The King of Style: Dressing Michael Jackson (01)


Prefácio

A soma de um homem é maior do que suas medidas

''A imagem de Michael Jackson foi tanto em sua arte como em sua própria pessoa. Através de sua música, dança e moda criou uma mística única que foi reconhecida por todo o mundo. O interesse de Michael estava em seu desejo de enviar mensagens sutis usando a sua voz, seu corpo e roupas.

Figurino e atuação se uniram para se converter em Michael Jackson. Ele era um visionário do estilo e usou essa visão [juntamente com todos os seus outros talentos consideráveis] para se transformar de estrela infantil ao Rei do Pop

Dennis Tompkins e eu fomos uma equipe de criativos que ele mesmo reuniu para o ajudar a transformar suas ideias em realidade.

Como seus estilistas exclusivos por quase 25 anos, fomos co-criadores do estilo de Michael. Através de um processo criativo único, aprendemos a canalizar seus pensamentos, desejos e filosofia para criar roupas que simbolizassem o que ele representava. The King of Style é a primeira compilação ilustrada da evolução do processo; uma aventura visual do nosso trabalho em conjunto.

Nós comparávamos Michael Jackson com uma tela. Entusiasmava a ele os detalhes, sempre se mostrava curioso com o processo e queria inventar; sempre forçado a descobrir algo novo. Ele queria que suas roupas, como sua música e movimentos de dança, fossem uma poderosa expressão de si mesmo. Tivemos a tarefa de ajudar a ele nessa expressão.

Era o desejo de Michael que recopilássemos este livro. Na verdade, foi ideia dele. "Será que você não gostariam de saber como foi feito O Mágico de Oz?'' Os olhos de Michael se iluminavam com espanto e se abriam imensamente enquanto fazia esta pergunta. Para ele, era uma coisa fácil de puxar a cortina e revelar a nossa contribuição para a criação de um ícone do pop.

Atrás da cortina, no entanto, não havia apenas uma fachada e sim um verdadeiro homem com um profundo amor e apreço pela arte, alguém que encarnava os sonhos muito bem e inspirava os outros. Seu senso de estilo se refletia sua mente perfeccionista e por entender o seu estilo, juntamente com as histórias pessoais por trás de cada item - um lado completamente novo de Michael Jackson será revelado.

No meio das coisas

A maioria das grandes sagas épicas que se têm escrito iniciam no meio da história, usando o recurso literário conhecido como ''in medias res''.

A vida de Michael Jackson foi mais do que épica e, de acordo com essa ideia, The King of Style começa durante a realização de BAD, quando Michael estava no topo, mas começando a sua carreira solo.

BAD foi a primeira turnê em que ele apareceu sem seus irmãos e marcou o momento em que convidou Dennis e a mim para nos juntarmos em sua missão para se tornar o artista consumado.

Ao mesmo tempo em que a imagem de Michael evoluía, fazíamos o nosso como estilistas e artistas. Michael amava os desafios e sempre nos levava a estar na altura das circunstâncias. Levando-nos para fora do nosso elemento com pedidos estranhos, quebra-cabeças intrigantes e confiança contínua em nossas habilidades,

Michael sempre nos incentivou a sermos criativo e para enfrentar os desafios mais assustadores. Às vezes, isso significava um risco de que Michael não gostasse do que estávamos tentando. Por exemplo, estava a jaqueta Berlim, em couro negro, sem zíper e decorada com logotipos de um clube de carro. Nos inspiramos a fazê-la ao olhar para as ideias em um show de carro europeu. 

Quando nós mostramos para Michael, ele perguntou, "Por que vocês fizeram isso?" Ele se recusou a experimentá-la. Nossos estômagos estavam à altura da garganta. Mas confiamos em nossos instintos, Michael a experimentou e ela se tornou uma de suas favoritas. 

Este tipo de interação se tornou a base da nossa vida com Michael, que se desenvolveu a partir de uma relação superficial para uma amizade baseada na confiança mútua.

Para nós, Michael foi um professor que mudou nossas vidas profissionais de um modo que nunca esperamos. A profundidade e complexidade de nossas criações muitas vezes nos surpreendia e isso era porque Michael era nossa inspiração. 

Sua filosofia era sempre tentar algo novo para fazer as pessoas olhar duas vezes. Sua filosofia se tornou nossa. Ele nos ensinou a esperar mudanças e buscar o riso e humor todos os dias. Juntos, fomos capazes de continuar a criar o que ele gostava de chamar de "arte para vestir".

Embora muitas de suas roupas e fantasias possam ser consideradas lunáticas, Michael não escolhia suas roupas por capricho. Se vestir era um processo de múltiplas camadas para transmitir uma mensagem, evocar a emoção e estimular a reflexão a todos que colocavam os olhos sobre ele. 

Suas roupas refletiam e acompanhavam as letras de suas canções, sua música, filmes, efeitos especiais e de turnês, contribuindo para uma maior totalidade.

