Remember The Time: Protecting Michael Jackson


Javon: ''Tinha essas ligações particulares. Quando ele queria algo, ele queria e ponto. Não tirava o pensamento de sua mente. Ele indicava algo e dizia, ''eu quero isso."

Isso significava, ''faça com que aconteça''. Não importava quais os obstáculos que havia ou quão difícil seria, apenas devíamos fazer acontecer.

Quando o Homem-Aranha 3 tinha acabado de sair, nós estávamos dirigindo pela estrada, na montanha, tínhamos passado por um Burger King e eles tinham uma promoção acontecendo. Tinham aquelas figuras do homem-aranha em tamanho natural presa aos postes de iluminação no exterior da loja. Sr. Jackson disse:

"Javon, você vê isso? Preciso de um desses. Pare o carro."

Eu estacionei o carro. Sr. Jackson disse:

"É verdade que você pode chegar lá e buscá-lo?"

Isto foi ao meio-dia em uma rua principal em plena luz do dia. Eu disse:

"Senhor, eu não acho que seja uma boa ideia"

"Eu acho que se pode fazê-lo", disse ele. "Eu acho que se pode."

"Senhor, eu não penso assim."

"Você parece como se não quisesse fazê-lo.''

''Realmente não, senhor."

"Bem, você poderia voltar e pedir por ele?''

"Eu posso tentar. Mas eu ainda acho que não é uma boa idéia."

Mas ele queria a figura do homem-aranha. Não havia nada que eu pudesse dizer. Tentei voltar à noite para encontrá-la. Eu ali, tentando arrancá-la com uma pequena faca, cortei as cordas do poste, mas era muito alto. Eu precisaria de uma escada de oito pés. Foi uma loucura. Fui para casa e disse a ele que não foi possível. Estava muito decepcionado. Ele disse:

"Você pode fazer alguma pesquisa para ver onde posso comprar um?''

Nós fizemos isso. Nós não conseguimos encontrar.''

Bill: ''Não estava acostumado que lhe dissessem não. De outra vez, o seu advogado me chamou e me disse:

"Bill, Sr. Jackson está chateado porque ele disse que você gritou com ele."

Essa era outra coisa sobre ele. Ele não tinha nenhuma relação com o confronto. Nunca lhe diria diretamente que teria lhe chateado. Apenas teria uma ligação. Eu sei porque eu fiz muitas dessas chamadas, dizendo às pessoas: "O Sr. Jackson não gostou quando você fez tal e tal." Então eu recebi um telefonema de seu advogado dizendo que eu tinha gritado.

E talvez eu o tivesse feito, mas era só porque eu estava pedindo algo que era impossível. Houve momentos em que Javon dirigia e Sr. Jackson queria somente eu, ele, e seus três filhos, sem pré-detalhes. Eu não ficava confortável com isso. Eu não sentia que fosse seguro. Então, eu dizia que não. Nós dissemos 'não' algumas vezes. Às vezes, ele nos respeitava por dizer-lhe isso. Às vezes, ele realmente não gostava.

Tenho certeza de que em algum momento, no auge de sua fama, ele estalava os dedos e magicamente as coisas aconteciam para ele. E honestamente, sentia que o mundo funcionava assim. Ele ia a uma loja, pegava um doce da prateleira, o abria, desembalava e comia. Nem mesmo se preocupava quanto a isso.

Ele também tinha uma coisa com os guarda-chuvas. Fomos a uma loja certa vez, estávamos no Staples e ele passou por um expositor de guarda-chuvas, pegou um, retirou a etiqueta, o abriu e andamos em torno da loja assim. E ele não estava roubando. Ele pegava o doce, abria o guarda-chuva e dizia algo como: "Certifique-se se eu tenho que pagar por isso."

 Extraído do livro Remember The Time: Protecting Michael Jackson in His Finals Days escrito por Bill Whitfield e Javon Beard - ex-guarda-costas de Michael Jackson.

Fonte: http://michaeljacksonmyobsession.blogspot.com.br

8 comentários:

  1. Ele podia "estalar os dedos' para as coisas acontecerem porque ele fez muito por onde. Trabalhou, ralou e se dedicou literalmente de corpo e alma.Todas as pessoas que executavam os seus pedidos recebiam os seus salários ou de alguma maneira eram recompensadas. Ninguém trabalhava de graça.
    Eu pagaria para trabalhar com ele!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho que eles também se referiram sobre Michael ser bem recebido em outros locais e ter seus pedidos atendidos no sentido das pessoas querer agradar a Michael. Merecido! ♥

      Excluir
    2. Foi mau, entendi errado! Se era para agradar... assino embaixo. \o/ \o/ \o/

      Excluir
    3. Acho que ambas as situações aconteciam....

      Excluir
  2. Isso deveria acontecer muito em lojas mesmo... Muitos não deveriam aceitar que ele pagasse. Eu não cobraria nem que ele levasse minha loja inteira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então... imagine ser tratado desta forma desde jovem.. o dr. Barney também contou que Michael não se ''ligava'' sobre pagar a conta do jantar, simplesmente não lhe ocorria, porque sempre havia outras pessoas cuidado desses detalhes, isso quando não lhe era ofertado de graça.

      Excluir
  3. Michael tinha pessoas para cuidar de tudo, ele não ia no vendedor e perguntava preço, negociava... tinha as pessoas que faziam isso.

    Imagine quantas cortesias ele deve ter recebido e que, diga-se de passagem, não chega nem perto do imenso legado humanitário dele no que se refere a dinheiro e tempo de atenção dedicado a pessoas do mundo inteiro, em todos os lugares em que ele estivesse.

    Michael mereceu todos os mimos do mundo. Qualquer pessoa minimamente sensível poderia conhecer o quão generoso, humano, caridoso ele era e quem não queria receber esse anjo em uma loja, em qualquer lugar e oferecer a ele a melhor recepção, a melhor cortesia...

    Assim como quando a gente vai a algum lugar e tem alguma degustação, isso é tão comum né? Se Michael perguntou se teria que pagar por algo é porque certamente, durante toda a vida, foi agraciado com gentilezas e, nesse caso do relato da postagem, ele devia ter dúvida se teria que pagar ou não.

    Sobre a figura do homem aranha, eu entendi que ele queria que os seguranças fossem pedir para as pessoas do Burger King. Michael tinha cinema em Neverland e estava acostumado a ter os contatos que lhe garantiam os acordos para ter seu cinema funcionando com filmes que passavam no momento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um comentário perfeito, amiga. E mesmo Michael recebendo cortesias nas lojas, ainda dava ao propríetário o maior de todos os marketings - a sua presença!
      Noutro dia eu publiquei o depoimento de um funcionário de uma loja de discos que afirma que seu movimento aumentou bastante por vários meses, após Michael ter estado em sua loja para olhar os produtos.

      Excluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

*Bem-vindos, Moonwalkers! :) Os comentários são moderados e estarão visíveis tão logo eu esteja on-line.
**Para assuntos privados e não referentes à matéria eu peço que utilize o email [cartasparamichael@gmail.com] ・。.。・゚゚・。.。・゚゚・。❊
*Rosane [admin. do blog]

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...