A androginia mal compreendida de Michael Jackson


''[...] Parece que a vida de Michael Jackson sempre foi confusa, porque ele sempre desafiou o modo de pensar americano tradicional e, mais genericamente, a ideia de como as pessoas deveriam se comportar nos diferentes estágios de suas vidas. Quando ele era criança, as pessoas o consideravam um adulto, um cantor anão que fingia ser uma criança. Quando um adulto, as pessoas o viam como uma criança que nunca cresceu.

Entre essas duas concepções e muito além delas, Michael Jackson não se encaixava em nenhuma dessas categorias. Não correspondia a nenhum paradigma dado pela sociedade. Nem cronológico nem linear, a vida de Michael Jackson nunca foi uma simples justaposição de experiências que normalmente permitem que as pessoas construam sua própria identidade.

O conceito simples de identidade estava fora de sua vida pessoal porque ele tentou superar qualquer tipo de dualismo em relação à raça, gênero e música. Nem velho nem jovem, nem homem nem mulher, nem negro nem branco, seu modo de vida era uma transgressão em si, uma transgressão do que é comumente admitido, uma transgressão que supera todo tipo de preconceito. Ele era ao mesmo tempo o olho que vê e a música, o homem que vai além do espelho. Único e universal ao mesmo tempo, incorporou uma transcendência do conceito de identidade. Mas era uma maneira perigosa de explorar as fronteiras da vida negando qualquer tipo de "pertencimento''.

O mundo de Michael Jackson é um mundo de fantasia no qual a identidade se torna sem sentido, na qual a relação entre realidade e irrealidade é irrelevante. Na verdade, seu rancho Neverland explorou o imaginário, o desejo de algo que é impossível. Ao mesmo tempo, suas múltiplas transformações físicas traduzem esse ideal de indiferenciação, de ser si mesmo e do outro, buscando a unificação com o outro. Suas relações com as mulheres estavam no mesmo nível, uma intrincada mistura de fantasia e desejo, o que levou a incompreensões e condenações públicas.


Além dessas considerações de heterossexualidade ou homossexualidade, Michael Jackson transcendeu essas representações de gênero dicotômicas e superou o simples fato de ser homem ou mulher. Suas transformações físicas ao longo dos anos confirmam seu desejo de representar um personagem andrógino que empresta as características do homem e da mulher. No entanto, essa abordagem transcendental do 'eu' foi profundamente mal compreendida, especialmente pelos ocidentais, que confundiram o caminho de Jackson com a homossexualidade.

No entanto, transcendendo o simples dualismo da identidade masculina e feminina, ele foi capaz de combinar dois aspectos de uma única realidade, cada um contendo o outro. Superando o papel tradicional de gênero, Michael Jackson trouxe a universalidade em sua arte...''

*Trecho extraído do livro Michael Jackson and Women, uma obra da escritora estadunidense June Forester.


Fonte: Michael Jackson FanSquare • Italia

7 comentários:

  1. Que livro é esse??
    Tem aqui no blog pra ler??
    Eu nunca vi esse livro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não... não temos aqui no blog. Tem à venda no site da Amazon. Tenho percebido que há uma porção de livros sobre MJ, em vários idiomas, e pouco divulgados. Provavelmente porque têm conteúdo positivo. Esse acima parece ser interessante, em especial para o público feminino.

      Excluir
    2. Obs.: não disponível no idioma português.

      Excluir
  2. Esse deve ser o motivo de que muitas mulheres ficavam loucamente apaixonadas por ele ( até hj ), o muitos homens não entendiam , e o atacava , Michael realmente Não se encaixa em nenhum estereótipo , era uma pessoa única , muitas vezes incompreensível, anos se passam e muitos ainda quererem , o entender, mas é isso que o torna eterno , entre outros aspectos de sua obra e vida , acho fantástico :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! Alcançar o equilíbrio perfeito entre a dualidade masculino/feminino é para poucos. Que personalidade fantástica!

      Excluir
  3. Michael foi o artista mais injustiçado também no quesito androginia. Vide Elton John, David Bowie e o brazuca Ney Matogrosso. Todos andróginos e respeitados. Infelizmente não vejo o mesmo respeito com o Michael. Entendo isso como absurdamente triste. Todas as vezes que alguém fala mal do Michael é o mesmo que falar mal de alguém da minha família.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é esse sentimento de pertencimento a nossa familia.
      Nem dá para explicar, só sentindo mesmo.

      Excluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

*Bem-vindos, Moonwalkers! Este é um espaço de amor à memória de Michael Jackson. Os comentários são moderados e estarão visíveis tão logo eu esteja on-line. [Rosane, admin. do blog]

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...