Nada exemplifica isso melhor do que a história dos sapatos para se inclinar; o maior desafio que Michael nos deu. Era um movimento de dança coreografada em seu curta-metragem Smooth Criminal chamado "movimento de inclinação", em que Michael se inclina em um ângulo de 45 graus. 

Michael queria representá-lo ao vivo no palco e nos desafiou a criar algo com o qual pudesse ser capaz de fazê-lo. Nós inventamos um mecanismo que se instalava dentro do sapato, o qual se enganchava a um pino colocado no chão e que permitia a Michael "criar" o movimento de inclinação ao vivo. 

Ele registrou a patente em nome de nós três. Através deste empreendimento, Michael nos ajudou a crescer a partir de artistas para verdadeiros inventores.

Michael não gostava de se contentar com o estilo popular. Ele chamava os estilistas de roupas em série de ''fabricantes'' e dizia, ''a roupa deve se encaixar em mim, não eu na roupa''. 

Sua primeira regra era a função. Se a peça não funcionasse para o seu propósito, não poderia usá-la. Ele pedia por total conforto e que lhe caísse bem, por isso, a escolha do tecido era essencial. Sua camisa de veludo era uma de suas favoritas por este motivo.

Mas o amor de Michael pelas roupas sem restrições não significa que ele não era um fã do [modelo] justo. Ele definitivamente vestia a roupa e não a roupa a ele.

Michael tinha corpo de dançarino e todos os cortes e tecidos de suas roupas de atuação se ajustavam à sua forma. Ele queria que o público visse a ele e não às suas roupas. O tipo de roupa que o favorecia também servia como proteção contra ser agarrado por um fã. Por essa razão evitávamos os laços, franjas e bocas-de-sino; tudo o que fosse suscetível de ser alcançado pelas mãos.

A dança desempenhava um papel fundamental no seu guarda-roupa e vice-versa. Vestir a ele e ao restante do grupo em uma turnê nos ofereceu grande conhecimento sobre o equilíbrio intrincado entre música, dança e figurino. 

Por exemplo, até o último dia, Michael usou somente sapatos Florsheim. Nada de ruim a dizer sobre alguns sapatos de couro preto comprados em lojas de departamento, mas seria certo para que um homem de tamanha fama e fortuna optasse por um sapato mais caro. 

Mas Michael não. Ele aprendeu a dançar em um Florsheim desde a infância. Eles eram confortáveis e eram aqueles que ele tinha usado desde que ela era uma estrela infantil. Estilistas lhe enviavam caros sapatos de grife como os sapatos Gucci, mas Michael não os usava por medo de que não pudesse dançar com eles.

Outros fatos pouco conhecidos que aprendemos ao longo do tempo, era por que Michael nunca escovava seus sapatos ou vestia qualquer coisa feita de lã ou de pele, sua afinidade com [as pedras] strass, pérolas e belos tecidos naturais, a sua necessidade de um ponto de atenção em cada conjunto, a sua jaqueta favorita de sempre, assim como o que sempre quis fazer mas não teve a oportunidade de fazê-lo, o seu amor pelos reis britânicos, o ouro egípcio, Michelangelo, os chicletes Bazooka, e nosso favorito pessoal: a personalidade brincalhona de Michael e as peças que ele gostava de pregar em mim e Dennis.

Michael era um homem de muitos paradoxos, a maioria dos quais pudemos representar nas roupas que desenhamos: rígidos cortes militares que também eram elásticos e móveis; roupas revolucionárias para os comandantes do exército liderado pelo coração de um homem gentil. 

Ornamentos deslumbrantes que ornamentaram um homem abençoado com uma humildade tranquila, roupas exclusivas, artesanais, acompanhadas com velhos e riscados sapatos Florsheim.

Michael Jackson foi o epítome de um astro enigmático e King of Style traça a jornada através das roupas que ele usou.''

Por Michael Bush (estilista de Michael Jackson)
Extraído do livro The King of Style: Dressing Michael Jackson

Fonte: MJHideout.com

7 comentários:

  1. Eu tenho esse livro. Belas palavras, bela descrição do nosso Rei.
    Artista de todas as formas, do canto às palavras, da dança às roupas, do sentimento à poesia, do coração ao pensamento.

    Um paradoxo, novamente. Amo seu estilo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais um livro que merecia ser publicado aqui no nosso país, em português, é claro.

      Excluir
    2. Vc está poetisa hoje, não é? :)

      Excluir
  2. Inspiração do Michael. Inspiração sua. Inspiração das melhores fãs do mundo.

    ResponderExcluir
  3. É uma honra que Michael esteja representado em uma obra assim.

    Estão de parabéns! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, dá gosto em se ler uma obra verdadeira.

      Excluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

*Bem-vindos, Moonwalkers! :)
Os comentários são moderados [a fim de evitar spams]
e estarão visíveis tão logo eu esteja on-line.
Esta página é feita com amor e eu agradeço a sua presença.
*Rosane [admin. do blog]

Obs.: Para assuntos não referentes à matéria eu peço que utilize o email [cartasparamichael@gmail.com] ・。.。・゚゚・。.。・゚゚・。❊

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...