Remember The Time: Protecting Michael Jackson


Bill: ''Eu vi a conferência de imprensa em Londres na TV. Quando o vi no pódio anunciando o show, foi a primeira vez que eu pensei, uau, isso realmente está acontecendo. Até então, eu realmente não tinha prestado atenção.

O que me impressionou sobre a conferência de imprensa foi quando ele disse. "É isso aí" This Is It. Eu não acho que as pessoas sabiam exatamente o que ele quis dizer quando ele disse isso. Isso é o que tudo aquilo significava.

Fato. Eu não vou mais fazer isso. Não ia ser como o Eagles ou Frank Sinatra, aqueles que se aposentam, retornam, se aposentam novamente e depois saem em turnê novamente. Michael Jackson não.

Relutante em atuar novamente, eu acho que ele fazendo esses dez concertos iniciais, estaria satisfeito. O Rei do Pop teria assumido. Ele estava animado, porque o que lhe foi pedido era viável.

Quando eles foram até cinqüenta performances, ele ficou lívido. Eu me lembro que se falou em cinqüenta de volta a Palms. Eram cinqüenta antes de dez. Cinquenta era o número original, porque esse era o número de shows que ele realmente precisava fazer para conseguir esse dinheiro.

Mais cedo, quando eles discutiam estes concertos nos estágios iniciais, ele conversava com a gente sobre isso no carro. Ele dizia, "Eles querem fazer cinqüenta shows. Eu não posso fazer cinqüenta shows."

Ele não disse como se recusou a fazê-los. Ele disse como era ridículo que eles tenham lhe pedido para fazê-lo, como se eles estivessem pedindo para saltar de um edifício de quinze andares e sobreviver. Tipo, 'você pode acreditar nisso?'

Ele falava sobre a sua idade, sobre todo o desgaste em fazer turnês mundiais, como a má condição de suas costas e joelho. Foi da mesma forma que ele falou sobre não se comprometer com cinco noites por semana em Las Vegas.

"Eu não posso fazer tantos concertos. Eu simplesmente não posso."

Eram originalmente cinquenta concertos, em seguida, caiu para dez para que ele os fizesse, logo voltaram a ser cinqüenta. Ouvi dizer que para Sr. Jackson se comprometesse, chegaram a alegar que assim ele quebraria o recorde de número de shows realizados por Prince, porque Sr. Jackson era sempre comparado com Prince.

Essa era uma história que dava voltas, mas a realidade era que Sr. Jackson já estava em dívida com AEG por tanto dinheiro. Ele tinha tomado vários milhões de dólares como adiantamento dos shows, além do que AEG estava pagando por aquela mansão em Los Angeles. Então, quando eles disseram que seriam cinqüenta concertos, era como pagar pelo o que ele tinha recebido. Ele não tinha muitas opções.''

Javon: ''Eu nunca acreditei que ele iria fazer cinqüenta concertos. Depois de passar todo esse tempo com ele? Não. Nunca. Ele sempre era tão frágil, tão magro. Ele poderia ter ganho vários quilos e ainda estaria muito magro.

Não era apenas o aspecto físico. Era a sua atitude. Alguns dias eu estava otimista, outros dias estava triste. Tal como acontece com o aniversário de Elizabeth Taylor. Poderia estar para cima, totalmente de bom humor, pronto para ir, mas algo acontecia e ele se afastava. Não havia nenhuma maneira que, em meses e meses de performances, não teria algum drama em seu mundo. Ele entraria em colapso.

Ela queria acreditar que isso iria acontecer. Eu queria acreditar naquela grande retorno. Mas ele era tão imprevisível. Mesmo com a conferência de imprensa, eu ainda não acreditei que esse concerto iria realmente acontecer. Eu não acreditei nisso até quando ele estava no palco com um microfone na mão, cantando.''

Bill: ''Pouco depois da conferência de imprensa, as coisas ao nosso redor começaram a se mover novamente. Eu estava recebendo chamadas de Pedro Lopez. Sr. Jackson estava alugando uma fazenda nos arredores de Londres. Ele queria levar sua segurança.

Javon e eu estávamos em contato com uma empresa de lá, eu disse a eles dos equipamentos que nós precisávamos. Estávamos recebendo fotos da casa, plantas, esse tipo de coisa. Quando os programas começaram, nós estávamos indo para levar a segurança para a fazenda e escoltar Sr. Jackson indo e vindo par aa Arena, onde o pessoal da AEG cuidaria de tudo.

Mais uma vez, eu sinto que Sr. Jackson estava tentando manter a barreira entre sua vida pessoal e sua vida profissional. Então nós fomos para Londres. Isso era definitivo. Quase tudo na casa era através de Pedro Lopez. Eu estava indo para restaurar essa conexão pessoal com Sr. Jackson, a qual sentíamos que tínhamos perdido, e para mim, Peter Lopez era a âncora. Ele nos fez sentir como parte da equipe.

Ele me disse, ''Escutem, rapazes. Michael tem confia em vocês. Não se preocupem com todas essas outras coisas que estão acontecendo, não se preocupemquer que vocês se juntem a ele em Londres."

Eu me senti bem com isso. Eu também tive várias conversas com Brad Buxer, músico amigo do Sr. Jackson, que passou noites com ele no estúdio em Monte Cristo. Brad dizia, "Bill, você tem que ir. Você tem que ser parte disso. Vai ser ótimo quando chegarmos a Londres".

Conversando com Peter e Brad, ouvir o seu entusiasmo me fez sentir muito melhor. Eles eram os caras que estavam lá para o Sr. Jackson, mesmo quando não havia dinheiro envolvido, então eu senti que eu poderia realmente confiar neles.

Uma vez confirmado que estávamos indo para Londres, eu fiz uma proposta, um novo contrato para incluir provisões para a viagem e trabalhar no estrangeiro, e o enviei para Peter Lopez. Isso aconteceu com o novo endereço.''

Extraído do livro Remember The Time: Protecting Michael Jackson in His Finals Days escrito por Bill Whitfield e Javon Beard - ex-guarda-costas de Michael Jackson.

Fonte: http://mjhideout.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...