe sobre os últimos meses: "... Só que dessa vez, por algum motivo, era diferente. É como se ele soubesse que não chegaria a fazer esses shows em Londres. Parecia não se importar com algumas coisas que costumava levar muito a sério... Era como se ele tivesse uma intuição ou algo assim, algum tipo de premonição de que não fosse se apresentar em Londres."

      Excluir
    3. Se me permite, Leda, Ian Halperin não merece a minha consideração, visto que, entre outras coisas, denegriu a imagem de Michael, AFIRMANDO que Michael tinha dois amantes gays e outras coisas.

      Excluir
    4. Aliás, ele é odiado pela comunidade de fãs de Michael.

      Excluir
    5. Pôxa Rosane, desculpe-me... eu não sabia.
      Pode deletar, não tem problema algum, ok?
      Li o livro dele onde relata uma investigação convencido que Michael era culpado e no fim, por total falta de provas, fica convencido da sua inocência.
      Desculpe-me + 1 x. Bjs

      Excluir
    6. Leda, não tem necessidade de deletar nossos comentários, a menos que vc prefira fazer isso. É até importante alertar os outros leitores sobre esse sujeito, que escreveu um livro baseado em fontes muito frágeis. Ele chegou a declarar que Michael estava ''dando em cima dele'' [Ialperin] durante um suposto jantar

      Excluir
  9. Vc tem razão, ao ler o livro achei estranho que ele cita poucos nomes. Na maior parte do tempo ele não informa as fontes dos episódios que narra no livro. Sempre menciona um contato, um colaborador, uma pessoa íntima, um????.
    Valeu Rosane!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para vc ter uma ideia, amiga, o livro foi para gráfica 48 horas após a morte de Michael.

      Excluir
    2. ..e quando ele diz que olhar nos olhos de Michael foi ''a experiência mais intensa que ele teve, olhando nos olhos de um homem''... pode apostar que foi ele mesmo que estava se apaixonando por Michael. # me faz rir #

      Excluir
    3. Rosane, vc pode não acreditar mas eu não consigo mais nem olhar p o livro. Só não me desfaço por causa das fotos.
      Obrigada pelo alerta e pelas informações amiga!

      Excluir
    4. Uma sugestão.. porque vc não recorta as fotografias e as guarda? Eu tenho um álbum lindo de recortes, de fotos - inclusive - saídas deste tipo de livro [ganhei de uma amiga].

      Bjs.

      Excluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

*Bem-vindos, Moonwalkers! :) Os comentários são moderados e estarão visíveis tão logo eu esteja on-line.
**Para assuntos privados e não referentes à matéria eu peço que utilize o email [cartasparamichael@gmail.com] ・。.。・゚゚・。.。・゚゚・。❊
*Rosane [admin. do blog]

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...